quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Caso Kalymon (guarda ucraniano)

Os processos de deportação contra John Kalymon, um ucraniano guarda de polícia em Lviv(Leópolis), que está em curso há vários anos, produziu um julgamento legal que pode ser lido aqui. A descoberta fundamental é de que há documentos nos quais Kalymon foi responsável por uso de munição, afirmando que ele atirou em judeus. Cito estes trechos abaixo para indicar a brutalidade das atividades regulares da polícia, a partir do qual os leitores podem tirar suas próprias conclusões:
Um relatório datado de 14 de agosto de 1942, indicou que "Iv Kalymun registrou que ele disparou quatro tiros enquanto estava em serviço", ferindo um judeu e matando outro. Além disso, o chefe do comissariado apresentou um relatório resumo sobre a mesma data indicando que os policiais "entregaram 2.128 judeus a um ponto de reunião central." O relatório afirma que 12 judeus foram "mortos ao escapar," sete judeus foram feridos, e que "Ivan Kalymun" gastou quatro cartuchos de munição. Além disso, em 20 de agosto de 1942, "Kalymun" disparou dois cartuchos de munição, usados ​​durante operações em que 525 judeus foram entregues a um ponto de reunião, 14 judeus foram mortos a tiros e seis ficaram feridos. No dia seguinte, "Ivan Kalymun" disparou dois cartuchos de munição em uma operação onde policiais prenderam e entregaram um adicional de 805 judeus. Em junho de 1943, o comissariado de Kalymon participou "na liquidação do gueto judeu", onde judeus foram fuzilados ou enviados para campos de trabalho forçado. De 19 a 23 de novembro de 1943, todos os membros da UAP em Lviv(Leópolis), inclusive no comissariado de Kalymon, participaram das operações de busca em massa para localizar e entregar os judeus remanescentes do gueto para as autoridades alemãs.
Fonte: Holocaust Controversies
http://holocaustcontroversies.blogspot.com.br/2013/02/kalymon-case.html
Texto: Jonathan Harrison
Tradução: Roberto Lucena

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget