quinta-feira, 20 de novembro de 2014

"O negócio da revolução" - Gene Sharp - Como os EUA desestabilizam países "pacificamente"

A quem quiser assistir o documentário vou colocar o vídeo no final do post, porque se eu colocar logo abaixo do parágrafo dificultará a leitura do texto. Mas pra situar o documentário no contexto brasileiro: lembram das marchas "difusas" de 2013?

Achou que aquilo foi um movimento espontâneo? Pois tem todos os indícios de que não foi. E como tem...

Foi tanta coisa "estranha" que ocorreu naquelas marchas que em um post só não dá pra comentar tudo, por isso colocarei esses posts numa tag chamada Marchas de 2013 pra ficar como uma série, pra quem quiser ler post a post ir compreendendo o que se passou à medida que forem surgindo mais textos/posts.

O documentário "O negócio da revolução", que não sei se está completo eu achei esta cópia no Youtube que é suficiente pra ser assistida, descreve como um grupo mercenário (o mercenário eu rotulei pois agem por dinheiro) situado na Sérvia treina "grupos" a usarem o método Gene Sharp de "revolução pacífica" (entre aspas, pois isso não existe), pra desestabilizar "ditaduras" mundo afora.

Mas aí que reside o nó da questão: não são só ditaduras os alvos, quaisquer países podem ser alvo disso, mesmo democracias, dependendo do interesse geopolítico dos Estados Unidos (caso algum país represente uma ameaça a expansão de sua influência e empresas), pois países fragilizados por turbulências tornam-se alvos de países militarmente e economicamente mais organizados com uma política externa agressiva (imperialismo) que é o caso dos Estados Unidos.

O vídeo descreve o método e como os grupos treinados por esta organização da Sérvia agem mundo afora. Agiram primeiramente na própria Sérvia e nas ex-repúblicas soviéticas pra desestabilizarem seus governos e contribuindo com a ascensão de governos fantoches (de oligarcas) dos EUA pra cercar a Rússia, politicamente e militarmente.

Os EUA veem a Rússia como um rival geopolítico, mesmo com o colapso da União Soviética. E por extensão, quem estiver dentro dos BRICS (o Brasil está), tornará-se alvo também. Mas o Brasil sempre foi alvo dos EUA, antes mesmo dos BRICS.

Começam a entender que o "surto" de "revolta" de 2013 não foi algo tão espontâneo assim, apesar do povo ter saído às ruas como manada por mimetismo (imitação, efeito manada)?

Começam a entender que Black Blocs não "caem do céu"? De onde vieram? Para onde foram? Por que a polícia não interferiu nesses grupos quando podia e os deixou atacar livremente?

Qualquer pessoa podia/pode ser um "Black Bloc", desde um idealista estúpido (Maria vai com as outras) achando que iria "derrubar o Estado" com aquelas ações pueris sem nem compreender o que é o Estado, e muito provavelmente provocadores treinados com objetivos claros: de desestabilização e criar um clima de caos midiático (pra mídia aumentar dando a impressão de um caos nacional), e conseguiram o intento por algum tempo, o suficiente pra fazer estragos e até começarem a ser rechaçados pela opinião pública.

O Ministro da Justiça, José Cardozo, deve explicações sobre a não apuração de toda essa arruaça organizada que estimulou as pessoas a saírem às ruas "protestando", sem pauta definida, de forma difusa e que deu força à extrema-direita, força esta que se refletiu na eleição do congresso nacional dos próximos 4 anos. Se há uma ascensão de uma extrema-direita destas marchas, então fica claro qual o grupo beneficiado disto. Não é uma extrema-direita tradicional do tipo fascista, como muita gente chama, são mais udenistas/larcedistas aos moldes do neoliberalismo defendendo pela Veja e pelo resto da mídia oligopolizada, são grupos que defendem o alinhamento do Brasil com os EUA (submissão), saída dos BRICS, entrega do pré-Sal e por aí vai, todo receituário neoliberal.

Começam a entender como é estranha a quantidade de PDFs ou páginas de extrema-esquerda (e algumas de extrema-direita liberaloide) difundindo o manual deste Gene Sharp? O "velhinho pacifista idealista" onde pairam suspeitas de ser gente ligado à CIA. Algo não incomum, ao contrário do que muita gente pensa.

Uma parte da esquerda radical foi "útil" (costuma ser útil pelo idealismo infantil ou ingenuidade, ou mesmo raiva) a esse tipo de desestabilização visando demonizar o governo federal pra fazer uma "revolução colorida", porque eles achavam que iria "brotar uma revolução" sem entender a conjuntura política e o contexto social do país. Só veio a cair a ficha pra eles na disputa eleitoral do segundo turno este ano. Espero. O estrago já está feito, vide o congresso eleito (o pior desde 1964):
Congresso eleito é o mais conservador desde 1964, diz Diap

Ao pessoal 'nacionalista', relaxem, o fato do congresso ser o mais conservador desde 1964 não quer dizer que ele seja nacionalista, este conservadorismo neocon tem aversão a nacionalismo e é profundamente neoliberal e conservador (pra inglês ver) nos "costumes".

Eu não sei como este senhor, Sharp, dorme em paz sabendo que muita gente morreu por conta desse experimento cretino dele, pois não se modifica uma realidade somente derrubando um regime sem haver nada organizado e enraizado democraticamente no seio do povo, pra ficar no lugar daquilo que é derrubado. Não são "revoluções coloridas" fabricadas que trarão paz ao povo, vide o que se transformou os países onde essas coisas ocorreram. Viraram terra de máfias e oligarquias, com miséria e desigualdade crescentes. É essa a ideia de "liberdade" de Gene Sharp? A liberdade da "miséria e da desigualdade"? Que sujeito "nobre".

A quem não sabe o que é uma revolução colorida, só um breve trecho do verbete da Wikipedia. Eu estou utilizando o trecho, embora saiba que muita gente critica a Wikipedia, porque sei que o trecho está correto, pra agilizar (aliás, eu só utilizo isto nessas condições):

Revoluções Coloridas
O alcance e o significado dessas "revoluções" ainda estão em discussão, bem como o papel desempenhado por agentes externos, principalmente por norte-americanos - CIA, Fundação Soros, USAID e o National Endowment for Democracy. Apesar de apoiar esses movimentos e de apresentá-los como puramente nativos ou nacionalistas, críticos os acusam de serem manipulados e maximizam a importância desses agentes externos.
Pois é bom assistirem o documentário pra entenderem como começou a "Primavera Árabe" (que já virou Outono Sangrento) com esses grupos de desestabilização e o que surgiu no lugar: mais ditaduras, regimes sangrentos como o EI (Estado Islâmico), guerra civil e todo tipo de aberração que o estado de anarquia causado por este tipo de grupo provoca com o vácuo deixado por regimes que antes governavam um Estado, em locais onde o povo tem pouca ideia do que seja Estado ou haja uma sociedade civil organizada e politizada (nacionalmente).

Curiosamente outro documentário sobre Sharp foi exibido no canal GNT da Globosat (das Organizações Globo). Não seria pra "esclarecer" o povo a exibição deste tipo de documentário, obviamente.

Este assunto será tratado em outros posts à medida que eu for lembrando dos detalhes das marchas, pois tem coisas como o vídeo daquela garota contra a Copa do Mundo, e mais coisas do tipo que "apareceram do nada", que fizeram parte dessa mixórdia de "supostos idealistas".

Mixórdia de "gente bem intencionada" "preocupada com o país" (pausa para o riso, rs), tudo no fundo para criar um clima de mau estar generalizado propício pra extremistas ditarem o caos, as regras do jogo e atacarem a democracia, o mesmo clima que abriu espaço, mesmo após as eleições desse ano, pra grupos pedirem volta da ditadura e bizarrices do tipo.

Não adianta esses "supostos idealistas" agora quererem tirar o deles da reta ou fazer mea culpa. Os fatos falam por si (as consequências dos atos de vocês também).

Mas há que deixar claro uma coisa: isso só tomou vulto e foi adiante porque o povo brasileiro (ou parte dele) não soube ser sábio e cético diante daquele voluntarismo que se avolumou com as tais marchas.

Havia sim muita gente que achou a princípio que aquilo era algo bom, sem ter a dimensão do que estava se passando (faltou um pouco de ceticismo), só que acabaram sendo usados como massa de manobra da extrema-direita liberal e midiática (que é quem vem tentando desestabilizar o país há muito tempo) pra outros fins políticos.

O governo federal também errou e erra ao não discutir essas questões políticas e a questão dos BRICS mais abertamente e detalhadamente com a população. Discussão de política externa no Brasil parece algo "exótico", "distante" quando não é.

O governo deixa que a mídia dite a "versão dos fatos" e acaba gerando essa balbúrdia informativa distorcida. Ficar em silêncio não vai ajudar muito na contenção desse tipo de golpismo calculado pelos EUA e por setores capachos da elite interna (a mídia oligopolizada é o principal deles).

Assistam o documentário e tirem suas conclusões. O documentário choca a quem acha que todos esses movimentos mais recentes mundo afora e no Brasil são movimentos espontâneos ou genuínos e populares como foram as Diretas Já! e o movimento de democratização do Brasil (que tinham lideranças políticas de fato e eram organizados, tinham meta definida e apoio popular forte), como a Revolução dos Cravos e vários outros movimentos legítimos e realmente autênticos do passado, que por serem legítimos, possuem raízes fortes no seio do povo e da sociedade civil ao contrário dessa desestabilização artificial bancada por Washington (governo norte-americano) propagada por mercenários também bancados pelos EUA de forma não-oficial.

Eu disse que iria elucidar (ou tentar) mostra a escrotidão que fizeram contra o país, mas também cabe ao povo também ter ciência/consciência disso, do que se passa e não ficar só como espectador.

O Brasil não está alheio ao mundo, há muita potência com o olho bem arregalado querendo os recursos do país. Há não, sempre houve.

Nenhum país com a dimensão territorial do Brasil, com recursos imensos e uma reserva de petróleo do tamanho do pré-Sal é "ignorando" pelo mundo, potências fazem guerra por isso, ao contrário do que muito brasileiro cretino com complexa de vira-lata pensa que o Brasil seja (um "país qualquer").

Seja cético com "movimentos contestatórios" inflados e caóticos surgidos do nada, sem liderança ou organização, como se fossem teatro e espetacularização que se formam nos mesmos, com Black Blocs, grupos anônimos e cia. Esses grupos não são movimentos espontâneos, parem de romantização e idealização dessas coisas, isto é sério, traz consequências reais pro país.

É preciso haver um determinado grau de organização desses grupos arruaceiros de forma antecipada para pôr isso em prática quando estoura algum rebuliço com multidão. Lembro que começou o corre-corre nas ruas após um confronto da polícia em SP, mas mesmo antes já havia grupos mascarados "tocando terror" na rua inflando os ânimos, o resto acabou sendo decorrência disto, mais os que foram aparecendo no decorrer da coisa, justamente no período da Copa das Confederações quando a imprensa estrangeira estava toda de olho no Brasil. Sinto, mas isto não foi espontâneo, exceto o voluntarismo de parte da população que foi conduzida ao erro pelo emocionalismo que esses grupos provocam em quem não tem algum grau de ceticismo para ver que quando as convulsões sociais são muito estranhas é porque há algo de errado nelas.

7 comentários:

João P. Santos disse...

O que motivou os protestos de 2013 foi uma armação?

Lembro do vídeo da garota e achei estranho na época, embora não tenha me aprofundado no caso. Espero os próximos posts sobre o tema pois me interessa.

Roberto disse...

João, provavelmente sim. Quando a coisa eclode, por ser algo novo, não dá pra ter ciência do que se passa, mas vendo à distância hoje está bem claro pra mim que essas marchas foram estimuladas e direcionadas depois pela mídia e outros grupos.

O problema é que é tanta patifaria que pra elaborar um resumo citando cada um é complicado, e muita coisa foi denunciada na época mas não apurada como o caso do vídeo da garota que vc cita que é um dos mais emblemáticos.

Ela se defende em alguns vídeos de fora dizendo que foi acusada de ser "agente da CIA" pra tornar ridícula a suspeita, mas não é algo incomum recrutamento de gente pra esse tipo de coisa.

Dois vídeos parecidos com o dela, que não são amadores, saíram logo depois na Ucrânia e Venezuela onde também havia distúrbios "populares".

Distúrbios de um lado formado por neonazis e o grupo liberal na Ucrânia (antagônicos até certo ponto, tanto que compõem o mesmo governo) e na Venezuela houve aquele levante com um extremista tocando o terror nas ruas. Quem achar que isso foi algo "espontâneo", fique a vontade, só que com tanto indício de coisa armada (vide o caso do Egito e afins), não creio que sejam manifestações populares de raiz (que geralmente possuem algum grau de organização e lideranças, não é o caso dessas).

João P. Santos disse...

Mas pergunta a você, o governo não teve algum grau de culpa nisto? embora eu concorde que houve grupos organizados insuflando o povo.

Roberto disse...

Pergunta pertinente. O governo teve sim culpa no ocorrido, não a culpa que os jornalões/TVs costumam relatar, mas sim a de negligência com essa questão externa e de ataques internos orquestrados onde demonstrou não estar preparado pra combater o problema, além de se isolar no Planalto não criando canais de comunicação com o povo, que só foi melhorar durante a campanha eleitoral deste ano.

Espero que se cumpra (cobrarei) a questão da regulação da mídia que a meu ver é a principal questão do país hoje, com uma mídia podre dessas, uma democracia estar sobrevivendo com essa incitação contra as instituições do país (a tal despolitização que a mídia propaga) e a ignorância do povo de um lado em não procurar se politizar e se informar sem se deixar levar por manipulação midiática, é um verdadeiro milagre.

Roberto disse...

Esse Min. da Justiça, Cardozo, era pra ter rodado há muito tempo, ele está detonando este governo por dentro com a postura bananóide dele. Ele e uma corrente moralista do PT que falou em "refundação" do partido. Na verdade esse grupo está afundando o PT com essa postura covarde e não refundando.

João P. Santos disse...

Me deixe colocar a coisa de outra forma. Você não acha que a política de conciliação de classes do Lula se esgotou?

A meu ver parte da razão para os protestos se deu por isso, em que pese que a direita insuflou o ânimo das massas como você bem colocou.

Roberto disse...

João, desculpando a demora.

Mas sim, concordo com você, essa política de "conciliação de classes" que foi algo destacável no governo Lula (2003-2010), esgotou-se, estou de pleno acordo.

Muitas críticas da população, excluindo disso esses radicais de direita (liberal-conservadores) que criticam tudo sistematicamente por politicagem, se deu porque o governo Dilma deu várias guinadas à direita, distanciando-se das bases que deram força e a elegeram, em que pese que esses desestabilizadores souberam aproveitar o ocorrido pra insuflar mais ainda o povo e direcionar politicamente o descontentamento pra gerar despolitização ou ampliar esse problema.

Eu creio que a Dilma entendeu o recado que isso tudo levou (a essa disputa tensa eleitoral desse ano), e o maior derrotado nisso tudo foi o Lula, ironicamente. Aquela ideia que vários petistas ufanistas (que eu os chamo de "triunfalistas", que contam com o ovo no ** da galinha ignorando a força do outro lado) passavam que bastava colocar o Lula na TV pra eleger fácil qualquer um se transformou num estrondoso fiasco político.

Se eles não entenderam o recado que as urnas deram agora, não irão entender mais, mas muita gente na esquerda entendeu o que se passou (ainda bem). Tem setores no PT que sabotam o governo Dilma por esquerdismo infantil, como este grupo chamado "Mensagem ao Partido" do qual faz parte o Sr. Cardozo que tem detonado o governo dela como Min. da Justiça, ou por incompetência ou por tucanice.

Houve erros sim do governo, não tenho dúvidas disso, mas se houvesse uma ação mais efetiva do aparato do Estado pra levantar quem inflou esses protestos, parte disso teria tido impacto menor ou mínimo, e o responsável por isso não fez praticamente nada (o Ministro da Justiça).

Saiu num jornal espanhol que num protesto parecido com esses, que tentaram fazer na Catalunha, o grupo dos mascarados tinha gente dos EUA ou treinado por esse tipo de grupo que aparece no vídeo sobre essas "revoluções coloridas".

O vídeo daquela garota Dauden contra a Copa não foi um vídeo amador, espontâneo, de alguém "protestando", o vídeo é profissional e bem calculado e foi usado como modelo em vídeos que circularam na Ucrânia e Venezuela, e agora uma notícia que tem um igual circulando no México.

Quem acreditar em "ativismo cívico" nisso, sinceramente, está sendo ingênuo. Grupos populares não se expressam dessa forma, de maneira cinematográfica. Quando entra essa espetacularização no meio tem dedo de armação. O problema é que só o aparato do Estado chegaria aos incitadores do vídeo ou a quem fez e parece que não há interesse do governo em ir a fundo nisso. O "ir a fundo" serviria como proteção a futuros ataques/manipulações desse tipo, pois podem vir a ocorrer de novo. Se terão impacto dessa vez, são outros quinhentos, por isso é bom deixar a população sob alerta pra não serem pegos pela segunda vez na mesma isca.

Manifestações grotescas sem líderes, partidos etc, acabam virando terreno fértil pra autoritarismo e extremismo de direita. Ficou bem claro isso no resultado das urnas pro congresso nacional.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget