terça-feira, 5 de maio de 2009

Respostas Técnicas e Históricas às declarações do Bispo Richard Williamson à respeito do Holocausto - Parte 2

(todos os grifos do tradutor)
Bispo Williamson: Você já ouviu falar do Relatório Leuchter? Bem, Fred Leuchter era um expert em câmaras de gás. Ele projetou três câmaras de gás para três estados, três dos cinqüenta estados Americanos, para a execução de criminosos. Então ele sabia em que estava envolvido. E ele estudou as supostas câmaras de gás na Alemanha, em algum momento da década de 80, nas ruínas das supostas câmaras de gás, os crematórios de Auschwitz-Birkenau e sua conclusão, sua conclusão de perito foi que era impossível que estas poderiam ter sido utilizadas para gasear um grande número de pessoas.

Análise: O Bispo Williamson está terrivelmente mal informado. Fred Leuchter dificilmente pode ser chamado de perito na tecnologia de câmaras de gás, muito menos engenheiro. Quando ele foi pego mentindo sobre suas experiências como engenheiro especializado em tecnologia de execução, o Board of Registration of Professional Engineers and Land Surveyors [NT: seria uma entidade com atividade semelhante à do CREA aqui no Brasil] do Estado de Massachusetts, o processou por fazer falsas alegações sobre sua experiência. Ele assinou a seguinte declaração em 11 de junho de 1991:

Eu, Fred A. Leuchter Jr., estou concordando em cessar e desistir imediatamente [do que estava a fazer], enquanto eu estiver em Massachussets e permanecer sem registro nos termos do G.L. c. 112, a.81D-T:


1) Usando de qualquer modo o título de “engenheiro”,


2) Oferecendo a prática de engenharia por alegação verbal, sinal, propaganda, papel timbrado, cartão ou de qualquer outra forma de apresentar-me como engenheiro, ou de qualquer outra forma oferecer a prática da engenharia conforme definido no G.L. c112, enquanto estiver na Commonwealth de Massachussets.


3) Praticar engenharia, tal como definido no G.L. c112. S81D-T enquanto estiver na Commonwealth de Massachusetts.


4) Emitindo ou distribuindo quaisquer relatórios que tem a mim mesmo como engenheiro ou alternativamente fornecendo engenharia especificamente, não somente limitado ao “Um relatório de engenharia sobre as alegadas câmaras de execução a gás de Auschwitz, Birkenau e Majdanek”.
http://www.holocaust-history.org/leuchter-consent-agreement/
http://www.holocaust-history.org/leuchter-consent-agreement/scans.shtml



“Posso informa-vos, entretanto, que San Quentin não contratou Fred A.Leuchter Jr para a instalação do sistema de monitoramento cardíaco tampouco para outro trabalho.” Assinado: DANIEL B. Vasquez, Warden (California).


E


Além disso, nossos registros não confirmam que o Sr.Leuchter realizou consulta ou qualquer serviço...Eu posso atestar que o planejamento e o trabalho foram executados pelo Departamento de Correção – Seção de Engenharia e nosso departamento de manutenção.” Assinado: Gary T. Dixon, Warden (Carolina do Norte)


O único estado que Leuchter alegou que foi consultado sobre câmaras de gás foi o Missouri. No entanto, embora Leuchter tenha alegadamente “projetado” uma câmara de gás para o Estado, nós temos que ter alguma palavra sobre ela, uma vez que esta câmara de gás, nunca foi construída e instalada, na verdade, o Missouri não tem câmara de gás operacional, embora Leuchter alegadamente projetou uma para eles...

Leuchter também é um achacador:

Em 20 de julho de 1990, o Assistente do Procurador Geral do Alabama, Ed Carnes, enviou um memorando para todos os estados que aplicam a pena de morte, questionando as credenciais e a credibilidade de Leuchter. Carnes declarou que não só o ponto de vista sobre as câmaras de gás seria um processo “não ortodoxo”, mas que ele estava executando um plano de extorsão de dinheiro. Se um estado recusou seus serviços, Leuchter poderia testemunhar no último minuto, em nome do preso, alegando que a câmara de gás do estado poderia não funcionar. [Memorando deEd Carnes, Assistente do Procurador Geral do Alabama, para todos os Estados que executam pena de morte, 20 de Julho 1990; Shapiro 'Truth Prevails' páginas 17 e 21; Newsweek, 22 de outubro 1990, p. 64; Swampscott Journal, 1 de novembro, 1990.] De acordo com Carner, Leuchter faz 'dinheiro de ambos os lados da cerca.' [Associated Press, 24 de outubro de 1990.] Descrevendo o comportamento de Leuchter na Virgínia, Flórida e Alabama, Carnes observou que, em menos de trinta dias Leuchter havia testemunhado nestes três estados que a tecnologia da cadeira-elétrica era muito velha para ser usada. Na Flórida e Virgínia os tribunais federais rejeitaram o testemunho de Leuchter como não confiável. Na Flórida, o tribunal tinha considerado que Leuchter ‘citou incorretamente declarações’ contidas em um importante depoimento e foi ‘imprecisamente e não conclusivo’ uma premissa crucial de sua conclusão [Carnes, Op.Cit.,2] Na Virgínia, Leuchter municiou um advogado de um prisioneiro do corredor da morte com uma declaração afirmando que a cadeira-elétrica seria um
fracasso. O tribunal da Virgínia decidiu que a credibilidade do depoimento de Leuchter era limitado porque Leuchter foi “o contratante que recusou proposta para substituir os eletrodos da cadeira-elétrica da Virgínia. [Shapiro, "Truth Prevails, 22]." (Lipstadt, 170)
http://www.nizkor.org/faqs/leuchter/leuchter-faq-22.html


Leuchter nunca disse ou publicou alguma coisa sobre ter sido considerado suspeito.

Próximo >> Respostas Técnicas e Históricas às declarações do Bispo Richard Williamson à respeito do Holocausto - Parte 3
Anterior << Respostas Técnicas e Históricas às declarações do Bispo Richard Williamson à respeito do Holocausto - Parte 1

10 comentários:

Leo Gott disse...

Leuchter nunca disse ou publicou alguma coisa sobre ter sido considerado suspeito.

Quem cala consente. Eis o caráter do "expert", o homem que "derrubou o mito". Bullshit.

Diogo disse...

«No entanto, embora Leuchter tenha alegadamente “projetado” uma câmara de gás para o Estado, nós temos que ter alguma palavra sobre ela, uma vez que esta câmara de gás, nunca foi construída e instalada, na verdade, o Missouri não tem câmara de gás operacional, embora Leuchter alegadamente projetou uma para eles...»


Lembra-me a câmara de gás de Dachau.

Leo Gott disse...

Lembra-me a câmara de gás de Dachau.

Aquela que você insiste em não entender o que já foi explicado várias vezes.

Diogo disse...

Leo Gott, você quer-me explicar o que foi Dachau?

A metamorfose da câmara de gás de Dachau:

http://citadino.blogspot.com/2008/11/dachau.html

Roberto Lucena disse...

Fred Leuchter não é aquele "revisionista" que se apresentou como engenheiro mas que ficou comprovado que o mesmo não era engenheiro(fraude, um mentiroso) e mesmo assim os "revis" distribuem o relatório fraudulento dele como se fosse um documento sério ou "a verdade histórica"?

Leo Gott disse...

Diogo,

Leo Gott, você quer-me explicar o que foi Dachau?

Eu não, mas se você ler este artigo do Harry Mazal, diretor do THHP acho que suas dúvidas serão sanadas, se quiser é claro:

http://www.holocaust-history.org/dachau-gas-chambers/

Diogo disse...

Leo Gott,

Convinha que você lesse com alguma atenção os links que aqui apresenta. Do seu link:

«This gas chamber was never set in action in Dachau. Only the dead were brought to the crematorium for 'burning', no living for 'gassing'.»

Diogo disse...

«Roberto Lucena disse...
Fred Leuchter não é aquele "revisionista" que se apresentou como engenheiro mas que ficou comprovado que o mesmo não era engenheiro(fraude, um mentiroso) e mesmo assim os "revis" distribuem o relatório fraudulento dele como se fosse um documento sério ou "a verdade histórica"?»


No New York Times - October 13, 1990:

But equipment and skilled help are hard to find these days. ''A lethal injection machine is not an off-the-shelf product,'' said Gail Hughes, deputy director of the Missouri Department of Corrections. ''Leuchter was the only person to bid for the contract to make the machine, so we gave it to him.''

In an admiring look at Mr. Leuchter in May, the ABC News program ''Prime Time Live'' called him ''Dr. Death, the country's reigning expert on execution.''

http://www.nytimes.com/1990/10/13/us/making-execution-humane-or-can-it-be.html?sec=&spon=&scp=2&sq=Leuchter%201990&st=cse&pagewanted=2

Isto são os "revis" do New York Times.

Abraço

Roberto Lucena disse...

"No New York Times - October 13, 1990:

Isto são os "revis" do New York Times."


E continua a pergunta de pé: cadê o atestado de que o Leuchter é engenheiro? Admira-me um "revi" querer insistir neste ponto mesmo sabendo que ele não é engenheiro(e alegou ser, mentiu), pra demonstrar a todos o "apreço pela verdade" da seita "revisionista".

Continuo no aguardo de que Vossa Senhora consiga provar que o Leuchter é engenheiro.

Roberto Lucena disse...

"Leo Gott,

Convinha que você lesse com alguma atenção os links que aqui apresenta. Do seu link:

«This gas chamber was never set in action in Dachau. Only the dead were brought to the crematorium for 'burning', no living for 'gassing'.»"


Mas não foi isso que você perguntou, você pediu uma explicação e ele lhe deu um link pra que você mesmo leia. E você novamente picota trechos e não diz nada sobre o que pensa deles, só solta a coisa no ar pra lançar dúvidas mas sem dizer muita coisa ou quase nada sobre as mesmas.

A pergunta foi direcionada ao Leo, mas me antecipo: podes explicar o que "não entendeste" do texto?

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget