segunda-feira, 17 de novembro de 2014

O separatismo dos magoados

O título é provocativo até porque se fosse citar todo idiota que propôs idiotices após o término das eleições (isso está se tornando uma "tradição"... no pior sentido do termo), iria chover prints e mais prints de idiotas dando seus espetáculos de crianças mimadas.

Mas quando a coisa ocorre em jornais ou revistas de maior alcance, a coisa sai do "anedótico" do anônimo inconsequente pro chamado "formador de opinião" (ou 'deformador de opinião', conforme sua visão) pregando crimes, pois separatismo é ilegal no Brasil conforme está escrito na Constituição, com previsão de punição. Isso mesmo que você leu, quem prega, com grande alcance a ponto de incitar multidões, está cometendo crime, podem ler direto na fonte mas vou copiar as partes que interessam pra cá:
LEI Nº 7.170, DE 14 DE DEZEMBRO DE 1983.
Define os crimes contra a segurança nacional, a ordem política e social, estabelece seu processo e julgamento e dá outras providências.

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber que o CONGRESSO NACIONAL decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

TÍTULO I

Disposições Gerais

Art. 1º - Esta Lei prevê os crimes que lesam ou expõem a perigo de lesão:

I - a integridade territorial e a soberania nacional;

Il - o regime representativo e democrático, a Federação e o Estado de Direito;

Ill - a pessoa dos chefes dos Poderes da União.

TíTULO II

Dos Crimes e das Penas

Art. 8º - Entrar em entendimento ou negociação com governo ou grupo estrangeiro, ou seus agentes, para provocar guerra ou atos de hostilidade contra o Brasil.

Pena: reclusão, de 3 a 15 anos.

Parágrafo único - Ocorrendo a guerra ou sendo desencadeados os atos de hostilidade, a pena aumenta-se até o dobro.

Art. 9º - Tentar submeter o território nacional, ou parte dele, ao domínio ou à soberania de outro país.

Pena: reclusão, de 4 a 20 anos.

Art. 11 - Tentar desmembrar parte do território nacional para constituir país independente.

Pena: reclusão, de 4 a 12 anos.
E prossegue: CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988
CAPÍTULO VI. DA INTERVENÇÃO

Art. 34. A União não intervirá nos Estados nem no Distrito Federal, exceto para:

I - manter a integridade nacional;

II - repelir invasão estrangeira ou de uma unidade da Federação em outra;
Após mostrar o conteúdo acima, o que dizer disto abaixo?


Eu tinha salvo esse print de outro link, mas pra achar de novo acabei encontrando no Viomundo, então segue com esse mesmo.

E teve mais aqui:
Deputado do PSDB pede independência do Sul e do Sudeste
Mais um aqui e aqui.

Eu só iria comentar o caso do Constantino, mas pra não ser injusto com ele, citei os outros dois pra mostrar que não foi um caso de idiotice isolada. Andei vendo que uma parte da "turma extremada" anda desconversando sobre a ideia de "separação" pregada no dia do resultado da eleição ou logo após (devem ter sido alertados do 'tranco' da coisa). Mas sem essa, quem pregou assuma que o fez ou se retrate, sem conversa mole.

O mais grave disso é um militar pregar separatismo pois se há uma coisa que é consenso no Brasil entre direita, esquerda, centro etc, após o período de turbulência do século XIX onde houve vários movimentos de desmembramento que surgiram provocados pela presença da Coroa Portuguesa no Brasil, e que são movimentos separatistas dependendo do ângulo por qual você trata pois se separar de Portugal (o território do país ainda pertencia à Coroa Portuguesa e seus descendentes) não seria propriamente separatismo como no caso da Guerra de Secessão nos EUA ou recentemente a Escória querendo retomar sua soberania pois é uma nação, com língua própria etc. Mas como dizia, se há uma coisa que é compartilhada em comum entre os mais variados setores políticos do país é a da não divisão do território do país. Isso é um consenso, pelo menos da grande maioria (pra não dizer maioria absoluta). Talvez por isso que alguns extremistas, sabendo do eco negativo no país e nas Forças Armadas, pararam com o discurso de criança birrenta/mimada.

Quem tentar enveredar por este caminho da separação seria/será reprimido duramente, não só por civis mas principalmente pelas Forças Armadas, que boa parte desses "revoltosos" de ocasião adoram exaltar ignorando o histórico da mesma sobre o separatismo no Brasil.

O mais ridículo é esse mesmo grupo acusar quem é contrário a eles de estar fomentando "separatismos" e o discursinho chantagista emocional e apelativo de "nós contra eles". Ou seja, vejam a "lógica" bizarra dessas figuras, os caras pregam separação, fazem agressões verbais à regiões e depois não assumem o que pregam e ficam acusando os outros de fomentarem isso. É muita cara de pau e covardia prum grupo só.

A consequência disso desembocou nisso aqui, essa foi a mais recente do último dia 15 de novembro:
Marcha golpista volta a pedir intervenção militar

Estou tendo que colocar links dos blogs pois não quero colocar link de jornal golpista (a não ser que seja necessário) e não tá fácil de achar o conteúdo semanas após o ocorrido pois fica misturado pela web com as outras 'marchinhas' inconsequentes desses extremistas. Essa foi a terceira este ano, todas um completo fiasco e um espetáculo de gente visivelmente perturbada e surfando em delírios incitados pela mídia irresponsável e inconsequente do país.

Quando falo de jornal golpista, alguém acha normal que um dono de jornal mande um país "se foder" por extremismo? Pois bem, deem uma olhada:
Cartaz

Mas deixemos a consideração do que ocorreria em caso extremo (em caso dessas figuras pararem com o lero-lero e partirem pruma separação de fato, que dificilmente eles irão fazer), pra se ater na motivação da manifestação idiota.

Um dos motivos é o rancor já discutido aqui abaixo (no link), com o post sobre o bovino Mainardi e sua "ideia de Nordeste", que não é comum dele, apenas ele (há de reconhecer) foi mais sincero que os outros:
A mídia brasileira expele preconceito abertamente sem regulação ou punição. O caso Mainardi

Eu me segurei pra não criticar este cidadão da Veja antes (o Constantino), porque haviam me passado um texto dele, pra adiantar, o texto era uma cópia de blog estrangeiro (ele não cita a fonte de onde relatam uma suposta "moeda nazi-comunista", mas acha-se fácil na web), que vou tratar em outro post.

Evitei retrucar o texto da "moeda" pois iria parecer pirraça e ataque pessoal quando não é. Apenas não deveriam passar esse tipo de conteúdo sem antes perguntar o que a pessoa pensa de revista "x", mas o povo (em geral) não enxerga a coisa dessa forma e acaba passando sem refletir, sem avaliar o conteúdo, porque partem do princípio equivocado de que por A ou B ser contra o negacionismo que automaticamente "gostará" de revista/jornal A ou B como a Veja (e publicações afins) e não é por aí.

Quando eu digo que a Revista Veja (da Ed. Abril) e esses jornais de maior tiragem do país são de extrema-direita, é porque são de extrema-direita, alguém consegue conceber um colunista de um jornal ou revista estrangeira (BBC, Spiegel, New York Times etc) pregando separatismo sem ser dispensado por esses jornais e revistas logo após? Creio que não.

A não ser que o jornal/revista endosse essa visão. Só no Brasil que pessoas publicam esse tipo de asneira e não são rechaçadas pela tal "grande mídia" (mídia oligopolizada) do país, que faz vista grossa a esses ataques e casos graves e que aparentemente envereda por um caminho sem volta (pra ela) do radicalismo, que jogará essa mídia no descrédito.

Mas aí vem uma questão: qual o sentido do povo ser contrário a "revis" ficar repetindo panfletagem desse tipo de revista, jornal?

No mínimo é incoerência.

Mas não vou entrar no mérito disso, lê esses panfletos quem quer, só que obviamente não irei repetir as baboseiras desses panfletos aqui a não ser pra apontar os erros desse tipo de publicação, como é feito com textos "revisionistas".

Mas voltando o assunto, depois da declaração separatista do 'Constantã', a objeção que eu fiz sobre não comentar nada sobre ele, já era. Paciência tem limite.

Eu já vi as baboseiras que esse cara prega desde o Orkut, onde havia até comunidade em "homenagem" a ele ironizando as "maluquices" que ele pregava/prega. Agora, vir uma revista e amplificar o alcance desse arsenal de esgoto/detrito, é demais.

A proposição de separação desse pessoal é tão esdrúxula que a primeira coisa a se perguntar é: como iriam fazer isso sem uma guerra?

Só inconsequente acha que irá propor uma maluquice dessas ignorando o histórico de repressão e represálias a movimentos do passado, que ao contrário dos atuais, uma parte tinha legitimidade de defender certas posições como por exemplo o de não se submeter a uma potência estrangeira, no caso, Portugal representado pela Coroa Portuguesa. Não é o caso atual.

Essas terras pertencem ao país, então aos "separatistas magoados" vão pedir auxílio externo pra separação, pois interno não há.

E por falar em pedir auxílio externo, agentes externos já operam neste sentido no país pra desestabilizar o Brasil, o surgimento de Black Blocs e demais arruaceiros (virtuais ou não) das marchas de 2013 etc precisa ser esclarecido, como também a atuação de ONGs estrangeiras de olho na Amazônia brasileira e apoiando candidatos entreguistas nas eleições do país como a Marina Silva que se valem de um discurso "ecológico" despolitizado se valendo do culto à figura "santa" dela, uma mitificação e construção política.

Esse tipo de ação de desestabilização política "não vem do nada", isso costuma ter dedo externo (dedo, mão, braço etc) com os lacaios internos históricos.

Armando Boito: Marina representa o casamento do Itaú com a WWF
A história de Marina Silva, as ONGs da Amazônia e os EUA

A segunda é sobre os recursos do país, uma vez que a entrada de empresas multinacionais em determinados estados tiveram dedo do governo federal, em caso extremo desses bocós quererem fazer levante separatista, muitas dessas empresas de determinados estados ese espalhariam pelos outros por segurança e não voltariam mais a esses estados. Ou seja, a demência deles custaria caro pros próprios estados deles que empobreceriam com as retaliações da União que não seriam poucas começando pelo corte ou taxação do fornecimento de gás e petróleo que estrangularia a economia desse "novo país", que venderia seus produtos pra quem? E como se chamaria como? Sudeste? República Federativa do Sudeste? Só rindo, rs.

Fora o problema militar da coisa. Se em 1932, no último confronto civil aberto do país, São Paulo foi trucidado pela União com o armamento da época, imagina com o armamento atual o que aconteceria a um levante desses. Fora que nem todos os cidadãos desses estados são a favor disso, haveria um racha nesses estados e consequente desmembramento em um ou dois estados como represália.

Pernambuco perdeu metade do território ainda no século XIX por represália da Coroa Portuguesa e isso pesa economicamente até hoje passados mais de 150 anos do ocorrido. Cito este caso pois foi o único desmembramento de Estado por represália da História do país, e justamente por ser parte disso que a gente sabe (mais do que o resto do país) o quanto pesa um conflito desse tipo ao contrário desses energúmenos citados que ficam delirando em "lutas imaginárias" sem avaliar o peso do que pregam.

Quem quiser seguir os erros ou infortúnios do passado, fiquem à vontade, mas depois não vale chorar e ficar se lamuriando (se houver "depois").

O pessoal de fora do Brasil que lê o blog vai achar estranho ver chamar de extremista de direita alguns separatistas de ocasião quando na maior parte dos países a extrema-direita adota o discurso nacional extremado de exaltação do país (França, Alemanha, Suécia etc), mas no Brasil existe esse ranço cultivado no eixo econômico do país, incutido pela mídia oligopolizada que incita essas ideias, principalmente através do futebol, que aflora mais no Estado de São Paulo onde existe uma apropriação distorcida daquela revolta de 1932. E há uma mania desse mesmo povo ficar achincalhando o próprio país. Só deixam de lado o achincalhe pra esses espetáculos caricatos de "amor a pátria" como aquela babaquice que rolou na Copa do Mundo com a torcida abastada nos estádios cantando hino nacional pra "mostrar" que "ama" o país quando é tudo balela, aquele pessoal é o que mais achincalha o Brasil (a maioria), malharam a Copa e ainda pagaram ingresso caro pra ver jogo e o lastimável 7x1. Deve ter sido castigo mesmo aquele jogo pois vendo por esse ângulo, esses caras mereceram, não o povo, mas essa casta que achincalha o país e fica protagonizando esses espetáculos teatrais "patrióticos ufanistas" vazios pois não têm a mínima noção do que é gostar do país, que não é algo forçado, caricatural, você simplesmente gosta e pronto.

A postura dessas pessoas é um misto de ignorância e prepotência de gente visivelmente descontrolada, radical, e que ignora a História do país.

Quando eu disse que uma das fontes pra proliferação do "revisionismo" era a ignorância sobre a História do Brasil, eu não errei, e disse isso antes mesmo desses surtos coletivos pipocarem em junho de 2013 (post de 14.03.2013):
História do Brasil e "revisionismo" (negacionismo) do Holocausto

Mantenho a afirmação anterior do post acima, a ignorância sobre o país leva a proliferação desse tipo de grupelhos.

Alguém acha normal que um indivíduo no Brasil fique exaltando a Alemanha hitlerista ignorando o racismo do nazismo (que não era só direcionado a judeus) ignorando o próprio país que nasceu? Quando falo de ignorar o racismo hitlerista é que boa parte desses que defendem isso nem sequer são descendentes de alemães, como já tentaram generalizar a coisa.

Por que friso a questão de ser descendente de alemão? Porque o nazismo original era voltado para alemães ou quem se enquadrava naquele biotipo "ariano" (nórdico) cultuado/idealizado pelos nazis. Ou seja, boa parte desses "revis" brasileiros não se encaixariam nas definições "raciais" do nazismo. E não só o nazismo era racista, os outros fascismos também manifestavam racismos, só que em menor escala, talvez por isso que o nazismo chame mais atenção, principalmente pela destruição que a Alemanha nazi provocou, mas houve legislação racista na Itália com aquelas mitomanias típicas de fascistas.

Antes da 'mídia crítica' ficar só apontando o fenômeno do extremismo, deveria também informar mais o povo sobre História do Brasil, pois o povo precisa ser educado já que o ensino do país apresenta falhas nessa questão que geram esse tipo de aberração.

Eu iria fazer esse post na mesma semana que estourou isso mas esse pessoal enche a paciência, é tanta cretinice e estupidez juntas que enchem o saco e assustam pela quantidade de gente repetindo essas idiotices. Mas fica pra outro post o rebate ao texto da "moeda nazi" do Constantã, e a origem desse outro extremismo de direita no Brasil que já vem sendo citado aqui:
Murray Rothbard, Lew Rockwell e o "Racismo científico" (Libertários/Liberais)
As divisões da Direita Norte-americana: Direita Anticomunista, Racista, Cristã e Neoconservadora

Importaram esse discurso "neocon" (abreviação de neoconservador liberal) dos EUA pro Brasil e adaptaram as peculiaridades locais e deformações políticas desses grupelhos. Em geral esses grupos não se dão com grupos nacionalistas nativos, teoricamente, a única coisa que os une ou faz um usar o outro como bucha de canhão é a propaganda de "comunismo" da Guerra Fria, que adaptam pro governo federal.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget