domingo, 22 de janeiro de 2017

Sobre a vitória de Trump nos EUA e o "jornalismo de torcida" histérico da Globo (e mídia nativa golpista). Análise sobre a crise interna nos EUA por James Petras (no link)

Acho que muita gente tem visto e se espantado com a "cobertura" raivosa, enviesada e histérica (terrorismo psicológico) feita pela Rede Globo (destaco essa sempre porque o resto da mídia no país sempre foi um "traço" seguindo a "agenda" que geralmente essa impõe) sobre as eleições nos EUA e mais sobre o pós-eleição naquele país, além da posse de Trump.

*A quem quiser ler logo a análise do Petras, este é o link (colocarei este link de novo, mais abaixo, dentro do contexto do post pois pode ser que mão queiram ler o post então leem a análise, que é bem relevante):
Pela primeira vez, Estados Unidos experimentam o golpismo ao estilo latino-americano

Só um adendo pertinente: mão temos mídia no Brasil, encare isso como algo sério e não retórico. Em um cenário desses os blogs (dependendo da qualidade, há centenas, milhares deles) prestam um serviço à população, mesmo que não haja reconhecimento de muitos disso, e inclusive "estrelismo" e "vista grossa" até de outros sites e blogs com alguns blogs de política e/ou história. O que temos de "mídia" razoável são lampejos na internet de sites que contrapõem essa "grande mídia", a "grande mídia" que só defende interesses econômicos dos setores mais ricos do país ou às vezes nem isso, pois a mesma faz uma defesa de entrega do patrimônio do país (entreguismo) a corporações privadas estrangeiras ou mesmo estatais estrangeiras, ataque a direitos trabalhistas (do povo) e todo tipo de patifaria contra a maior parte da população.

Aos que acham (ou achavam, tem muita gente que tinha "muitas certezas" nesses últimos anos e cada uma dessas "certezas" está vindo abaixo à medida que o governo golpista destrói de fato o país... se meter em briga política graúda sem entender o que se passa, dá nisso... da próxima, tenham mais cautela...) que o maior problema do país é a corrupção, tudo isso que relatei acima sobre a mídia e defesa de interesses de corporações ricas é a "mãe da corrupção" e dos grupos históricos corruptos do país, por isso que sempre fui cético e me manifestei contra àquelas manifestações falsas com camisas da CBF "em defesa do país" (entre aspas, não houve defesa alguma e sim entrega do controle do país ao que há de pior nele: a gangue do PSDB e a parte neoliberal do PMDB, braços políticos da Globo no congresso nacional). Não é exagero o que vou dizer: quem manda neste país desde a redemocratização (em 1985) é a Rede Globo, com um lampejo (uma "pausa" breve em que o carisma político de uma liderança abafava esse domínio televisivo da Globo) nos dois governos Lula, e para por aí.

Voltando ao tema inicial, a Rede Globo de Televisão (o grupo como um todo, pois abrange rádios, jornais, TV a cabo etc) sempre foi ideologicamente alinhada ao Partido Democrata dos EUA, pelo menos de forma mais destacada desde o golpe de 1964, o golpe que instaurou uma ditadura no país de 21 anos. Caso Time-Life/Globo [PDF] [Matéria].

Governo norte-americano participa do golpe militar no Brasil (EBC, Brasil)
Democracia Interrompida (EBC, Brasil)
Pouco antes de seu assassinato, Kennedy discutiu ação militar para tirar Jango da Presidência (Arquivos da ditadura, Brasil)
Filme revela como EUA deram o Golpe de 1964 (Conversa Afiada/IG, Brasil)
31 de Março de 1964: deflagrada a ‘Operação Brother Sam’ (Jornal GGN, Brasil)
O encontro entre o embaixador Lincoln Gordon e Roberto Marinho em 1965 (Jornal GGN, Brasil)

Entrevista exclusiva de Hillary Clinton a esta emissora
em seus estúdios em São Paulo (Brasil)
O golpe de 2016 no Brasil foi dado também em um governo Democrata nos EUA, e começa (pra valer) em 2013 com aqueles "levantes/marchas" malfadadas de 2013, que gerou e propagou essa instabilidade no país, colocando literalmente o país abaixo e no estado de "coma" atual. Estragou e eclipsou os dois eventos no país (a Copa e as Olimpíadas), depôs presidente democraticamente eleita, arrasou o PIB do país comprometendo-o por pelo menos 10 ou 20 anos e por aí segue o estrago.

Se você acha que não será atingido por esse desmonte do Estado, é questão de tempo chegar até a você, mas o estrago chegará. Nem se iluda de que sairá "ileso" de toda essa "lambança", quer por participação ou omissão.

A Globo é a cabeça principal do golpe de Estado civil de 2016, sem ela os outros grupos golpistas sequer teriam visibilidade ou força. A Operação Lava Jato (ou seria Vaza a Jato?) que sempre livrou a cara de tucanos (protegendo-os) só tem a força que tem graças a esta emissora blindando o "juiz principal" da mesma. Operação "Cavalo de Troia", que usa o "combate à corrupção" pra destruir empresas nacionais e milhares de empregos pra abrir mercado pra multinacionais estrangeiras, que praticarão corrupção igual ou pior, sendo que o dinheiro conseguido por essas empresas não ficará no país, o grosso será enviado pro país sede delas (gerando riqueza pra outros países, não pro povo brasileiro).

A Globo tinha crença absoluta que Hillary Clinton, ligada às forças mais belicistas e financistas dos EUA (o grupo neocon que fez a guerra no Iraque com W. Bush a apoiou na última eleição), venceria fácil as eleições nos EUA.

A Globo chegou a repetir na véspera da eleição dos EUA que "pesquisas davam como certa vitória de Clinton com 99%" (em seu canal fechado, GloboNews, que eu chamo "carinhosamente" de GolpeNews). Que é o que chamo ironicamente de "jornalismo de torcida", pois isso não é "jornalismo" e sim "torcida de futebol" (claque) distorcendo fatos pro lado que "torce" (levantando bandeira), não narrando os fatos de forma adequada mostrando os dois lados (ou quantos lados houver).

Pois bem: quem venceu a eleição? Donald Trump (risos).

Querem ver o descontrole (ou rever)? Isto aqui foi durante a campanha dos EUA, repórter da Globo com raiva de Trump se descontrola e solta um "put* que pariu" (é o novo "padrão Globo de qualidade", hahahaha).



A "cobertura" feita pela GloboNews (GolpeNews) sobre os EUA, desde então, tem sido disso pra baixo, torcida mesmo e ressentimento pela vitória do candidato republicano. Mas por quê tanto desespero com uma eleição em outro país? Abaixo você entenderá.

O que provoca mais confusão na questão é também a estupidez da direita nativa de internet (ou senso comum) chamando a Globo de "esquerda" por não apoiar Trump, sem entender a divisão política dos EUA e a do Brasil, sem entender o confronto ideológico de grupos antagônicos até mesmo dentro de um mesmo espectro político. Existe uma direita real, partidária, empresarial no país, e uma direita "trololó" caricata e raivosa (muito idiotizada, despolitizada, com discurso vazio e entreguista, com viés anti-nacional) composta por gente de classe média, com slogans moralistas e simplistas. Embora também haja grupos com esta mesma mentalidade e com poder, vide a FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo).

A vitória de Trump provocou um surto de histeria na malta golpista (estou destacando a Globo, mas não foi a única, mas é mais surtada desde então, o panfleto da Editora golpista Abril, a Veja, também está descontrolada) que não conformada com o resultado passou a atacar o candidato republicano de todas as formas possíveis, achando que tem "poder" (pausa pro riso de novo, hahahaha) de interferir no cenário interno dos EUA com essa postura, deixando mais perplexa ainda a já tosca e confusa direita "trololó" UDN de classe média que apoiou o golpe no país como "manada" desta emissora.

Por que este descontrole/histeria ocorre na Globo?

Provavelmente porque a articulação do golpe de Estado de 2016 é/era totalmente ligada ao governo Obama, e pode ter sido desmontada ou está em vias de ser. Além do Brasil e América do Sul não serem prioridade ou não interessarem ao atual governo eleito dos EUA.

Sem alguma articulação externa (apoio, suporte) é difícil um golpe desse tipo vingar em um país de dimensões continentais (ou em qualquer país). Essa elite entreguista e bananeira do Brasil sempre foi ridícula e anti-nacional demais (a questão nacional na América do Sul difere da Europa) pra fazer algo dessa monta por "conta própria", posso estar sendo duro mas os acho estúpidos demais até pra executar um negócio desses por "conta própria", sem apoio externo, e o envolvimento dos Estados Unidos na política interna dos países da América Latina é conhecido e remonta até antes da segunda guerra.

Não existe golpe desse tipo sem apoio externo, sem isso a malta que deu o golpe fica totalmente à deriva.

Entenderam o descontrole da mídia e do governo golpista depois da eleição de Trump? Vem dessas questões.

O que relato acima não se trata de uma defesa de Trump, mas ele foi eleito de forma legítima, e não posso concordar com essa agenda golpista, antidemocrática, enganosa dessa emissora que sempre tentou pôr abaixo a soberania do país com ajuda ou cumplicidade de outros grupos fortes no país (e de fora). Como também é uma agenda não só dessa emissora como de grupos "controvertidos" que dizem "representar" minorias fora, mas que já vimos o filme por aqui no que deu (desde 2013, o saldo de desgraça ao redor do mundo, vide também as tais "Primaveras árabes").

Na posse de Trump apareceram finalmente os "Black Blocs" nos EUA, com o mesmo quebra-quebra que fizeram no Brasil, Egito e outros países. Parece que o mesmo núcleo do golpe está agora ocupado tentando implodir o governo dele nos EUA, de certa forma é algo inédito (é disso que trata um link que deixarei abaixo).

Gente como esse cidadão (George Soros), que à parte os devaneios de "grupos de teoria da conspiração", não vale absolutamente nada mesmo, andou dando declarações terríveis. Uma declaração dessas é coisa típica de quem não tem apreço algum à democracia ou países e só a interesses privados:
Soros. Donald Trump “é um aspirante a ditador” e “vai cair” (Observador, Portugal)
Soros: Trump “é um aspirante a ditador” e “vai cair” (Jornal Económico, Portugal)
George Soros: Theresa May won't last and Trump is 'would-be dictator' (The Guardian, Reino Unido)
George Soros: Donald Trump 'will fail' and Theresa May's Brexit could 'last three days' (The Independent, Reino Unido)

Se quer entender um pouco mais da "fúria" dele com a vitória de Trump, dê uma lida:
Soros perdeu quase US$ 1 bilhão após eleição de Donald Trump

Quer saber das ligações de Soros com o Brasil e o narco-partido (PSDB)? Dê uma lida pra recobrar a memória (brasileiro é ruim de 'memória', por isso que sempre é enrolado):
Armínio Fraga: 'guru anticrise' ou 'vassalo dos mercados'? (BBC Brasil)
Armínio planejou ataques especulativos para Soros (Carta Maior)
Como Arminio Fraga explodiu a economia em 2002 (Jornal GGN)

Assistiu a grande mídia do país noticiar essas coisas?

Penso que não viu (e nem verá). Pode ser que com essas críticas eles resolvam noticiar essas coisas (estou chutando, sendo "benevolente"), mas até o momento não saiu nada (e nem espere muito, o noticiário é manipulado).

A vitória de Trump "parece" simples de analisar, mas não é, e você não encontrará nada de relevo assistindo essa mídia "vendida" do país, que deu o golpe contra o próprio país (e contra a maior parte da população, que também tem culpa no que se passa por não ter se levantado e se posicionado contra), alinhada ao grupo derrotado nos EUA.

O discurso vitimista "politicamente correto" também sofreu sérios danos. Em relação a qualquer claque que venha me acusar (e a outros) de sermos "parte" desse tipo de grupo, eu nunca nutri qualquer simpatia a partidos como PSOL, PSTU alinhados com essa baboseira ideológica importada dos Democratas (liberais dos EUA), que a meu ver é o ápice do discurso de domínio neoliberal no mundo, carcomeu até partidos de esquerda históricos pelo mundo com essa retórica aparentemente "bondosa" mas que nunca resolveu problema de preconceito algum (e nem vai resolver), e só fez confundir e pregar autoritarismo.

Combate a preconceito se faz com o livre debate mesmo. Eu fui um dos últimos a aderir à questão que o Roberto Muehlenkamp e a turma do Holocaust Controversies colocava sobre a questão do livre debate e os negacionistas (meu ponto de vista era só restrito à questão da negação do Holocausto, revi até esse ponto), mas posso dizer que eles estavam certos sobre a questão, somente a discussão com argumentos, sem censura, livre, combate certos discursos.

Sem mais delongas, deixo aqui uma análise/entrevista do sociólogo norte-americano James Petras sobre a divisão interna dos EUA com a eleição de Trump, mostrando a briga interna dos EUA. Não vou cravar que é algo inédito (a disputa interna intensa nos EUA, embora a forma atual seja), os anos 60 e 70 foram turbulentos e já teve mais disputa de poder pesado com morte de presidentes (e candidatos) por lá (pros que pensam que a Democracia dos EUA é "perfeita", é só aparência, mexeu com o poder da elite 'hardcore', o "pau come", literalmente), entrevista que sai do lugar comum e detalha realmente o que se passa naquele país.

Pentágono x CIA

"Pela primeira vez, Estados Unidos experimentam o golpismo ao estilo latino-americano"
http://cartamaior.com.br/?%2FEditoria%2FInternacional%2FPela-primeira-vez-Estados-Unidos-experimentam-o-golpismo-ao-estilo-latino-americano%2F6%2F37488
"A CIA, que está se metendo na política doméstica, participa de uma conspiração para negar a decisão constitucional da eleição de Donald Trump."

James Petras
Não localizei o site original, mas a entrevista foi dada pra Rádio Centenário do Uruguai (consta na matéria a informação). Saiu em dezembro passado, mas não foi possível colocar no blog antes.

Entrevistas como essa dificilmente serão mostradas pela Globo (em todos os seus veículos de mídia) e pela "grande mídia" do país (refiro-me ao resto que disputa o "traço" de audiência). O interesse desses grupos é outro, no momento acham que demonizando Trump mudarão algo internamente no Brasil. São uma piada grosseira. Mas não é só eles a fazer isso, a mídia europeia dita "progressista" em geral tem feito a mesma coisa, jornais como o The Guardian chegam ao ridículo com a questão, o "El País" (Espanha) é outra piada de mau gosto. Haja alinhamento e dinheiro liberal com essa mídia, cada vez mais desacreditada pela ausência de jornalismo e muito "jornalismo de torcida" pra manipular resultados.

E mais uma vez faço um apelo pra discussão em um nível mais apurado em vez da discussão "de piti" protagonizada por aqueles grupos de olavetes/coxinhas (essa direita tosca entreguista liberal de internet) e essa turma "pós-moderna" psolista que só fazem encher a paciência, no fundo são farinha do mesmo saco. Política graúda não tem lugar pra "paixões" pueris de grupos toscos. O Brasil definitivamente não é pra "amadores", para as duas partes toscas da briga, parem de querer se meter em briga graúda sem entender o que de fato se passa, sem entender a geopolítica por detrás desses episódios, todo "voluntarismo" costuma ser punido de forma pesada pelo "rolo compressor da História", essa ideia de vocês (e de boa parte da população) de que brigas em países (grandes como o Brasil) são só "assunto interno" é de um provincianismo ridículo (patético, ingênuo), e tudo isso tem implicações bem sérias na vida de milhões, poderemos pagar (ou provavelmente pagaremos) caro por décadas por toda essa lambança que começaram em 2013.

P.S. depois colocarei os links (e informações adicionais) de alguns trechos com citações pois vou ter que procurar as matérias (resolvi publicar o post assim mesmo)

P.S. 2 assistam o vídeo pois não garanto que fique no ar pra "sempre", a Globo sempre tenta tirá-los do ar (rs)

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.