sábado, 24 de novembro de 2012

Richard Widmann e Verohnika Clark (Alterado)

Originalmente publicado em: 24 de dezembro de 2009; alterado em 2 de janeiro de 2010.

Richard A. Widmann recentemente fez esta afirmação a respeito de seu novo jornal:
O site Inconvenient History tenta retornar às raízes do revisionismo sem qualquer agenda política ou desejo de tornar atrativos regimes totalitários.
Esta afirmação pode ser comprovada como falsa.

Vários dos contribuidores do jornal tem uma agenda antissemita e a mais extremista se chama Verohnika Clark, a quem Widmann publicou seus textos sob o pseudônimo anglicizado Veronica Clark.

Em 2006, Clark encontrou a 'Adolf Hitler Research Society' (Sociedade de Estudos Adolf Hitler). No mesmo ano, ela escreveu:
Os agora um milhão de registrados [Ain, 1993] que alegam ser "sobreviventes do Holocausto" deveriam ficar totalmente enojados com eles mesmos, e completamente envergonhados por serem tão implacáveis com os sacrifícios de Hitler e da Alemanha durante a Segunda Guerra Mundial. Eles realmente deveriam ter sido deixados para morrer, como do contrário aconteceu de serem salvos pela SS em fuga.
Em 2007, Clark escreveu:
Judeus são lixos subumanos.

Eu disse isso porque ninguém tem mais 'colhões'. Deveria eu clamar por um genocídio contra os judeus? Bem, se eu fosse presidente dos Estados Unidos, então, "Sim, eu o faria." Gostaria de bombardear a merd* vivente em Tel Aviv e cortar todo o financiamento para todos os judeus. Gostaria de amarrar numa corda seus líderes de circo - Chertoffsky iria balançar em uma corda. Então, livrar-me dos Bush, Levy, Feinstein, Feingold, Boxer, Schumer, Lieberman, Clinton e todos os outros judeus e cripto-judeus no governo judeumericano (Jewmerican).
Não é surpresa que Clark seja apoiada por Fritz Berg, que deu a ela esta introdução:
Nossa próxima pessoa a falar é Verohnika Clark. Ela é uma cristã, e uma admiradora de Adolf Hitler. Eu mesmo sou um pagão, mas também sou um admirador de Adolf Hitler. Se não fosse por Adolf Hitler, todos nós estaríamos vivendo sob o comunismo hoje, se estivéssimos vivos. O que salvou o Ocidente depois da Segunda Guerra Mundial foi a bomba atômica - sem a bomba atômica antes do fim da Segunda Guerra, quem salvou a civilização ocidental foi Adolf Hitler. Apesar da Sra. Clark e eu termos diferenças religiosas - ambos, ela e eu, somos revisionistas.
...
A Sra. Verohnika Clark entende Hitler melhor que qualquer um que eu conheça. Só há apenas quatro anos atrás que ela fez de Hitler o foco de sua pesquisa e escritos. Uma das mais importates descobertas é que Hitler era um cristão - mas não um típico cristão. Hitler era um um cristão revisionista procurando, e encontrando, o novo significado da mensagem cristã. A Sra. Clark tem dois excelentes websites sobre Hitler que ela criou em apenas um ano e os dirige totalmente sozinha. Em apenas seis meses, ela escreveu mais que uma centena verdadeiros soberbos ensaios, desbravando novos caminhos em muitos casos - e todos eles aparecem em seus websites. É dentro desses ensaios que eu detetei um enorme crescimento dentro dela, não apenas como uma revisionista, mas como uma pessoa que deve inspirar a todos nós. O próprio ato de ser uma ativista revisionista, lutando com a evidência histórica e seus próprios pensamentos sendo ela mesma, ouso dizer, a fez crescer e evoluir espiritualmente. Ela certamente me inspirou. Ela é da Califórnia - que ó - soa como um estranho lugar para o Ocidente. Eu tinha que falar isso porque acontece também da Sra. Clark ter um diploma da Associação de Artes em tecnologia automativa a diesel - bem como um bacharelado em ciência política global.
Em 30 de abril de 2009, Clark fez uma aparição neste programa de rádio usando os pseudônimos de Emma Goldmann e Emma Peters, que ela também costumava usar como administradora do site Adolf Hitler. A entrevista pode ser escutada aqui. Fritz Berg pôs um link para 'Emma' neste tópico da Cesspit*, que cita este texto:
Emma: a mais sangrenta e última-longa guerra da Europa. A Igreja Católica exerceu um proeminente papel no derramamento de sangue deste período. Não é surpresa de que vários Papas são judeus étnicos.
Tão óbvio são os links nazis, e tão insanos os escritos e história da rádio, que isso só pode fazer apenas uma contra-produtiva presença de Clark no jornal de Widmann. Então por que Widmann a publicou? Pode ser talvez por que a visão política de Widmann seja simpática com a dela? Em 2007, Widmann escreveu:
Hoje a cultura branca e herança europeia são denunciadas por serem ultimamente responsáveis pelo pensamento e ideologia que resultaram no Holocausto. No coração da capital de nossa nação, Distrito de Washington, o Museu Memorial do Holocausto dos EUA foi fundado. Uma das primeiras coisas exibidas que é confrontada pelo museu é o vídeo que condena 2000 anos de antissemitismo, que ele alega que resultaram no Holocausto. Isto quer dizer, o Cristianismo (com seus 2000 anos de história) é em última instância responsável por Auschwitz.
Além disso, no mesmo artigo, Widmann afirma que a historiografia do Holocausto e comemoração eram responsáveis pela 'degeneração moral' dos EUA:
Um exemplo recente é status heróico dado a Oskar Schindler, a indivíduo moralmente falido que fez sua vida com trabalho escravo, que traiu sua esposa, e foi um traidor de seu próprio país. (11) A aplicação de tais lições à cultura norte-americana podem apenas resultar na continuidade de sua degeneração moral e ruína.
Widmann ignora o fato que seus herois preferidos, Cristóvão Colombo e George Washington, também ganharam dinheiro com a escravidão. Este flagrante duplo-padrão apenas pode existir na mente de alguém que considera a 'influência judaica' como um problema real.

Atualização, 2 de janeiro de 2010: eu alterei minha descrição de Clark de 'nacionalista branca' para 'neonazi' na subsequente pesquisa. Sua entrevista à rádio, com o link acima, expressa conflitos entre ela mesma e nacionalistas brancos, incluindo uma conversa acalorada com Tom Metzger, discutida por um insano nacionalista branco aqui e aqui. Eu adicionei mais alguns links, como um que eu originalmente postei no site AHRS que está atualmente protegido por senha.

Fonte: Holocaust Controversies
Texto: Jonathan Harrison
http://holocaustcontroversies.blogspot.com.br/2009/12/richard-widmann-and-verohnika-clark.html
Tradução: Roberto Lucena

*Cesspit: para quem quiser entender o que significa "Cesspit" no contexto do negacionismo do Holocausto, confira o link.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget