terça-feira, 21 de julho de 2015

Novas fotos de Eduardo VIII a fazer saudação nazi surgem em público

Depois das imagens de Elizabeth II* com sete anos a fazer o que parece ser a saudação nazi, é a vez do seu tio Eduardo VIII, conhecido simpatizante de Hitler, surgirem em pública, mas para um leilão.

A polêmica em torno das imagens da família real britânica a fazer gestos nazis continua no Reino Unido. Desta vez, é o Telegraph que publica imagens do tio de Elizabeth II, Eduardo VIII, a fazer a saudação nazi numa visita à Alemanha em 1937.


A ‘simpatia’ de Eduardo VIII pelo regime alemão está longe de ser um segredo, mas a divulgação das imagens não vem numa boa altura, depois de o The Sun ter publicado imagens da rainha Elizabeth II em 1933, então com apenas sete anos, a fazer a saudação nazi nos jardins reais.

Nas fotos, que foram colocadas em leilão, o então Duque de Windsor surge a fazer rodeado de responsáveis nazis de uniforme, alguns com uma braçadeira com a cruz suástica, numa visita a uma mina alemã. A visita não era oficial, e tinha a objeção do Governo britânico.

Eduardo VIII chegou a conhecer, juntamente com a sua mulher, Adolf Hitler.


A altura em que as fotos surgem é apenas uma coincidência, garante a casa de leilões que irá proceder à sua venda. “É pura coincidência. Aconteceu ser na mesma altura que a outra história saiu”, diz um responsável da Morgan Evans.

Mas a história continua a fazer correr muita tinta no Reino Unido, com algumas histórias que já eram conhecidas a ressurgirem, em grande parte numa tentativa de explicar o que se sabia na época.


No blogue de política do jornal britânico Guardian, Michael White, diretor adjunto do jornal, lembra que em meados da década de 30 não era só a realeza e os políticos que achavam que valia a pena ser amigo de Adolf Hitler.

Entre outros casos que são recuperados, o Guardian lembra o caso da seleção de futebol inglesa em 1938, quando foi a Berlim jogar contra a sua homóloga germânica. A foto é conhecida, mas ajuda a ilustrar a época, com toda a seleção a fazer a saudação nazi no início do jogo.


Fonre: Observador (Portugal)
http://observador.pt/2015/07/21/novas-fotos-de-eduardo-viii-a-fazer-saudacao-nazi-surgem-em-publico/

*Observação sobre grafia: eu irei publicar mais outro post sobre isso então colocarei a explicação no outro. Mas onde há "Elizabeth II", no jornal/site (que é de Portugal) há a grafia da rainha da Inglaterra como "Isabel II". Mas como ninguém no Brasil a conhece mais por esse nome, eu alterei a grafia. Fica o aviso a quem for ler, e coloco no outro post o "porquê" disso, pois o certo seria escrever Isabel II mesmo, e o Brasil escrevia assim e "alterou". Fica estranho a grafia de Edward VIII ser mantida como Eduardo VIII e a de Elizabeth II sem alteração pra Isabel II como era antes. Neste aviso estou me dirigindo ao público brasileiro, mas como o blog alcança vários países (incluindo os de língua portuguesa, obviamente), caso alguém tenha curiosidade no assunto, fica o alerta.

Na Espanha também se grafa Isabel II, não deixam o nome grafado em inglês.

Mas pruma imprensa (como a do Brasil) que fala "tá calor" (perdi as contas de quantas vezes ouvi isso em TV, verbo de ligação "estar" pede adjetivo, no caso seria "quente", pois "calor" é substantivo), conjuga verbo com "mim", o "fazem anos" (em vez do "faz anos"), e agora deu pra usar a expressão "risco de morte" no lugar da tradicional "risco de vida" (apesar das duas estarem corretas, mas sempre se usou "risco de vida") por cretinice e modismo (essa eu lembro quando começou, foi modismo da Rede Globo, a 'onipotente'), tudo é possível. Tudo isso são regras básicas que se aprendem (teoricamente) em colégio, não há nada de "sofisticado" nessas expressões pra se justificar tanto erro.

6 comentários:

Carlos Pereira disse...

Antes da 2º guerra, Hitler era visto com naturalidade por boa parte do mundo, o próprio Getulio Vargas era um de seus admiradores, tinha fâs nos Estados Unidos, na Europa, etc. Foi escolhido "O HOMEM DO ANO" pela revista Time em 1938, e é natural que um visitante a Alemanha fizesse a saudação nazista.Hoje Hitler no politicamente correto é considerado o pior monstro de todos os tempos, isso em parte porque suas vítimas foram os judeus, que tem um grande poder na economia e na mídia mundial.

Roberto disse...

"Hoje Hitler no politicamente correto é considerado o pior monstro de todos os tempos, isso em parte porque suas vítimas foram os judeus, que tem um grande poder na economia e na mídia mundial."

1. Ele não considerado um 'monstro' ou aberração por conta de "politicamente correto". Foi um dos comentários mais toscos que li pra defender a imagem do cabo Adolfo.

2. Digamos que o Adolfinho mexeu e foi responsável pela morte de muita gente, de várias nacionalidades, entre elas 1500 brasileiros. Ou seja, não precisa ser judeu pra ter alguma aversão ou repulsa da figura de Hitler. Mas só estou comentando isso pra não deixar o comentário distorcido como "visão única", até porque pro pessoal que acha que o mundo gira em torno dos judeus (tem obsessão com judeus), qualquer argumento racional que vá de encontro a esse pensamento obsessivo não tem sentido algum.

Como muita gente que não é "revi" lê os posts, vale deixar o comentário. O curioso é que alguns direitistas brasileiros vivem chamando o cabo Adolfo de "esquerdista" e tentando negar essa ode a Hitler pela direita da época, foi bom vc ressaltar essa aprovação dele pela direita, rs.

Carlos Pereira disse...

Quer você não concorde ou não eu acho que o genocídio dos judeus (criaram até o nome de holocausto, para se diferenciar dos outros genocídios), teve essa enorme repercussão por se tratar de judeus, os japoneses também cometeram genocídio na China, mas quase ninguém comenta isso, pelo contrário, o politicamente correto popular não incrimina os soldados japoneses da segunda guerra como genocidas,os japoneses são lembrados mais como vítimas da bomba atômica americana, só quem estuda a fundo está por dentro desse assunto, enquanto o genocídio dos judeus, qualquer criança sabe.Será que se os japoneses tivessem massacrado os judeus eles estariam com a barra limpa assim? eu duvido muito. Os judeus tem sim uma forte influência na mídia mundial, foram eles que fundaram Hollywood, a produção de programas de TV a cabo e via satélite tem forte presença de judeus, no Brasil a TV Globo assumiu que é pró Israel numa mensagem divulgada no wikileaks, o Silvio Santos que é judeu, disse esses tempos atrás que sua emissora é judia, o Edir Macedo por questões religiosas também põe sua emissora como pró Israel, só a Band desconheço sua posição, mas a revista Veja, cujo dono é judeu,é nitidamente anti PT, porque eu acredito que seja devido as posições politicas do PT no Oriente Médio.

Roberto disse...

"Quer você não concorde ou não eu acho que o genocídio dos judeus (criaram até o nome de holocausto, para se diferenciar dos outros genocídios), teve essa enorme repercussão por se tratar de judeus, os japoneses também cometeram genocídio na China, mas quase ninguém comenta isso, pelo contrário, o politicamente correto popular não incrimina os soldados japoneses da segunda guerra como genocidas,os japoneses são lembrados mais como vítimas da bomba atômica americana, só quem estuda a fundo está por dentro desse assunto, enquanto o genocídio dos judeus, qualquer criança sabe."

O termo Holocausto pra genocídio da segunda guerra se tornou popular com uma minissérie dos EUA com esse título "Holocausto" (em inglês obviamente Holocaust), antes disso não se usava muito esse termo embora alguns historiadores digam que usavam, mas pras massas essa minissérie tornou de fato o termo popular.

A afirmação de que isso é popular por conta de judeus é sua, vc está ignorando um monte de coisas do porquê esse genocídio têm mais implicações no "dito Ocidente" do que os ataques do Japão na China. A China é uma ditadura, muita coisa do que se passa lá não vêm a público, não é fácil de checar informações. Literatura no Japão sobre isso também é pífia já que o país até hoje não reconhece a dimensão das atrocidades que cometeu na China.

Há a distância dessas culturas pro "mundo ocidental", no Brasil mesmo havendo uma colônia japonesa grande a influência cultural japonesa é pífia, não tem muito peso. Não tem nada a ver com "politicamente correto" isso (tá com obsessão nisso). Aqui mesmo no blog tem posts sobre o Japão, só que não é fácil achar isso a menos que consigam traduzir tudo que sai no Japão pra algum idioma ocidental, e interesse também pelo assunto. O assunto Holocausto na China ou no Japão não tem a mesma relevância que tem no dito "Ocidente", será culpa dos chineses isso? (estou ironizando).

Nem todo mundo vive obsecado com esse assunto ou não vê relevância nisso no dia a dia.

"Será que se os japoneses tivessem massacrado os judeus eles estariam com a barra limpa assim? eu duvido muito."

Não existe "se" em História. Mas houve massacre de judeus no pós-segunda guerra em países árabes, você ouve falar nisso? Eu não.

Roberto disse...

"Os judeus tem sim uma forte influência na mídia mundial, foram eles que fundaram Hollywood, a produção de programas de TV a cabo e via satélite tem forte presença de judeus, no Brasil a TV Globo assumiu que é pró Israel numa mensagem divulgada no wikileaks, o Silvio Santos que é judeu, disse esses tempos atrás que sua emissora é judia, o Edir Macedo por questões religiosas também põe sua emissora como pró Israel, só a Band desconheço sua posição, mas a revista Veja, cujo dono é judeu,é nitidamente anti PT, porque eu acredito que seja devido as posições politicas do PT no Oriente Médio."

Você comete alguns erros no comentário, cita judeus, influência na mídia e Israel, nem todo judeu tem essa fixação por Israel. Vc ignora que esse assunto Oriente Médio no Brasil era ou continua sendo algo "marginal" (à margem) da pauta política do país, apesar dos radicais de lado a lado acharem que o Brasil, com uma cacetada de conflitos internos, deva se "preocupar" com Israel e aquele sanatório que é o Oriente Médio inteiro.

O problema da Veja/Abril com o PT se deu por duas questões: a Abril, dos Civitta, é neoliberal, quer criar um Estado neoliberal no país a ferro e fogo, é um grupo dogmático que defende isso ao ponto de estar indo à falência tal o grau de desmantelo que as publicações desse grupo fizeram pra demonizar o PT. Outro ponto foi a briga do Civitta com o governo federal que não quis liberar verbas pra alguma coisa deles, coisa que era habitual em governos tucanos (essa foi uma história que circulou naquele site Diário do Centro do Mundo, eu mesmo acho que não foi isso por isso mencionei a primeira questão da ideologia) e passou a atacar de forma implacável o PT e o Lula principalmente.

A origem desses ataques está longe da questão de Israel e Oriente Médio. A própria agenda/pauta nacional não vê Israel ou aqueles países do Oriente Médio como algo de grande importância exceto a questão do petróleo. Achar que o PT ou o governo estão sendo atacados por conta da postura em relação ao conflito Israel-Palestina vai da cabeça de cada um. E um adendo, eu sou de esquerda e voto no PT, embora não seja petista, não tenho a menor intenção em defender Israel nisso ou mesmo esse lixo da Abril junto com a Globo, mas não embarco nesse tipo de 'obsessão étnica' (usei esse termo na falta de um melhor). Há ataques tentando desestabilizar o país sim mas isso tem dedo do Departamento de Estado de um certo país do Norte: os EUA, Israel é secundário.

Roberto disse...

P.S. um adendo, eu acho que no outro comentário que vc deixou vc está se referindo ao Roberto Alves.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget