quinta-feira, 12 de maio de 2011

Antigo guarda nazi John Demjanjuk condenado por crimes durante o Holocausto

Foto: Michael Dalder/Reuters
Um tribunal de Munique condenou John Demjanjuk a cinco anos de prisão por ter participado na morte de 27.900 judeus no campo de concentração nazi de Sobibor durante o Holocausto.

O tribunal considerou que ficou provado que Demjanjuk, que se declarara inocente, foi guarda naquele campo na Polônia ocupada. O seu advogado de defesa anunciou que vai recorrer da sentença.

O julgamento de um dos últimos criminosos da II Guerra Mundial durou 18 meses, durante os quais a defesa apresentou provas em como esteve, durante seis meses, em Sobibor, incluindo um cartão dos membros estrangeiros das SS. O réu esteve presente nas sessões. Ontem chegou de cadeira de rodas e com óculos escuros e boné a tapar-lhe a cara. Em audiências anteriores, chegou a estar deitado numa maca.

John Demjanjuk nasceu numa povoação rural da Ucrânia nos anos de 1920 e cresceu sob o regime soviético. Como milhões de outros, ingressou no Exército Vermelho e combatia na Crimeia em 1942 quando foi capturado pelas tropas nazis.

Na versão que o seu advogado defendeu no tribunal de Munique, foi então enviado para uma prisão na Polónia até 1944, sendo depois transferido para outro campo, na Áustria. Ali, admitiu, juntou-se a um grupo de prisioneiros soviéticos que passaram a estar ao serviço dos nazis e que receberam treino para lutar contra o Exército Vermelho. Disse que foi obrigado a colaborar para salvar a vida — três milhões de prisioneiros soviéticos morreram em campos nazis, sobretudo de fome. Mas negou alguma vez ter estado no campo de concentração e extremínio de Sobibo.

“O meu pai sobreviveu ao genocídio da fome na Ucrânia, à guerra contra os nazis, aos campos de prisioneiros alemães... e agora o Governo alemão quer terminar o trabalho que os nazis de Hitler começaram”, disse o seu filho, John Demjanjuk Jr.

A acusação defendeu que foi recrutado muito antes de 1944 e que o cartão das SS é verdadeiro e não uma falsificação, como argumentou a defesa.

Depois da guerra, Demjanjuk viveu no sul da Alemanha e trabalhou para várias organizações estrangeiras até que, em 1951, partiu para os Estados Unidos, onde viveu e trabalhou (na indústria automóvel) no Ohio e obteve a nacionalidade americana.

Segundo julgamento

Este foi o segundo julgamento pelo qual passou. Na década de 1980 foi identificado como “Ivan o Terrível” - um guarda soviético particularmente sádico para os prisioneiros judeus no campo de concentração de Treblinka -, extraditado para Israel e condenado à morte.

Esteve oito anos preso até surgirem indicações de que, afinal, um outro ucraniano, de nome Ivan Marchenko, seria o verdadeiro “Ivan o Terrível”.

Libertado, Demjanjuk voltou a ser extraditado em 2009, a pedido da Alemanha, por ter colaborado na morte de 27.900 judeus em Sobibor.

O último nazi vivo

Este é um dos últimos julgamentos de criminosos nazis. O que poderá ser o último, o do húngaro Sandor Kepiro, de 97 anos, está a decorrer em Budapeste. Kepiro foi considerado pelo Centro Simon Wiesenthal — organização internacional de direitos humanos, focada no tema do Holocausto — o “suspeito nazi de crimes de guerra mais procurado do mundo”.

O tribunal húngaro alega que Kepiro foi “cúmplice de actos de crimes de guerra” no massacre que ocorreu entre 21 e 23 de Janeiro de 1942 em Novi Sad, território actualmente sérvio.

Centenas de famílias foram raptadas e mortas por húngaros, aliados dos alemães. Um sobrevivente dos ataques contou à BBC que as pessoas “eram atiradas para o rio em gelo” e que outras “eram retiradas de casa e mortas na rua”. Pelo menos 1200 civis, entre os quais se contam judeus e sérvios, morreram durante esses dias e Kepiro é acusado directamente da morte de 36 dessas pessoas, podendo vir a enfrentar uma pena de prisão perpétua.

O antigo capitão da polícia diz-se inocente, mas admitiu ter estado presente no massacre.

Fonte: Público.pt (Portugal)
http://www.publico.pt/Mundo/antigo-guarda-nazi-john-demjanjuk-condenado-por-crimes-durante-o-holocausto_1493829

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget