domingo, 14 de fevereiro de 2010

Milhares de pessoas impedem passeata neonazista em Dresden

Mais de 10 mil pessoas formam um cordão humano para lembrar vítimas da Segunda Guerra Mundial em Dresden e impedir uma passeata de grupos neonazistas pelo centro da cidade alemã.

Cordão humano no centro de Dresden

No dia em que se completam 65 anos do bombardeio que arrasou Dresden durante a Segunda Guerra Mundial, mais de 10 mil pessoas se deram as mãos para formar uma corrente humana em torno do centro histórico da cidade.

O ato ocorrido neste sábado (13/02) prestou uma homenagem às pessoas mortos durante o bombardeio na cidade e também serviu de protesto contra os grupos de militantes de extrema direita, que planejavam uma passeata pela cidade.

"Vamos fazer de Dresden uma cidade pacífica e aberta, um bastião contra a intolerância e a estupidez. Nós confrontaremos os jovens e velhos nazistas que estão tentando explorar esse dia de luto", disse a prefeita Helma Orosz.

Enquanto as pessoas se davam as mãos, os sinos das igrejas de Dresden repicavam em memória das vítimas do bombardeio aliado.

Marcha neonazista

Neste ano, cerca de 5 mil representantes da extrema direita se reuniram diante da estação ferroviária de Neustadt, de onde pretendiam seguir em passeata até o centro da cidade. No entanto, aproximadamente 2 mil manifestantes da esquerda conseguiram bloquear trechos por onde a marcha dos neonazistas passaria.

Bloqueios organizados por manifestantes de esquerda

Também foram colocados obstáculos nas linhas de trem para impedir a chegada de neonazistas à cidade. A polícia teve que usar jatos de água para evitar o confronto entre os dois grupos.

Representantes da força policial pediram ao grupo neonazista que cancelasse a marcha, alegando que a segurança dos manifestantes ao longo do percurso não seria garantida. Ao final, os extremistas acabaram desistindo da passeata.

Cerca de 4 mil policiais participaram da operação. Até o início da tarde, 20 pessoas haviam sido detidas na cidade.

Desde 1990, grupos de extrema direita usam a data para fazer protestos em Dresden. Eles classificam os bombardeios de 13 e 14 de fevereiro de 1945 de "Holocausto" dos Aliados.

Destruição durante a guerra

Em 1945, Dresden ficou completamente destruída depois de dois dias de intenso bombardeio. O primeiro deles foi em 13 de fevereiro, terça-feira de carnaval. Estima-se que 25 mil pessoas tenham morrido em decorrência da destruição provocada pelos aliados – forças britânicas e americanas.

Um dos símbolos da cidade, a igreja Frauenkirche, levou 40 anos para ser reconstruída, um projeto que recebeu ajuda financeira do Reino Unido e Estados Unidos.

NP/dpa/afp

Revisão: Alexandre Schossler

Fonte: Deutsche Welle(Alemanha, 13.02.2010)
http://www.dw-world.de/dw/article/0,,5245963,00.html

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.