terça-feira, 19 de outubro de 2010

Divulgado arquivo digital com mais de 20 mil obras roubadas pelos nazis aos judeus

Várias organizações judaicas divulgaram esta segunda-feira um vasto arquivo digital com mais de 20 mil obras de arte confiscadas pelos nazis, incluindo dezenas de peças de Picasso e de Goya, entre outros autores.

Com a elaboração desta base de dados, as organizações judaicas pretendem facilitar o regresso das obras roubadas pelos nazis em França e na Bélgica durante a II Guerra Mundial aos seus proprietários originais.

Este trabalho, que pode ser visitado aqui [http://www.errproject.org/jeudepaume/], foi promovido pelo Museu do Holocausto em Washington e pela Conferência sobre as Reivindicações Materiais dos Judeus contra a Alemanha, com sede em Nova Iorque.

Até agora existiam várias listas, entre elas a dos Arquivos Nacionais dos Estados Unidos e a dos Arquivos Alemães, mas não havia uma única base de dados com o nome e a descrição dos objetos roubados.

Para este trabalho, as organizações contaram com a ajuda do próprio regime nazi, que deixou como herança uma lista exaustiva das obras roubadas pela Einsatzstab Reichsleiter Rosenberg, a unidade militar do Terceiro Reich dedicada às obras de arte desviadas.

De facto, a identificação das obras foi possível graças aos documentos que os nazis processaram em Jeu de Paume, o edifício localizado nos Jardins de Tuileries, em Paris, onde as obras roubadas eram armazenadas antes de serem vendidas ou divididas entre os altos oficiais do Reich, informam as organizações.

A lista online, que está disponível neste momento, contém obras que foram retiradas aos judeus e inclui peças de Vermeer, Rembrandt e Leonardo. Há ainda registo de mais de 80 obras de Picasso, cerca de 20 de Goya e várias de Miró e de Dalí.

No entanto, as organizações explicam que esta lista inclui apenas uma pequena parte dos cerca de 650 mil trabalhos que foram roubados às famílias, a galerias e a colecionadores judeus aquando da invasão de França.

Muitas das obras foram devolvidas mas "milhares delas continuam desaparecidas".

Em declarações à BBC, o presidente da Conferência, Julius Berman, afirmou que "agora é da responsabilidade dos museus, das galerias e das casas de leilões analisarem as peças que possuem e determinarem se se trata de arte roubada às vítimas do Holocausto".

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Lusa

Fonte: SIC Notícias(Portugal)
http://sic.sapo.pt/online/noticias/vida/divulgado+arquivo+digital+com+mais+de+20+mil+obras+roubadas+pelos+nazis+aos+judeus.htm

4 comentários:

Laninha disse...

Como farão isso?
Os proprietários fatalmente estão mortos.

Tem link de vídeo para que eu possa ver as obras? Agradeço se posta-lo.

Roberto disse...

"Como farão isso?
Os proprietários fatalmente estão mortos."


Acho que repassam pros herdeiros ou a algum parente próximo(que possa ter direito). Tem muita galeria listada. Caso contrário(não haja nenhum parente com direito ou herdeiro) não sei que fim dão a essas obras, provavelmente devem doar pra museus.

Roberto disse...

"Tem link de vídeo para que eu possa ver as obras? Agradeço se posta-lo."

Em vídeo eu nunca procurei mas pode ser que tenha algo no youtube, mas segue dois links com amostras das obras roubadas:
1. Database of Art Objects at the Jeu de Paume/Photo Gallery

2. Lost Art Internet Database

Roberto disse...

Tem um vídeo, trailer do documentário "The Rape of Europa", não sei se é o mesmo que eu vi uma vez (acho que tinha o mesmo nome) só que não dá pra confirmar se são o mesmo documentário. É sobre esse assunto das obras roubadas pelos nazis na Europa durante a guerra:
Archives of Nazi cultural plunder: new resources for history and restitution

Tem outro documentário com o mesmo nome nos vídeos relacionados(no Youtube), mas não tem nada a ver com esse documentário sobre o assunto(arte roubada), e é mais um daqueles vídeos provavelmente de "teoria da conspiração".

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget