domingo, 30 de dezembro de 2012

Minissérie 'Holocausto' (Gerald Green, 1978). Não existe filme com nome Holocausto

Como já vi muita gente atrás de algum filme chamado Holocausto no Feedjit do blog, achei que seria bom esclarecer aos que procuram por algum filme com o nome Holocausto, pra não procurar a esmo uma vez que pouca gente esclarece esse detalhe, que não existe um filme específico com esse nome, conforme podem ver na parte de Filmografia do blog (tem uma lista de filmes sobre o Holocausto).

O tal filme que muitos procuram com esse nome na verdade se trata da minissérie pra TV produzida pela NBC (emissora de TV dos EUA) lançada no final dos anos '70 com o nome de Holocausto, baseada na novela de Gerald Green [01], com o mesmo nome da minissérie.

A minissérie conta com quatro episódios (mas já achei uma versão com cinco episódios, pode ser porque cortaram partes dos quatro episódios pra pôr em um único episódio extra e diminuir o tamanho dos quatro episódios) teve forte impacto na época em que foi lançada, contando com um elenco de peso com Meryl Streep, James Woods, Rosemary Harris, Ian Holm, David Warner e Michael Moriarty. Dirigida por Marvin J. Chomsky [02].

Um fado curioso da minissérie é que ela foi a responsável, por conta do impacto que teve na Alemanha Ocidental e em vários países onde foi exibida, pela popularização do nome Holocausto pra se referir ao genocídio da Segunda Guerra Mundial.

Sobre essa parte segue minha tradução de trecho do FAQ do site do USHMM (Museu Memorial do Holocausto dos EUA), que esclarece de forma mais detalhada o fato:
Ao final dos anos de 1940, no entanto, uma mudança estava em andamento. O Holocausto (com minúscula ou um H maiúsculo) tornou-se um termo mais específico devido ao seu uso em traduções israelenses da palavra sho'ah palavra. Esta palavra hebraica tinha sido usado ao longo da história judaica para se referir a ataques a judeus, mas na década de 1940 foi frequentemente sendo aplicada ao extermínio dos judeus da Europa pelos nazistas. (Judeus falantes do iídiche usavam o termo churbn, uma tradução para o iídiche de sho'ah) A equação do holocausto com o termo Sho'ah foi visto de forma mais proeminente na tradução oficial em inglês da Declaração de Independência de Israel, em 1948, nas publicações traduzidas do Yad Vashem ao longo dos anos 1950, e na cobertura jornalística do julgamento de Adolf Eichmann em Israel, em 1961.

Tal uso influenciou fortemente a adoção do termo holocausto como a referência principal no idioma inglês para o abate nazista de judeus europeus, mas a conexão da palavra com a "Solução Final" só tomou forma em definitivo mais de duas décadas depois. Em abril de 1978, a transmissão da mini-série de TV, Holocausto, baseada no livro de Gerald Green, de mesmo nome, e o uso, mais tarde no mesmo ano, proeminente do termo na criação da Comissão Presidencial sobre o Holocausto pelo presidente Carter, cimentou o seu significado no mungo anglófilo pelo mundo. Esses eventos, juntamente com o desenvolvimento e criação do Museu Memorial do Holocausto dos Estados Unidos durante os anos 1980 e 1990, estabeleceu o termo Holocausto (com H maiúsculo) como uma referência padrão para a aniquilação sistemática de judeus europeus pelo regime nazista da Alemanha. [03]

Notas

[01] Novela de Gerald Green (Google Books), Holocausto, que serviu como base da história da minissérie Holocausto produzida pela rede NBC (EUA). Obituary: Gerald Green - Blockbusting writer of grittily humane tales; Christopher Hawtree; The Guardian, Friday 22 September 2006

[02] Elenco da minissérie. Extraído da base de dados do site IMDb (Holocaust, TV Mini-series, 1978), site especializado em cinema com um dos maiores bancos de dados sobre filmes.

[03] What is the origin of the word “Holocaust”?. FAQ do site do Museu Memorial do Holocausto dos EUA. Sobre a popularização do termo Holocausto para se referir ao genocídio nazista da Segunda Guerra Mundial.

Se copiar algum texto pertencente ao blog, indique a origem do texto.

Trailer da minissérie (em inglês):

2 comentários:

www.amsk.org.br disse...

Que 2013 chegue trazendo muita paz e muita luz, realizações e a vontade de continuar construindo um mundo melhor.
Cozinha dos vurdóns

Roberto disse...

"amsk.org.br", pra você também, Feliz ano novo, muita saúde, paz e felicidades.

Esse post ainda não é o último do ano (quis arredondar pra pelo menos 170 pra não ficar 169 posts quebrados), ainda tem um sobre Auschwitz e os ciganos que espero postar amanhã ou deixar programado pro blog postar automático na segunda.

Feliz 2013.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget