terça-feira, 21 de abril de 2015

O "Mises Daily" e a negação do Holocausto

Desde 2003, um certo cavalheiro vem publicando artigos no Mises Daily, que é um diário (newsletter) com artigos do Ludwig von Mises Institute (LMI), que atinge cerca de 40.000 pessoas por dia de acordo com o "Sobre" da página do LMI (sigla do instituto). Aqui está a lista de seus artigos no Mises Daily [Screenshot]. O Daily e seus assinantes não foram avisados de que esta pessoa começou uma carreira paralela na Internet como negador do Holocausto.

Este mês, o relatório do negacionista do Holocausto, Bradley R. Smith, publicou um artigo dele intitulado "Free-Riding on the Juggernaut of Conscience" (O parasitismo no Rolo Compressor da Consciência), que defende, sem citar quaisquer fontes, que, dessas pessoas que alegam ser sobreviventes ou parentes de sobreviventes do Holocausto, "a proporção de merecimento ... é minúscula." E ele prevê que
... apesar da forte saúde do Rolo Compressor e da capacidade ilimitada para sua expansão, um câncer está virando uma metástase e um dia vai quebrar seus eixos, quebrar sua sustentação e o conduzir a uma parada catastrófica súbita no centro de uma multidão, que de repente perceberá o quanto foi crédula em relação a essas pessoas por muitos anos, e de que eles têm montantes muito grandes de uma parte do que seria hoje seu próprio tesouro, além da decepção inercial da multidão sobre o Rolo Compressor e seus agora pilotos destroçados.
E conclui:
E quando a parada finalmente ocorrer, e os caronas forem jogados pela estrada entre seus antigos adoradores, aqueles que sentirem os impulsos de vingança contra qualquer um deles terão um conforto em saber que nenhum deles nunca pagou de forma alguma por seu passeio alto e poderoso, a bordo do Rolo Compressor da Consciência.
Quem é o autor desta luta livre com seus estereótipos ofensivos sobre massas de judeus parasitas?

Vejam seus perfis na Amazon [screenshot] e na Wikipedia [Screenshot], comparem os endereços de email. Ele afirma na crítica da Amazon [screenshot] que
Assim como a fumigação de roupas com gás cianeto para aliviar epidemias de tifo deu origem a acusações da realização de gaseamentos homicidas em Auschwitz, a inoculação por prisioneiros em Andersonville contra a varíola produziu encargos de que a vacina nocional foi usada para matar seus destinatários. Assim como os processos destinados à implicação de Hitler em ordenar o extermínio de populações de campos de concentração, foi secretamente oferecida a Wirz clemência se ele implicasse Jefferson Davis, presidente da Confederação, em um suposto programa de assassinar prisioneiros da guerra da União.
Ele expandiu seu "argumento" em um longo trecho de Outubro de 2009 chamado "The Last Casualty is Never Buried" (O último desastre nunca é enterrado) que pode ser encontrado em sua página no Scribd, na qual ele afirma:
"Zyklon B" é de fato o nome comercial do fumigante feito para tais fins na Alemanha desde muito antes da Segunda Guerra Mundial, quando foi ocasionalmente importado para uso nos Estados Unidos, entre outros países. Apesar da inadequação de um fumigante para fins de matar pessoas, as memórias de Hoss relatam sua ampla utilização para esse fim. É possível que Höss, ciente da prevalência e popularidade do rumor entre seus captores, comprometeu-se a apoiar a história em suas memórias, mesmo que apenas para ganhar uma curta trégua em sua sentença de morte iminente. Também é possível que esses trechos de suas memórias tenham sido escritos ou ditados por outra pessoa; Höss estava inegavelmente e totalmente à mercê dos seus captores determinados e vingativos. De qualquer forma, Höss foi executado pelo uso de um produto que havia sido introduzido no campo, pelo menos inicialmente, para aliviar a morte e sofrimento entre os presos.
Ele também postou extensivamente o negacionismo do Holocausto na página de discussão da Amazon. Ele afirma lá [screenshot] que o verdadeiro número de mortos do Holocausto é de 1.723.433. Ele também edita regularmente páginas da Wikipédia sobre luminares como David McCalden e David Irving, e também fez uma tentativa frustrada de ter a página da Wikipédia de David Cole reintegrada.

Parece que ele é apenas mais uma pessoa de ascendência germânica, cuja incapacidade de aceitar o resultado da Segunda Guerra Mundial levou-o a abraçar negação. O fato é que ele esperou até atingir a idade de 65 para 'vir a público' com essas crenças, o que não as torna menos condenáveis. Temos certeza de que o Mises Daily e seus leitores chegarão à mesma conclusão.

Não temos nenhum desejo de restringir seu direito de postar suas opiniões de negação do Holocausto e velados ataques ad hominem a judeus (basta prestar atenção no futuro sobre seus 'impulsos vingativos' sendo expressos contra eles) no CODOH ou em qualquer outro lugar, mas acreditamos que os assinantes do Mises Daily tem o direito de fazer escolhas informadas sobre quais os autores que recebem em suas caixas de e-mails.

Fonte: Holocaust Controversies
http://holocaustcontroversies.blogspot.com/2010/01/mises-daily-columnist-is-holocaust.html
Texto: Jonathan Harrison
Título original: "Mises Daily" and HD
Tradução: Roberto Lucena

segunda-feira, 6 de abril de 2015

O revisionismo neofranquista (1): guia de uso - Pío Moa

Acho que é preciso destacar que na Espanha, por volta dos anos oitenta, consolidada melhor ou pior a Transição e ainda distantes dos oito anos (1996-2004) de governo de José María Aznar, em que discutir sobre a 2ªR (2ª República) e a GCE (Guerra Civil Espanhola) era, ao menos na Universidade, um exercício de relativa unanimidade. Desterrados os argumentos da propaganda franquista, a Segunda República deixava de ser um caos anárquico de roubos, mortes e violações e se convertia em uma oportunidade de progresso perdida; o "Movimento" de regeneração nacional iniciado em julho de 1936 passava a ser considerado um golpe de Estado de livro e a Guerra Civil já não se decidia por intervenção divina, como boa cruzada, senão pelo abandono das democracias europeias frente à aliança de Hitler, Mussolini e Franco. Sinceramente, não parecia haver nada de extraordinário nisto. Toda ditadura constrói mitologias heroicas de luta e resistência por diversos motivos, e se crer nelas como se subministram requer sectarismo e ignorância em partes iguais.

domingo, 5 de abril de 2015

[HB] Sobre política e História do Brasil no blog, outro adendo

As desvantagens de um blog em relação a um site comum é justamente o fato de que, quando os posts ficam antigos, é difícil pra quem lê os posts recentes entender porque assuntos teoricamente "off-topic" (fora do escopo do blog) são abordados no blog. Exceto quando os posts são fixados como link e fica sempre em destaque, mas o formato de um blog não ajuda e não é igual a de um site comum.

Eu ia colocar um post sobre o tema do blog (segunda guerra e neofascismo) mas fica pra outra ocasião, a questão deste post é mais urgente.

Eu já comentei neste post "História do Brasil e "revisionismo" (negacionismo) do Holocausto" o porquê do assunto História do Brasil ser relevante e ser abordado no blog, não só pra cidadania de um país como para o combate do extremismo político que aflora em qualquer país que não conhece sua própria História.

Boa parte dos brasileiros (generalizando) é profundamente ignorante em relação à história do país, e não precisa ninguém me mostrar exemplos disso, eu já vi tanto comentário absurdo e estúpido sobre o Brasil e o mundo, proferido por brasileiros, que dá pra entender perfeitamente porque tem gente hoje pedindo volta de "ditadura militar" no país. Isto é fruto de ignorância e total falta de reflexão.

A falta de conscientização histórica (e má formação) e de memória é responsável por isso. Então este não é um assunto banal como muita gente tenta tratar ou quer fazer parecer crer que é.

Um povo que não tem consciência histórica de como foi formado, e do que representa como nação, está condenado a viver sempre com essas instabilidades políticas que surgem de tempos em tempos, justamente porque certos setores do país (parte da classe dominante ou "elite", como chamam) se sentirem incomodados com qualquer reforma política no país ou estarem agindo alinhados a interesses externos pra desestabilizar o país.

Eu ia colocar um post sobre as marchas dos dias 13 e 15 de março aqui e resolvi não publicar porque notei que desde a Copa havia muitos posts com assuntos atuais e pensei se não seria melhor colocar num blog à parte pra isso, por esta razão estou fazendo este post, pra comentar a coisa. Se for o caso coloco o link aqui pra lerem. Por esta razão não publiquei o post das marchas.

Eu não posso simplesmente ver um extremismo que levou o país a uma ditadura de 21 anos, que aleijou pesado uma chance do país hoje já estar noutro patamar econômico e social ao tirarem João Goulart do poder, crescer a frente dos meus olhos e não tomar posição contra isso, mostrando o que está por detrás dessa desestabilização política. Posso errar por excesso mas jamais por omissão.

Alguém pode indagar que possa ser oportunismo se usar um blog sobre segunda guerra e publicar textos referentes à História do Brasil e política atual, mas acho que não é pelo simples fato de que muitos desses fatos do passado, incluindo os da segunda guerra, vêm sendo usados por grupos extremistas na atualidade no país pra incitar rupturas da democracia e golpes de estado como se pode ver nestas imagens da última "marcha" do dia 15 de março: "Ei, PT, vai tomar no c*!"

Manifestantes de 15/03 contra a solidariedade aos professores em greve


Vale a pena ver este vídeo também: Dia 15


Isto em São Paulo, que é onde esses grupos mais articulados se agrupam por não aceitarem a derrota de 2014 nas eleições.

Revival de 1932?...

Como podem ver no vídeo, uma reação bastante "democrática". A camisa da seleção da CBF (entidade sempre envolvida em falcatruas) ser usada como símbolo da marcha é a cereja do bolo, a falta de identidade política e desorganização política total. O que demonstra o descontrole emocional deste tipo de "marcha". Curioso que um ano antes, até próximo à Copa, esse mesmo pessoal gritava "Não vai ter Copa", depois lotaram os estádios pra "curtir" o evento (com ingressos caros), e agora usam a camisa da seleção brasileira de futebol. Esquizofrenia política define.

Havia uma coisa curiosa na finada rede social do Google, o Orkut, que exemplifica este fenômeno que aparece nos vídeos. Muito forista do Orkut, nas comunidades de segunda guerra, posava de "democrata" por dizer que era "contra o nazismo" e coisas afins (o famoso "bla bla bla"), o que não quer dizer muita coisa pois muitos desses não se fazem de rogados em defender a ditadura de 1964, propaganda radical de direita atual e grupos que pedem intervenção militar no país agora.

Minha paciência com este pessoal autoritário pseudodemocrata (ou trouxa) se esgotou em definitivo. Acho ridículo que esse pessoal, como o que posava de "democrata" no Orkut, fique posando de democrata quando nunca o foram. A visão deste pessoal de democracia é algo totalmente turvo, paranoico (são altamente sugestionáveis pela mídia brasileira), manipulável emocionalmente, literalmente uma manutenção de uma tradição autoritária ibérica (e até religiosa) que pelo visto não se dão conta que estão repetindo os erros do passado continuamente numa conjuntura totalmente adversa daquela do século XX.

Estou fazendo este comentário como post por prevenção, pra que não chegue algum "esperto" com o "dedo em riste" criticando o conteúdo por não entender posts futuros (caso hajam), por eu bater frontalmente com esta pregação extremista que estes grupos vêm fazendo, pedindo Impeachment de presidente recém reeleita, a serviço de potências estrangeiras (como sempre) e grupos poderosos locais que sempre mamaram nas tetas do Estado com sonegação fiscal e contas na Suíça como no caso HSBC. Exemplos:
Bancos e grandes empresas são suspeitos de pagar propina para anular dívidas na Receita
A nota da afiliada da Globo sobre a Operação Zelotes
Operação Zelotes: Gerdau pode ter pago a maior propina
Caso HSBC
Sonegação bilionária de emissora de TV, documentário de 17 minutos

E isso foram só alguns links, tem pilhas deles com detalhes e mais detalhes. Operação esta que foi mal comentada na grande mídia, pois tocou no calcanhar da mesma. Vejam como são as coisas, quando o grupo que pilha bilhões ou milhões é alinhado com a mídia, são blindados e os casos abafados, quando é o contrário (caso da Petrobras), a coisa se torna um escarcéu diário na mídia. O caso HSBC é um escândalo internacional de grandes proporções com bilhões desviados há décadas e mal é comentado pela mídia que omite a lista inteira de contas do banco.

É tanto podre do pessoal/grupos "anticorrupção" "indignados" (incitados pela grande mídia oligopolizada) do dia 15 de março que chega a ser deprimente ver gente se deixar se manipular por isto. O rombo fiscal disso aí supera o escândalo da Petrobras, atacada por ser estatal pela mídia oligopolizada e por seus tentáculos políticos no congresso querendo entregar o pré-Sal a grupos privados estrangeiros, usando a questão da corrupção com empreiteiras para atacar. Se o povo brasileiro fosse mais informado (mas pode ser, sempre é tempo de ser) e menos manipulável por mídia tendenciosa, veria o que está por trás destes ataques constantes a Petrobras e o silêncio criminoso sobre estes casos acima.

Fico imaginando uma TV nos Estados Unidos (país cultuado por esses cidadãos como "modelo", um dos países mais desiguais dos ditos desenvolvidos) sonegando imposto pro fisco. O que aconteceria? Prenderiam os donos por sonegação com penas grandes (30 anos, algo assim), tentariam recuperar o dinheiro desviado e a TV seria liquidada. Não entendo a covardia do governo em não citar abertamente o nome dessas emissoras.

Fica o aviso dado. Eu não pretendo agradar A ou B com os posts sobre assuntos atuais, se alguém quiser discutir segunda guerra, sem problemas, mas sem panfletagem ordinária nível "revi". Não são só os ditos negacionistas do Holocausto que fazem "revisionismo" da segunda guerra.

Acho relevante comentar esses assuntos aqui já que não concordo com muita coisa que saem em blogs com mais audiência e com a mídia oligopolizada do país. Se você pode publicar o que pensa (e sabe) pra que esperar que terceiros "falem" por você? E que falem muitas vezes de forma equivocada ou algo que você não concorda?

Sempre aparece gente "pulando de paraquedas" no blog (um exemplo recente aqui) com críticas absurdas, e em boa parte dos casos com grosseria, então fica o aviso de que nem sempre, dependendo do humor do dia, a pessoa pode responder de forma educada certas grosserias. Então, por favor, não vale chorar depois alegando que não foi avisado posando de vítima, pois vítima que ataca antes não é vítima. Sem esta de quererem posar de vítima se atacam antes, comigo esse tipo de postura não dura.

Sobre Oriente Médio, a quem quiser saber minha posição sobre isso, confiram os links aqui:
Os conflitos do Oriente Médio e os "revisionistas"
Tag Oriente Médio

Digo isso porque recentemente veio gente escrever bobagem sobre o assunto exigindo que eu e/ou o pessoal do blog (aí fica pra eles emitirem a opinião deles, se quiserem) tivessem postura "x" com Israel (foi isso que deduzi mesmo com uma afirmação cheia de erros) porque muçulmanos são assim e assado.

Eu pergunto: não é petulância extrema alguém vir nesses termos discutir, sem nunca ter discutido antes no blog, vir cobrar que a gente tenha postura tal sobre um assunto? Não diria que é só petulância, é falta de noção extrema mesmo.

De onde esse pessoal tira que eu ou o pessoal do blog somos obrigados a ter postura tal com Israel, muçulmanos etc? Com base em quê alguém que nunca discutiu com você chega te cobrando algo?

Eu realmente não gostei do comentário, pois representa uma cretinice fora do comum e uma petulância sem igual, respondi onde lhe foi feito. Isso não deixa de ser fruto em parte dessa ignorância e extremismo que assola o país atualmente. Até radicalismo importado sobre conflito no Oriente Médio andam trazendo. É literalmente o fim da picada. Quem ler o post sobre Oriente Médio vai entender porque comento essas coisas.

Essas pessoas precisam entender que há muitos brasileiros no Brasil (eu me incluo nisso) que não veem o mundo por essa ótica de "complexo de vira-latas" que muita gente no país manifesta, portanto, não tomarei qualquer postura política com base no que grupos nos EUA tomam, Europa etc, e sim por uma ótica brasileira. Se alguém não gostar disso? Simples: procurem o porto e aeroporto mais próximo e vá se alistar no exército do país da preferência de vocês. Resolvida a questão. Mas este recado é direcionado aos brasileiros apenas: comportem-se como brasileiros, parem com essa mania chata de acharem que são cidadãos do mundo quando não são, ninguém é, todo mundo nasce em algum canto e tem ligação histórica com algum país, mesmo tendo ideais humanistas etc. Tá na hora dessas pessoas pararem com esse comportamento pueril, infantilizado, pois está se chegando a um limite essa idiotia voluntária.

Tem uma vertente "liberal" (é assim que se proclamam ou se rotulam) que mais de uma vez se estourou porque vêm com aquelas idiotices (panfletos) de "nazismo de esquerda", de "fascismo estatal", de "liberalismo santo" e bobagens panfletárias do tipo, e isto está no mesmo nível de panfletagem do que um PSTU prega. Isso é distorção histórica pra fins políticos.

Fiz vários posts sobre o autoritarismo histórico dos liberais (coisa omitida por esses grupos), mas as referências estão todas lá nos textos, caso alguém queira rebater. E fiz porque, ao contrário do que é disseminado no Brasil (mas fora do país também, e bastante), o liberalismo tem mais ligações com o fascismo (ler este post e esta tag Liberalismo) do que muita gente pensa.

Afinal, aonde foram parar os liberais/industriais da Europa, que não eram judeus, durante o nazismo? Evaporaram? Ou estavam ganhando muito dinheiro com a guerra? Trabalho escravo no nazismo: tag trabalho escravo e empresas.

Como podem ver, é um assunto totalmente ligado à segunda guerra.

A discussão aqui é sobre História, então deixem a panfletagem de lado um pouco e se atenham aos fatos, ou pelo menos não saiam chutando com aquela arrogância típica que muitos usam pois não dou a mínima pra essa postura pedante incentivada por certos astrólogos neocons.

Mas pra encerrar, deixa eu dar uma de "coxinhada" ao avesso aqui: só no Brasil uma figura ridícula dessas ganha contornos de "algo sério" ou é levado a sério (vale a pena ver esse vídeo rebatendo algumas sandices da figura). Vale a pena também ler isto, isto e isto.

Daí se tira o grau de ignorância de parte da população. E ao contrário do PT, que falhou pesado na questão do ensino básico (refiro-me ao PT porque está à frente do governo federal há 3 mandatos e no começo do quarto), eu não sou nem um pouco tolerante com essa ignorância pedante que se propagou no país, uma ignorância misturada com falta de educação e boçalidade, um orgulho em ser ignorante e repetir besteiras anticientíficas, extremismo e clichês da guerra fria por não compreender o mundo atual (e não procurar compreender, por só ler porcarias e idiotices conspiratórias) e viver em estado de paranoia constante.

Observação: irei fazer uma revisão do texto pra corrigir os erros e tentar resumir certas partes.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget