domingo, 17 de fevereiro de 2013

Um "revisionista" "menor" admite os fuzilamentos de judeus pelos Einsatzgruppen!

Um "revisionista" "menor" admite os fuzilamentos de judeus pelos Einsatzgruppen
Ou como poderia dizer, os amantes da demagogia patética, a mesma a qual os negadores do Holocausto usam frequentemente.

Como de costume, David Irving postou algum lixo em seu site, e desta vez é uma carta de Paul Grubach sobre o que Irving chama de uma "concessão conformista menor sobre o discurso de Himmler em Posen em 1943".

No verão de 2006 o Professor Jeffrey Herf publicou seu livro The Jewish Enemy: Nazi Propaganda During World War II and the Holocaust (O Inimigo judaico: Propaganda nazista durante a Segunda Guerra Mundial e o Holocausto) (Belknap Press da Editora Harvard University). Foi dito que este é um dos livros mais importantes sobre o Holocausto na última década.
Eu gostaria de chamar sua atenção para uma admissão feita pelo professor Herf que realmente corrobora a tese "revisionista" do Dr. Arthur Butz.

Em Outubro de 1943, Heinrich Himmler fez um discurso em Posen, na Polônia ocupada. Este discurso é considerado por muitos como a prova absoluta de que os nazistas tinham uma política de exterminar todos os judeus da Europa, principalmente através do uso de câmaras de gás homicidas.
Hum... não. O discurso é de fato um pedaço de evidência (um dos muitos) de que os nazistas tinham uma política para exterminar os judeus. Isto é tudo. Nenhum método específico é mencionado explicitamente no discurso, e ninguém, que eu saiba, afirma que o discurso prova diretamente e especificamente gaseamentos. Então Grubach cometeu uma falácia do espantalho..

Vamos supor que Himmler realmente fez os comentários atribuídos a ele.

Observem a retórica usual "revisionista" de "Se eu não posso desacreditá-lo, vou tentar lançar uma dúvida razoável sobre ele de qualquer maneira".

Eis a passagem chave em questão:
"Eu [Himmler] agora estou me referindo à evacuação dos judeus, ao extermínio do povo judeu. Isso é algo que pode ser dito facilmente: " O povo judeu será exterminado ", é o que diz cada membro do Partido, 'isso é muito óbvio, está em nosso programa - a eliminação dos judeus, o extermínio será feito'".

Himmler continuou: "A maioria de vocês aqui sabe o que significa quando 100 cadáveres ficam próximos um do outro, quando 500 cadáveres deitados ou quando 1.000 estão perfilados. Para fazer isso e ao mesmo tempo ter permanecido uma pessoa decente ... isto nos tornou muito duros."

Herf escreve que, em seu discurso, "Himmler se referia apenas aos métodos iniciais dos assassinatos dos Einsatzgruppen e não disse nada sobre os alegados campos de extermínio, câmaras de gás e crematórios, [p.233]."

Herf está admitindo que Himmler está se referindo apenas aos fuzilamentos em massa de judeus, que ocorreram na Frente Oriental, e esse discurso não diz absolutamente nada sobre os alegados "campos de extermínio, câmaras de gás e crematórios".
Observe como Grubach tenta enganar os leitores usando o verbo "admitir". A palavra implica que é geralmente assumido pelos historiadores que Himmler, de alguma forma, explicitamente mencionou as câmaras de gás e crematórios em seu discurso, e apenas raros pesquisadores honestos realmente "admitem" que isso não é verdade. Que monte de... deixa pra lá.

Já no início dos anos 1970, Arthur Butz fez um importante ponto "revisionista" da única parte da lenda do extermínio que contém uma partícula de verdade, que é a de que os Einsatzgruppen exterminaram alguns judeus russos por fuzilamentos em massa (Veja em Hoax of the Twentieth Century, p. 241).

Professor Butz escreveu:
"Na época da invasão da Rússia em junho de 1941, houve uma ordem do Führer declarando, em antecipação de uma política idêntica Soviética, que a guerra com a Rússia não seria travada com base nas regras tradicionais de guerra. Medidas necessárias estavam sendo tomadas para combater a atividade partisan, e a Himmler foi dado o poder de "agir de forma autônoma sob sua própria responsabilidade." Todo mundo sabia que isso significava execuções de partisans e pessoas que colaboraram com partisans. A suja tarefa foi atribuída a quatro Einsatzgruppen ... que tiveram um total de cerca de 3.000 homens ... Houve ocasião de observarmos os vários casos que os judeus fizeram, de fato, representar uma ameaça de segurança para a retaguarda alemã na guerra ... a tarefa dos Einsatzgruppen era lidar com tais perigos [partisan anti-alemão e guerrilha] por todos os meios necessários, por isso não é necessário dizer muito mais para supor que os Einsatzgruppen devem ter fuzilado muitos judeus, apesar de não se saber se "muitos" significa 5.000, 25.000 ou 100.000. Naturalmente, muitos não-judeus também foram executados (pp. 241-242)."
Butz, sendo o cara desonesto que é, tenta ofuscar coisas fingindo que os assassinatos praticados pelos EG de (alguns) judeus como um perigo de segurança, não era, bem, direcionados só a judeus. Mas, como escrevi em outro lugar
Eu acho que só dá pra mencionar que de acordo com a mensagem nº 412 de 1942/09/02, cerca de 138.272 pessoas mortas pelos EG-A, 55.556 eram mulheres e 34.464 eram crianças.

Somente os idiotas e negacionistas vão argumentar que isso era algum tipo de ação anti-partisan.

Na verdade, destas 138.272 pessoas, só 56 eram partisans e 136.421 eram judeus.
Ou tomando o relatório Jaeger, com a sua clara divisão das vítimas em homens, mulheres e crianças, como
20.9.41 em Nemencing
128 judeus, 176 judias, 99 crianças judias

22.9.41 em Novo-Wilejka
468 judeus, 495 judias, 196 crianças judias

24.9.41 em Riess
512 judeus, 744 judias, 511 crianças judias

25.9.41 em Jahiunai
215 judeus, 229 judias, 131 crianças judias

27.9.41 em Eysisky
989 judeus, 1,636 judias, 821 crianças judias

Sim, é preciso ser um verdadeiro idiota para negar o óbvio plano de extermínio (pelo menos dos judeus soviéticos).

Herf está agora admitindo que Himmler está se referindo apenas aos fuzilamentos em massa de judeus pelos Einsatzgruppen na frente oriental, algo que nunca foi negado por "revisionistas" do Holocausto.

Ah, sim, esta coisinha de "admitindo" novamente. Isso é como as sensações "revisionistas" são feitas. Lembra do exagero do "Diretor do Museu de Auschwitz F. Piper admitindo isto ou aquilo"? Nada muda.
O chefe da polícia secreta não estava se referindo às alegadas "câmaras de gás" de Hitler acompanhadas dos crematórios, e os chamados campos de extermínio. Portanto, esta passagem não pode ser usada por historiadores ortodoxos do Holocausto para "provar" que os nazistas tinham uma política para exterminar os judeus em "câmaras de gás".

Obrigado, Dr. Herf por corroborar este ponto-chave "revisionista" sobre o Holocausto!

Assim, o ponto redundante, e nunca contestado, de que Himmler não menciona as palavras "crematórios" e "câmaras de gás" em seu discurso é na verdade um "ponto-chave "revisionista" sobre o Holocausto"? Obrigado por tal admissão embaraçosa, o Sr. Grubach!

Agora, Grubach, sendo o estúpido negacionista que é, ignora a frase-chave no discurso de Himmler:
Agora estou me referindo à evacuação dos judeus, ao extermínio do povo judeu.
Então, não. Himmler não se refere apenas aos assassinatos em massa dos Einsatzgruppen. Ele diretamente, e sinceramente, equiparou a deportação com o extermínio. E certamente, a maior parte dos judeus evacuados foram exterminados nos campos de extermínio, principalmente por gás, como sabemos a partir de numerosos testemunhos e de alguns documentos. Assim, enquanto Himmler não menciona explicitamente o assassinato por gás em seu discurso (e ninguém nunca deu a entender que ele fez), seu discurso serve como uma confirmação do fato que a maior parte dos judeus deportados foram realmente eliminados. E já que eles foram deportados para os campos, este discurso também, indiretamente, confirma a existência de campos de extermínio.

Isto é muito para as habilidades de análise "revisionistas".

Fonte: Holocaust Controversies
Texto: Sergey Romanov
http://holocaustcontroversies.blogspot.com.br/2007/07/minor-revisionist-admits-einsatzgruppen.html
Tradução: Roberto Lucena

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget