sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Caso racista no Rio e falas de apresentadora chegam (e chocam) a jornais de fora

Não deu pra comentar esse caso na semana passada, pois o ritmo frenético que esses episódios adquiriram (agravado com a morte do cinegrafista de uma emissora de TV essa semana, vítima do grupo Black Bloc no Rio), aumentou a dimensão da gravidade dessa pregação de ódio que vem rolando há tempo, e ela não começou em 2013 nas manifestações de junho. Há muito se fala da proliferação de discurso de ódio na internet, a incubadora disso foi o Orkut, e as autoridades brasileiras tratam a coisa como se não fosse algo grave ou sério, só quando acontece uma desgraça, com comoção pública, muda-se a postura. Mas deveriam refletir sobre o ocorrido e prevenir pra que não se chegue ao extremo que é a morte de alguém por conta de inconsequentes agindo fora da lei com motivações obscuras ou no mínimo estúpidas.

No caso dos Black Blocs a coisa é ainda mais grave pois pode haver envolvimento político (de partido) por trás desse tipo de grupo.

O caso racista foi esse do adolescente negro amarrado a um poste no Rio por "justiceiros" com ficha criminal extensa. Aos que admiram "justiceiros", em vários países a figura do justiceiro é rotulada facilmente como bandido, por isso é prudente separar ficção de cinema como Batman, o justiceiro de Gotham, da vida real. Burrice e cretinice têm limites e podem ser fatais (custar a vida de alguma pessoa):
Imagem de menino negro amarrado a um poste expõe barbárie
Rapaz é agredido e acorrentado nu a poste no Rio

Aqui a prisão dos agressores:
'Justiceiros' acusados de torturar jovem no Flamengo são presos pela polícia
Suspeitos de integrarem grupo de "justiceiros" têm longa ficha criminal
Polícia identifica dois suspeitos de amarrar menor a poste no Flamengo

Um dos justiceiros tem acusação de estupro. Olha só o perfil dos "justiceiros", "heróis" da extrema-direita brasileira:

Dois dos suspeitos de terem torturado e prendido um adolescente de 15 anos nu a um poste no bairro do Flamengo, no Rio de Janeiro, foram identificados pela Polícia Civil nesta terça-feira (11/2). Os suspeitos João Victor Andrade de Moraes e Raphael Silva dos Santos Fernandes possuem antecedentes criminais por acusações como furto, ameaça, estupro e uso de drogas.

O caso por si já é bizarro e lembra imagens do tempo da escravidão no Brasil, do pelourinho do período colonial. Depois acham que é exagero quando digo que o povo conheça a história do próprio país como já comentei aqui e segue a tag, um povo ignorante é porta de entrada pra barbárie), e a coisa adquiriu dimensões ainda mais trágicas e grotescas com a declaração cretina de uma apresentadora do SBT, uma emissora de TV brasileira.

Assista dois vídeos abaixo onde a matéria do link mostra vídeos com comentários sobre a delinquência do canadense Justin Bieber (biotipo que a classe fascista no Brasil idolatra, antes havia só adoração com biotipos europeus de qualquer tipo, agora a coisa se "aperfeiçoou" e até o biotipo ibérico, predominante, acho que vai sofrer preconceito por essas pessoas, conteúdo irônico), e veja a diferença de tratamento dado aos casos, imagens transmitidas pra todo país. Disso surgem perguntas pertinentes pois é impossível não observar a diferença de tratamento dado aos dois. Será que se o rapaz preso ao poste fosse loiro, de olho azuis, biotipo idolatrado por setores retrógrados e racistas do país, ele teria recebido o mesmo comentário grotesco que recebeu o rapaz negro? Pra que um apresentador de TV tem que ficar falando besteira em "forma de opinião" achando que diz algo que preste (com conteúdo)? Assistam e tirem suas conclusões:
Rachel Sheherazade detonou jovem em poste, mas defendeu Bieber

O caso dos comentários da apresentadora do SBT foi citado no jornal El País da Espanha* e na revista Deutsche Welle da Alemanha (de memória eu lembro de ter visto a matéria do El País na versão em espanhol, depois eu procuro) como algo grotesco ao extremo e chocante. Só os "revis" não devem ter achado os comentários anormais pois é bem próximo ao que eles pregam ideologicamente. Pra quem acha que os "revis" estão inseridos num "contexto à parte" do país por conta da simbologia esdrúxula e exótica nazi que alguns adotam, mesmo a maioria deles nem sequer serem alemães ou descendentes de alemães (na verdade eles são fascistas, se se dizem nazistas ou não, pouco importa, o fascismo não é menos perigoso que o nazismo, que é uma forma de fascismo), eles são a fratura exposta, ou o "filho feio" que ninguém quer assumir, de setores grandes da classe média e classe rica brasileira que cultuam esses preconceitos.

Em outro país um apresentador que fizesse isso seria afastado no ato, ou nem mesmo teria sido chamado pra apresentar telejornal, pois visivelmente os comentários feitos são extremamente ignorantes e rasos, parece aquelas asneiras que se ouve na rua de gente raivosa (que só repete senso comum, futilidades e crendices). Eu iria citar este caso aqui mas esse outro blog foi mais rápido em publicar lembrando do caso de uma executiva sulafricana com mensagem racista no twitter que acabou sendo dispensada nos EUA por isso. Link:
Barbie heroína? Só com a nossa mídia. Nos EUA, mesmo com desculpas, dá demissão para executiva

O site do link acima pegou leve na repreensão, no caso brasileiro, pois acho que é caso de afastamento da emissora de TV, que sendo uma concessão pública (como todas as demais), precisa respeitar códigos de ética jornalística sob pena de terem a concessão cassada, embora eu duvide muito que com um governo frouxo com a mídia irá fazer isso, mas pelo menos deveria rolar punição à emissora caso não se retrate devidamente e exclua esse tipo de apresentador dos telejornais.

Se forem abrindo brechas a coisas bizarras assim com a conversa furada de "liberdade de expressão" absoluta e se dane o bom senso e ética, ponham logo um discurso de Hitler traduzido pra "educar" o povo.

Vou destacar o que é concessão pública do link que coloquei (só um trecho): "Concessão pública é o contrato entre a Administração Pública e uma empresa particular, pelo qual o governo transfere ao segundo a execução de um serviço público, para que este o exerça em seu próprio nome e por sua conta e risco, mediante tarifa paga pelo usuário, em regime de monopólio ou não."

Há mais outro caso que acabou sendo lembrado que é a de um morador de rua no Paraná com "biotipo europeu" (tem tanta "Europa" que o termo é confuso, digamos que o cara não tem biotipo da Europa ibérica), confiram a matéria do link. Que ao contrário de ser hostilizado por "populares" (já que odeiam pobres e gente fragilizada), este recebeu várias declarações de 'amor' da mulherada em geral por conta da aparência física, pra mostrar o quanto estereótipos racistas estão entranhados no imaginário brasileiro. E quem cita/critica a postura racista do povo ainda passa por "chato" pra essas pessoas pois eles querem perpetuar a barbárie sem serem incomodados, como se tivessem mais direito que o país inteiro mesmo defendendo coisas repulsivas, como se ignorassem totalmente questões de ética e costumes.

Voltando ao caso dos EUA e da executiva afastada por comentário racista no twitter, será que vão dizer que há uma "ditadura chavista contra liberdade de expressão" nos Estados Unidos também? Só falta a direita paranóide do país embarca numa dessas. O fato é que lá, ao contrário daqui, colocaram pra fora a executiva que escreveu besteira (racismo).

Digo isso porque a turma que defende esse tipo de cretinice sempre costuma citar os EUA como exemplo do uso da liberdade de expressão, quando o que está sendo discutido é sobre algo civilizatório de não se tolerar barbáries e incitação de barbárie. Esses desvios de discussão via retórica, além de desonestos, só "convence" quem tem pouca noção do que se passa.

Mas você pode dizer, "chega!", certo? Errado, não parou por aí (acredite), isso mesmo, é um ato bizarro atrás do outro e sinceramente, dá desgosto comentar isso. Pra agravar o que já estava ruim, a apresentadora não tendo dimensão da fala (da cretinice dita) em TV aberta, ainda soltou essa pérola aqui afirmando que o "Brasil não é um país civilizado", matéria pra malhar o país já que desconsidera/ignora a gravidade das asneiras proferidas pela "entrevistada". Típica coisa armada e ideologizada ao extremo já que adotaram um discurso contra o país, o "vale tudo" fanático devido ao país ter herdado culturalmente esse fanatismo religioso sectário e truculento da Península Ibérica.

De fato, se o conceito de civilização for o de gente com esse tipo de mentalidade esdrúxula e que ainda sente orgulho da própria ignorância e atraso, o país não é civilizado. Pessoas ignorantes quando se metem a falar sobre o que não dominam e acham que são "iluminadas", fora a defesa ridícula de justiceiros (com acusação de estupro), comentam uma besteira atrás da outra e só agravam as besteiras ditas a medida que acham que estão "abafando" quando estão cometendo um ato ridículo e grotesco que as deixarão marcadas pra sempre.

Mas você pode dizer, "Ufa! Agora chega, né?!". Vou decepcionar mais uma vez mas não vou me prolongar mais, é barbárie em cima de barbárie, e nem discorri sobre o caso dos Black Blocs. Esses casos surgiram depois da histeria em prol de justiceiros e comentários como "marginalzinho" ditos em TV aberta (ver os links acima), como esse no Crato (Ceará) onde um cidadão com distúrbios mentais, caboclo/negro, é amarrado a um poste em vez de ser chamado o serviço público de saúde:
Francisco do Nascimento sofre de distúrbios mentais e, para contê-lo, em vez de chamar o serviço público de saúde, ‘justiceiros’ de plantão optaram por prendê-lo

Qualquer pessoa, você, eu, qualquer um, caso seja confundida por algum "justiceiro" (que são marginais) na rua, pode vir a ser agredido e seriamente lesionado. Não é brincadeira a questão, portanto a quem estiver brincando com coisa séria, é bom parar. Digo isso pros que ouvindo o urro da manada, "vai na onda" e ficam defendendo esse tipo de barbárie.

Pros idiotas que toda vez chegam com o discurso 'coitadístico' de "tá com pena de ladrão pra casa e bla bla bla", entenda uma coisa, filho: quem age fora da lei é bandido, se você defende justiceiro, você é cúmplice de bandido, então se você aprova barbárie não reclame quando uma guerra civil for instalada na sua frente ou for vítima de barbárie, pois foi com esse comportamento cretino, de gente burra, que a violência no país aumentou exponencialmente, e os caras ainda se acham no direito de relinchar como se tivessem razão.

É ridículo alguém que prega barbárie criticar ou condenar bandidos pois pensam da mesma forma, se tivessem nascido em situação adversa estariam fazendo o mesmo daqueles que eles condenam. Nunca param pra refletir nas consequências do que pregam e qualquer um aqui, eu, você etc, pode vir a ser vítima na rua por conta das asneiras desse "zé povinho"** elitista com discurso moralista raso, histérico e raivoso, que acha que "justiceiro" é herói e que se acha portador de uma "verdade iluminada".

Tá na hora de pararem de assistir muito Rambo e tomarem um choque de realidade, pois em filme ninguém morre quando leva tiro, a bala é de festim, na vida real o estrago é real e bem diferente (o 'Rambo' do filme não duraria muito tempo numa troca de tiros de verdade).

A quem já viu fotos da Segunda Guerra notará as semelhanças das fotos dos casos acima com os linchamentos étnicos promovidos por nazistas. Vergonhoso e nada mais a comentar.
__________________________________________________________________

Atualização de 14.02.2014

*conforme mencionei, consegui achar a matéria original em espanhol sobre o caso aberrante citado no post. Eu havia salvo o link mas geralmente se perde fácil, pois faz dias que saiu a matéria, pois atualizam freneticamente essas matérias (ficam perdidos nos rascunhos e depois é ruim de localizar):
Brasil se retuerce a golpe de imagen. Link no Facebook.

O trecho da matéria: "La presentadora de la cadena de televisión SBT Rachel Sheherazade apoyó en horario de máxima audiencia lo que para ese bando sería una tentativa de imponer el orden en el barrio. Sheherazade dijo que la actitud es “hasta comprensible” debido a la ola de violencia que se vive en Brasil y que, frente a la omisión del Estado, es responsabilidad del “ciudadano de bien” defenderse. Su discurso fue elogiado en las redes sociales junto a mensajes de amor incondicional, mientras otros la criticaron. Esos mismos grupos de justicieros tendrían también la misión de limpiar la región de gais y de negros, según el relato de un vecino del Aterro del Flamengo que fue blanco de los ataques de la banda."

**o termo "zé povinho" não carrega propriamente o sentido original dele, vale a pena ler esse texto sobre o termo, passando a ser usado como sinônimo de ralé, gentalha, e é pejorativo. O uso termo nesse caso, invertendo o mesmo pras classes que costumam usá-lo pra depreciar quem eles julgam gentalha, foi proposital. Estou comentando isso pois nem todo mundo entende ironia e algum mala sem alça qualquer pode querer distorcer o que foi escrito mesmo que o termo "elitista" usado após o termo deixe claro o sentido ao qual foi usado. O termo é comum tanto no Brasil como em Portugal.

P.S. a quem leu o P.S., não se preocupe, colocarei ele num próximo post pra não saturar o texto deste post e desviar o assunto.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget