sábado, 27 de novembro de 2010

Museu de Auschwitz lançará site sobre o Holocausto

Berlim, Alemanha.- Um programa de estudos sobre o Holocausto e o antigo campo de extermínio de Auschwitz, estará online a partir de amanhã, quinta-feira, com informação confiável e completa desse episódio da Segunda Guerra Mundial.

Trata-se de um projeto piloto de ensino que tem por objetivo educar sobre a perseguição e o assassinato sistemático e organizado de milhões de judeus por parte do regime nazi, anunciou o Museu de Auschwitz.

Segundo o website do Museu, o programa - elaborado em colaboração com o Centro Internacional de Educação sobre o Holocausto e Auschwitz - está sendo desenhado para ajudar as pessoas a entenderem melhor essa passagem da história ante os desafios do mundo moderno.

Os conteúdos do programa, cuja primeira fase será na Polônia através de uma plataforma da web, dividem-se em duas partes, uma sobre o Holocausto e a outra sobre o campo de extermínio, construído durante a Segunda Guerra Mundial pela Alemanha nazi no sul da Polônia ocupada.

Ali, pereceram aproximadamente 1.1 milhão de homens, mulheres e crianças judias, incluindo uma grande maioria de diversos países da Europa, entre 1940 e 1945.

O projeto nasceu da necessidade de conhecimento confiável e completo, respaldado pela autoridade do museu sobre esse capítulo da história, já que “na internet há informação pouco confiável e falsa, ou com frequência incompleta”, pontualizou o Museu.

Fonte: Notimex/Provincia(México)
http://www.provincia.com.mx/24-11-2010/102647
Tradução: Roberto Lucena

16 comentários:

Fides disse...

Com cada vez menos gente acreditando no holoconto a turma tem mesmo que modernizar o marketing.

Fides disse...

Com cada vez menos gente acreditando no holoconto a turma tem mesmo que modernizar o marketing.

Stefano disse...

até 1990, a placa de Auschwitz dizia que morreram 4000000.... por que o n° de mortos despencou pra 1100000 ?

Daniel disse...

Interessante a medica, pois como as proprias palavras “na internet há informação pouco confiável e falsa, ou com frequência incompleta”.
Isso resume tudo.

Roberto disse...

Aviso único pro Stéfano, é a última postagem desse fake "Fides" aqui e eu sei que "ele" só posta "junto" com você.

Não mais aprovarei mensagens desse fake. Vocês(ou você) já havia sido avisado antes sobre isso e ignoraram o alerta, agora vem a ação de não mais tolerar mensagens enviadas por esse fake.

Roberto disse...

"Stefano disse...
até 1990, a placa de Auschwitz dizia que morreram 4000000.... por que o n° de mortos despencou pra 1100000 ?"


E quem disse que o número de mortos é medido por uma placa? Você já sabe da história. Quem cuidava desse campo na época eram os soviéticos e foram eles quem colocaram esse número mesmo ignorando o que historiadores do tema como o Hilberg diziam sobre Auschwitz.

Mas só respondi a você porque tem gente que não sabe dessa história da placa e fica achando que alguém "escondeu" a verdade por conta da malícia revimané habitual, embora não dê vontade de responder a você pois visivelmente você leva esse assunto na brincadeira.

É só ver a diferença de "tratamento" nos seus comentários a respeito da Ustasha e agora aqui nesse post sobre Auschwitz, duas "personalidades" pra discutir o mesmo assunto, não dá.

Roberto disse...

"Interessante a medica, pois como as proprias palavras “na internet há informação pouco confiável e falsa, ou com frequência incompleta”.
Isso resume tudo."


De fato concordo com o diagnóstico, só não sei se eles vão de fato fazer algo que resolva isso pois não vejo nenhuma dessas instituições lançarem algo de peso sobre o assunto, só coisas triviais e ignorando a questão do negacionismo(adotando a postura de "ignorar" a existência dos caras sem dar nome aos bois, isso não é recomendável, é subestimar o poder de alcance da internet, eles agem ainda como se estivessem na Guerra Fria e o mundo hoje é outro).

O que rola nos sites desses museus são coisas triviais, básicas(até aí normal, pois senão sobrecarregaria de informação quem visita o site e só vai se informar superficialmente mesmo, que é a maioria das pessoas), mas poderiam colocar a disposição das pessoas mais interessadas com o assunto, livros, ensaios e material online como aquele site The Holocaust History Project fez com o do Pressac e outros.

Isso sim é algo mais recomendável do que só lançar mais um site com o básico do Holocausto. É aguardar pra ver se eles vão fazer algo de fato diferente ou se é mais do mesmo, algo parecido com o que já existe(como o do Yad Vashem ou o do USHMM). Se for só mais um site institucional, o alcance disso será bastante limitado.

Daniel disse...

Vendo pelo lado que você expôs, é verdade, poderá apenas ser mais um site sobre o Holocausto. MAs vendo por outro lado,como hoje em dia, na quantidade de site revi e informações erroneas que saem ai pela net diarimente, um site oficial sobre Auschwitz seria uma fonte mais confiável para leigos, em vez de entrarem em sites cheio de furadas.
Concordo com a parte que você disse em ter uma parte mais reservada para pessoas que se interessam e querem se aprofundar no assunto.

Daniel disse...

e errei lá em cima, ´"medida", não medica.

Roberto disse...

"MAs vendo por outro lado,como hoje em dia, na quantidade de site revi e informações erroneas que saem ai pela net diarimente, um site oficial sobre Auschwitz seria uma fonte mais confiável para leigos, em vez de entrarem em sites cheio de furadas."

Olhando por esse lado você tem razão, um site a mais, mesmo que não acrescente nada a quem queira se aprofundar no tema, faz diferença no que se refere ao aumento do número de fontes de informação sobre esse tema na rede, quantidade nisso pesa, é só ver a lixarada "revi" espalhando porcaria na rede pra fazer panfletagem.

O Museu de Auschwitz já tem site, só não sei(não conferi a fundo) se eles irão usar esse site já existente pra isso, aparentemente não. Site do Museu:
Memorial e Museu Auschwitz-Birkenau - A História de Auschwitz

Stefano disse...

eu só perguntei pela placa... nada de mais!!! Ah... figuras que nem Herman Rosenblat queimam o filme ....

Stefano disse...

Só uma coisa... por que Auschwitz e Jasenovac não recebem mesmo destaque??

Roberto disse...

"Concordo com a parte que você disse em ter uma parte mais reservada para pessoas que se interessam e querem se aprofundar no assunto."

Principalmente colocando fontes em espanhol já que colocar só em português é problema pelo alcance do idioma se restringir a Brasil, Portugal e demais países lusófonos, Angola, Moçambique etc, uma vez que aparentemente o falante do espanhol não tem a mesma facilidade com o português que o falante do português, de certa forma tem com o espanhol. Além da quantidade de países que falam espanhol ser maior que os que falam português, fora o número considerável de falantes desse idioma dentro de outros países como os EUA.

Se disponibilizassem obras nesse idioma 'quebraria um galho' tremendo com um alcance de área(número de países, regiões) considerável no mundo.

Roberto disse...

"Stefano disse...
eu só perguntei pela placa... nada de mais!!!"


Se eu não soubesse de antemão que você fica fazendo média com "revis" e viúvas do Reich eu não teria feito aquele comentário, mas como sei qual é a sua, eu fiz o comentário, rs.

É sim algo demais uma pessoa que vive dizendo amém a "revis" falar do assunto como se "não soubesse" o motivo disso. No mínimo é provocação barata.

"Ah... figuras que nem Herman Rosenblat queimam o filme ...."

Sério? Queima filme de quem? Só na cabeça de gente como você que ignora solenemente que o Holocausto foi um crime contra a humanidade e você só vem falar favorável ao assunto quando ele trata da Igreja Católica.

É o tal apelo moral seletivo típico dos "revis". É esse o problema de não se falar a sério os assuntos, passa por tolo. Se o "revisionismo" já andava ruim das pernas, com esses defensores porralocas dele atualmente eu acho que ele vai acabar indo pro ralo de vez.

Roberto disse...

"Stefano disse...
Só uma coisa... por que Auschwitz e Jasenovac não recebem mesmo destaque??"


Por que você está preocupado com isso? Pra quem fica zombando do Holocausto, sua "preocupação" com Jasenovac beira apenas a uma neurose e obsessão sua com religiões.

Daniel disse...

Jasenovac = Ustasha = Religião.

Na verdade, deveria ser tão falado igual Aushwitz,ou como Vaivara, Salaspils Risiera di San Sabba, Soldau, Stutthof, Plaszow, Niederhagen, Dora-Mittelbau, Arbeitsdorf e muitos outros...

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget