quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

O Hitler "marxista". As falsificações de Hermann Rauschning - Parte 1

Já circulavam no Orkut "frases soltas" de um suposto livro de um alemão (que só não digo que alegaram que ele era historiador porque não salvei print disso e, como o Orkut rodou, o Google tirou do ar como a maioria já sabe, não dá pra recuperar as discussões) "provando" o marxismo de Hitler e consequentemente a falácia da extrema-direita liberal (que se denomina "libertária") de que o "nazismo é de esquerda".

O livro em questão é do Hermann Rauschning. Abaixo segue a explicação sobre o "status" do livro, vale a pena ler até o fim.

Mas irei mostrar mais uma vez porque não discuto esse tipo de idiotice com quem prega esse tipo de distorção. É uma discussão pueril, muitas vezes pior do que as que ocorriam com os "revisionistas" (ao menos esses leem o que pregam, ou têm uma ideia do que discutem, mesmo que façam distorções também).

Quem prega essas mentiras, com veemência (fanatismo tem disso), está assinando atestado de imbecilidade e desonestidade em último grau, ou está afirmando claramente (mesmo sem querer) que não tem ideia do que propaga e só repete bobagem que leu na internet pra defender seu extremismo político.

Só lembro remotamente de uma pessoa querendo discutir essa questão do "nazismo de esquerda" a sério, a pessoa tinha dúvidas e não "certezas", o que propicia um debate. Mas a maioria que repete esse mantra só sabe repetir clichê e defender a distorção, mesmo que mostrem que não tem valor algum.

Não lembro mais exatamente do teor exato das discussões mas lembro das citações desses trechos do Rauschning razoavelmente, era algo bem "bombástico" (entre aspas). Tão "bombástico" que nenhum Historiador de peso sobre nazismo "levou a sério" antes (essa é a parte hilária da coisa). O termo "bombástico" aqui é uma ironia, pois é absurdo alguém crer/achar que algum historiador de segunda guerra/nazismo não tenha ideia de que nazismo é de extrema-direita ou do que se trata o livro de Rauschning, e eles explicam o porquê do nazismo ser de direita/extrema-direita em livros sérios do tema. Há vários títulos nos posts de bibliografia e ranking, basta procurar. Só lê porcaria, hoje, quem quer. Informação não falta, é só procurar.

Sem mais delongas, o livro em questão é do Hermann Rauschning, conservador revolucionário alemão (pois é, existe "revolução conservadora", ao contrário do que certo astrólogo, guru de uma patota barulhenta espalhou dogmaticamente anos a fio na rede como sendo a "verdade das verdades"), que diz ter sido feito de conversações com Hitler. A quem quiser ler mais sobre esse movimento revolucionário conservador alemão, confira o post:
O Movimento Revolucionário Conservador alemão, precursor do nazismo
E a tag (marcador): Conservadorismo

Só há um "pequeno problema" com o livro do Rauschning: o livro é fraudulento, falso, tem crédito zero com historiadores de peso (como o Ian Kershaw, dentre outros nomes, ficarei devendo o trecho) que alegam que Rauschning inventou diversas partes do livro e que o livro é descartável. Só isso basta pra não discutir qualquer trecho reproduzido do livro por fanatismo político e panfletagem.

Podem ler a parte do verbete que comenta o caso e os que contestam, entre o Ian Kershaw (como já citei acima), autor britânico da que é considerada a melhor biografia de Hitler (a mais completa):

Clique em Authenticity of Hitler Speaks pra ler a contestação do livro. (A autenticidade de "Voice of Destruction", é como foi traduzido o título do livro pro inglês, ou uma das traduções). Ficarei devendo a tradução. Pode ficar pruma parte 2 deste post.

Em francês a parte onde comenta que o livro é fraudulento: Hitler m'a dit, une source discréditée

O verbete em português da Wikipedia sobre Rauschning é simplesmente deprimente, não menciona essa questão de que o livro não tem crédito e relata as "conversas" como se fossem sérias. Confirmando o que eu já disse sobre a Wikipedia, o problema dela é a versão em português, onde um bando de cabeças de bagre cortam o que é acrescentado, mesmo se correto, e deixam essa porcaria no lugar por sectarismo ideológico e desonestidade, a versão da Wikipedia em inglês é muito boa e completa. Se o dono do site observar esse problema (a polarização política, fanática, desonesta e sectária que há no Brasil principalmente), melhorará a versão em português.

A quem "chiar" (der piti) porque a Wikipedia foi usada, o conteúdo que consta dela (verbete em inglês) está correto, é isso que importa e não o fato de estar na Wikipedia, há as notas para verificar de onde foram tiradas as informações. Digo isso porque tem uma massa de pedantes (e ignóbeis) neste país que tentam desqualificar a informação/conteúdo só por o mesmo estar na Wikipedia, mesmo se você apontar o livro original (colocar links, trechos etc, como consta aqui e que constará no post da sequência). Repito isso, 'n' vezes se for preciso, porque chega dessa desqualificação ridícula como arma retórica. As citações nos verbetes em inglês contam com as informações nas notas, se o povo não verifica as notas é outra discussão, mas já desqualificam a Wikipedia sem fundamento (refiro-me à versão em inglês, a em português é de fato problemática). Este é um preconceito que perdura mais no Brasil (como vários outros preconceitos).

Voltando ao tema que interessa, a disseminação dessas frases do "Hitler marxista" ou "executor do marxismo" prosseguiram pela web, além do Orkut, obviamente.

Se as pessoas ao menos verificassem esses trechos sensacionalistas, de onde saem, verificariam a falsificação facilmente. Infelizmente a maioria não verifica trechos controvertidos demais (que não são aceitos por nenhuma correta historiográfica), preferem crer em qualquer bobagem que leem na rede.

O mais curioso é que a extrema-esquerda "esperta", que "sabe tudo" (que geralmente tem ranço com este blog por conta do nome), porque quando a gente comenta ou corrige algo deles alguns já ficam irritados porque "não pode estar errado", não souberam rebater/localizar uma bobagem dessas e evitavam participar das comunidades de segunda guerra do Orkut. Vivem num mundo à parte. Toda vez que aparecia uma olavete panfletando besteira sobre segunda guerra (como essa do post), esse pessoal da extrema-esquerda sectária costumava ficar perdido (embora nunca admitissem) por não entenderem que não basta fazer escárnio com esse tipo de extremismo, tem que mostrar seriamente que a panfletagem pregada por esse pessoal é uma distorção, uma mentira. Mostrar de onde foi tirada, o que é aceito como sério etc, indicar alguma fonte séria pro povo ler e não ficar fazendo "gracinha" gratuita por escárnio.

Há um desinteresse nesse pessoal (da extrema-esquerda e esquerda em geral) por temática de segunda guerra, guerra fria etc, mas acham que conseguem rebater o arsenal de distorções da direita radical (que adquiriu certa "tara" por segunda guerra) sem ler esses temas, com sectarismo, ficando em guetos.

Deixando essa questão de lado, irei transcrever uma citação do livro como ela costuma ser repetida a exaustão (inclusive com o nome do autor do livro escrito errado, pra vocês verem, nem um erro desses, banal, a turma da panfletagem corrigiu ou verificou), pois foi por esse trecho que localizei o livro. Inclusive o trecho tem antissemitismo escancarado.

Depois eu "passo" por "chato" (dizer a verdade num país onde grupos radicais inflados pela mídia querem falar mais alto que o Papa está virando um ato de resistência política) por afirmar que esses grupos radicais liberais do Brasil não veem muito problema em endossar esse tipo de panfletagem, embora quando são apertados começam a negar. Essa é a primeira:
"Eu não sou apenas o vencedor do marxismo. Se se despoja desta doutrina seu dogmatismo judeu-talmúdico, para guardar dela apenas seu objetivo final, aquilo o que ela contém de vistas corretas e justas eu sou o realizador do marxismo". (Adolf Hitler, apud Hermann Rauschinning, Hitler m'a dit, Coopération, Paris 1939, pp 211)
Outro erro, o termo "pp" em português é usado como sigla pra "páginas" (plural). Também não corrigiram. A transcrição acima (e as demais) deve ter sido coletada em algum site de extrema-direita francês (traduzidas pro português, mas vai que venham do espanhol), pois cita a edição em francês e o título do livro em francês também.

Quem quiser ver o livro original (em francês), confira neste link abaixo (em PDF):
"Hitler M'a dit" de Hermann Rauschning

E aqui a versão em inglês do livro (em PDF):
THE VOICE OF DESTRUCTION - Hermann Rauschning

Em espanhol (não localizei o PDF):
Hitler me dijo: Entrevista de Hermann Rauschning a Adolfo Hitler

O nome do Rauschning acima (no link dos PDFs do livro) está correto, ao contrário da tradução com erro do nome que está em destaque mais acima, com trecho do livro.

Curioso que num dos sites ou página que colocam essa panfletagem com os trechos do livro, diz que o "livro é raro". O livro é tão raro que tem logo dois PDFs dele acima com cópias, em francês e inglês, pra todo gosto, hahahaha. Se não me engano eu acho até que encontrei isso em espanhol. O livro se encontra a um clique e não o localizaram. Mas pra reproduzir besteira, são rápidos.

Sobre os sites que reproduzem a panfletagem como correta, podem achar pela web, eu não colocarei isto aqui pois não quero esse tipo de fanático enchendo o saco, chorando, achando que vou ceder e concordar com a mentira deles pra não ficarem "chateados". Essa gente olavete, ou neocon brasileiro, é muito, mas muito insuportável/chato, com um nível de discussão ridículo. Foi por isso que evitei ao extremo citar esse povo aqui, nunca os quis por perto, o nível baixa (quando falo em baixar, é no sentido literal: partem pra agressão, xingamento, grosserias e coisas do tipo) e sou chato nesse ponto.

Deixando isso de lado, como entendo melhor o inglês (eu não falo francês, apenas entendo porcamente alguma coisa, por enquanto, dá só pro gasto com ajuda do tradutor), usarei a versão do livro em inglês em vez daquela em francês.

O trecho que destaquei acima segue abaixo da edição em inglês (PDF, pág. 115), com tradução minha na sequência. E como dá pra ver, a tradução que fizeram antes está distorcida (pra variar...):
"I am not only the conqueror, but also the executor of Marxism—of that part of it that is essential and justified, stripped of its Jewish-Talmudic dogma."

"Eu não sou apenas o conquistador, mas também o executor do marxismo-daquela parte dele que é essencial e justificada, tirando dele seu dogma judaico-talmúdico."
E tem mais abaixo, só que sem indicar as páginas e não são traduções minhas, é como são encontradas pela web (eu as localizei na edição em inglês por páginas, num segundo post coloco o texto original com a nova tradução, se for necessária):
"Não é a Alemanha que será bolchevisada, é o bolchevismo que se tornará uma espécie de nacional socialismo. Aliás, existem entre nós nazistas e os bolchevistas mais pontos comuns do que há divergências, e, antes de tudo,o verdadeiro espírito revolucionário, que se encontra na Rússia como entre nós, por toda a parte onde os marxistas judeus não controlam o jogo. Eu sempre levei em conta esta verdade e é por isso que eu dei ordem de aceitar imediatamente no partido todos os ex comunistas"

"Eu aprendi muito do marxismo, e eu não sonho esconder isso. O que me interessou e me instruiu nos marxistas foram os seus métodos. Todo o Nacional Socialismo está contido lá dentro. O nacional socialismo é aquilo que o marxismo poderia ter sido se ele fosse libertado dos entraves estúpidos e artificiais de uma pretensa ordem democrática"

"Que significa ainda a propriedade e que significam as rendas? Para que precisamos nós socializar os bancos e as fábricas? Nós socializamos os homens"
Eu farei uma segunda parte deste post e nela coloco os trechos mencionados acima no livro original em inglês, citando a página do trecho, onde tentarei colocar os comentários do Kershaw (traduzidos, foi por isso que cabe um segundo post, mas tem o link sobre isso em inglês, acima) e outros autores sobre a credibilidade desse livro do Rauschning, já que só tem comentário sobre a fraude desse livro em sites "revisionistas", confiram o texto em inglês e francês (ambos os sites são negacionistas, fica o aviso):
Rauschning's Phony 'Conversations With Hitler': An Update. Mark Weber
Les fausses «Conversations avec Hitler» de Rauschning : une mise au point. Mark Weber

Os "revis" também afirmam que o livro é uma falsificação.

Vejam só a que ponto chegamos, o fanatismo dessa extrema-direita liberal (libertária) é tão grande que até "revis" conseguem demonstrar que algo está errado de tanta cretinice que esses "libertários" (ultraliberais) panfletam sobre nazismo e segunda guerra. Fiz o post na pressa senão acabaria deixando de lado.

Como acho que já mencionei acima (se for redundância depois eu corto, ou corrijo), esta panfletagem é também espalhada em círculos "conservadores neocons", que são reacionários que em tese "odeiam" o nazismo (mas nem tanto assim...). O "ódio" é porque hoje em dia "pega mal" eles declararem amor aos nazis com o sentimento anti-esquerda deles (com a retórica da guerra fria, quem for de esquerda é "comunista"), mas eles não sentem uma aversão "profunda", daí preferem manter "certa distância" desse tipo de denominação (taticamente) até que estoure algum regime fascista de novo na Europa e o Fascismo fique "fashion" (na moda) de novo, pra valer. Já vi vários declararem amor à Marine Le Pen em páginas de Portugal, amor à "verdadeira direita" (rs). Como disse em outros posts, esses "libertários" (ultraliberais) do Brasil são o PSTU da direita. Eles, o Bolsonaro e cia.

Com os últimos posts sobre fanatismo político no país, 3 perfis saíram do blog (da parte "seguir"), só pra mostrar a quanto anda o extremismo político no país.

10 comentários:

João P. Santos disse...

excelente que tenham tocado neste assunto pois como ressaltaram no orkut estes textos do Hitler marxista já circulavam e quase ninguém sabia a fonte, nem que era desacreditada.

Fenix Ressurreição disse...

Com todo respeito, seu Post foi fraco e digno de pena e o motivo é bem simples:
1. Em nenhum momento você mencionou a forma ou metodologia que esses autores citados por você fizeram para provar que o referido livro é "fake";

2. Em nenhum momento você mencionou se leu ou não o livro em questão, para só assim tirar uma conclusão pessoal. Portanto, é mais uma "diz que me diz" sem qualquer fundamentação lógica.

2. O livro realmente tiveram várias cópias fraudulentas e modificadas publicadas em redes sociais. Entretanto, o livro "ORIGINAL" existe "ÚNICA" e exclusivamente em forma física, tanto que essa alegação de que o livro era falso só começou a ocorrer após a morte do autor. Na época ele havia sido censurado e não poderiam divulgar nada a respeito (essas informações você consegui nos dossiês da antiga KGB que ao todos ultrapassam mais de 100 documentos com mais de 80 páginas cada documento desses somente 3 vieram p/ o Brasil).

3. Acha que existe algum historiador no MUNDO que tenha total domínio quanto a todos os relatórios da KGB??? é claro que não...e infelizmente meu caro, a autenticidade desse livro só pode ser questionada com a leitura e o completo domínio de todos esses relatórios.

Mas confesso que você até se esforçou para tentar dizer que o livro é falso. No entanto, essa conclusão não é possível sem levar em conta todas as vertentes que eu mencionei, por isso lamento pela sua limitação intelectual.

Roberto disse...

"Com todo respeito, seu Post foi fraco e digno de pena e o motivo é bem simples:
1. Em nenhum momento você mencionou a forma ou metodologia que esses autores citados por você fizeram para provar que o referido livro é "fake";"


Vou destacar uma parte do que comentei no post que se refere exatamente a isso, só que eu deveria ter deixado mais em destaque, e até complementado, dizendo que iria reformular o post pois faltou muita coisa. Achei melhor deixar incompleto a remover o post:

"Eu farei uma segunda parte deste post e nela coloco os trechos mencionados acima no livro original em inglês, citando a página do trecho, onde tentarei colocar os comentários do Kershaw (traduzidos, foi por isso que cabe um segundo post, mas tem o link sobre isso em inglês acima) e outros autores sobre a credibilidade desse livro do Rauschning, já que só tem comentário sobre a fraude desse livro em sites "revisionistas""

Ian Kershaw é este aqui:
https://pt.wikipedia.org/wiki/Ian_Kershaw

Eu acho realmente curioso a veemência com que duvidam de uma das maiores autoridades sobre nazismo (o Kershaw, mas se não me engano eu separei mais coisas, é que está em rascunho e não voltei mais ao post) só porque o tal livro citado não serviria mais pra fins ideológicos, que é basicamente pra isso que o livro do Rauschning está servindo, fora que conseguiram a proeza de distorcer uma "fonte" já distorcida.

Roberto disse...

"2. Em nenhum momento você mencionou se leu ou não o livro em questão, para só assim tirar uma conclusão pessoal. Portanto, é mais uma "diz que me diz" sem qualquer fundamentação lógica."

Mas qual a base pra você afirmar isso? Eu não li o livro todo, mas li vários trechos dele, além dos que foram citados e bate com o que foi criticado do livro. O Rauschning nem do círculo íntimo de Hitler era, como ele "sabia" de informações tão próximas a Hitler sem ter muito contato com o mesmo? Isso é uma fundamentação lógica. Só acho bizarro que continuem a defender o livro "ignorando" esses fatos.

"2. O livro realmente tiveram várias cópias fraudulentas e modificadas publicadas em redes sociais. Entretanto, o livro "ORIGINAL" existe "ÚNICA" e exclusivamente em forma física, tanto que essa alegação de que o livro era falso só começou a ocorrer após a morte do autor. Na época ele havia sido censurado e não poderiam divulgar nada a respeito (essas informações você consegui nos dossiês da antiga KGB que ao todos ultrapassam mais de 100 documentos com mais de 80 páginas cada documento desses somente 3 vieram p/ o Brasil)."

Tem a fonte disso? Porque vocês costumam citar "dossiês" da KGB que até historiadores do nazismo (como o Kershaw e outros) desconhecem. Fora insistirem em dizer que o livro só existe em forma física e eu mostrei no post que isso é falso, tanto que as traduções erradas provavelmente foram feitas em cima desses arquivos digitais.

Coloquei mais de um arquivo acima, digitalizado, do livro original (tem até ele aqui em espanhol): https://pt.scribd.com/doc/163039528/HITLER-ME-DIJO-Hermann-Rauschning-1946-pdf. É incorreta a afirmação de que só existe cópia do livro em formato físico, e a cópia digitalizada não me parece falsa (em relação ao conteúdo do livro original).

Mas, ou viram os links acima ou simplesmente não leram direito o post, que mesmo incompleto contém esses links. Incompleto, porque tem bem em destaque que essa é a Parte 1 do texto.

Roberto disse...

"3. Acha que existe algum historiador no MUNDO que tenha total domínio quanto a todos os relatórios da KGB??? é claro que não...e infelizmente meu caro, a autenticidade desse livro só pode ser questionada com a leitura e o completo domínio de todos esses relatórios."

Se você me apontar que relatórios são esses, pois você cita isso de forma vaga, como se esses historiadores não soubessem da questão ou como se isso tivesse grande relevância pois eles tiveram acesso ao conteúdo original do livro (isso é bem fácil de conseguir na Europa, pois o grosso do estudo de nazismo se situa na Europa e também nos EUA).

Você está enveredando pro caminho de uma "teoria da conspiração" pra defender a ferro e fogo o conteúdo do livro do "Hitler marxista", o que já considero uma grande tolice pois quem repete essa bobagem de "Hitler marxista" e "nazismo de esquerda" no Brasil está repetindo a panfletagem da turma "libertária" (liberal) dos EUA, que é quem dissemina isso sem respaldo algum desses historiadores sobre nazismo (e os que eu cito não são marxistas).

O Joachim Fest (outra autoridade sobre nazismo) era conservador e católico e nunca tratou o nazismo como "de esquerda". Ressalto isso pois sua defesa do livro provavelmente tem ligação com essa posição, mas é mais uma repetição ideológica de discurso do que propriamente algo que tenha respaldo de historiadores de peso como os que citei.

Só que como vivemos num país onde parte da população sucumbiu ao discurso conspiratório e paranoico de figuras como Olavo de Carvalho (que é um dos que disseminam isso na rede), porque só gostam de ler (quando leem) coisas que reforçam os próprios preconceitos ou posições políticas, onde o mesmo (o tal OdeC, e outros como ele) não cita fonte séria alguma sobre essa questão, é difícil levar esse pessoal a sério a não ser como "ato de fé" (dos seguidores deles).

Roberto disse...

"Mas confesso que você até se esforçou para tentar dizer que o livro é falso."

Mas o livro é falso, rs, e não fui só eu que disse, apenas não foi possível concluir o post, rs, mas o farei quando for possível.

De qualquer forma: você poderia checar (se quisesse) por conta própria as citações já deixadas no post, mas é melhor desqualificar do que verificar, rs. Mostrei inclusive os trechos distorcidos e a crítica que veio foi dizer que só existe o livro em "forma física" (o que é falso) e citações de supostos "dossiês da KGB" que ninguém viu ou vê. Em quê um suposto dossiê da KGB alteraria o texto do livro? Não mostraram.

Detalhe: até os "revis" dizem o mesmo do livro. É um caso curioso quando ambos os lados que discutem o tema (o que os "revis" chamam de "afirmacionistas", quem não é "revisionista") concordam em algo e alguém quer contestar isso seguindo a panfletagem da direita "libertária" dos EUA, que é a fonte dessa posição ("nazismo de esquerda, Hitler marxista").

"No entanto, essa conclusão não é possível sem levar em conta todas as vertentes que eu mencionei, por isso lamento pela sua limitação intelectual."

Não lamente por minha suposta "limitação intelectual" (primeiro "ad hominem", rs), apenas leia e verifique as informações sem desaguar em "teorias" sem fundamento. Onde estão os arquivos da KGB sobre isso que você menciona? Eu coloquei os arquivos do livro no post (você poderia ler no original, foi por isso que coloquei os arquivos, em vez de só criticar que eu não li, rs). Essas "teorias" que você repetiu defendendo o livro não são endossadas por historiadores do nazismo como o Kershaw, Fest e outros, são crenças disseminadas por gente como Olavo de Carvalho e todo esse besteirol dessa "neodireita" liberal do país, que mais panfleta (opina) sobre tudo em vez de procurar entender algo sobre política e História.

O lado positivo de quando começam a querer panfletar sobre segunda guerra é que a quantidade de material disponível (e bom) sobre o assunto na rede sobre o tema é muito grande (principalmente da Europa e EUA) e mesmo gente que se identifica com a direita fora do Brasil (sem ser de extrema-direita) não endossa essas sandices defendidas pela "direita liberal" do país. A verificação das afirmações falsas sobre o tema também não é difícil de se checar.

Quando as pessoas querem tratar temas como esse na base do "Fla x Flu" (como chamam) que se criou no país há anos (que é como está o nível de discussão política do país há muito tempo, e ressalto isso em vários posts pois muita gente de fora lê o blog e não sabe como está o "clima" político no país), o post foi feito justamente pra mostrar o nível de manipulação da coisa quando usam questões relacionadas à segunda guerra pra panfletagem e quem usa fica numa posição incômoda pois não é difícil desmontar esse tipo de afirmação/acusação.

Hugo Desmascarador disse...

Cita um ou outro historiador que deve ser de esquerda que dizem que o livro não é verdadeiro. Mas não disse quantos outros historiadores disseram que o livro é sim verdadeiro.

Vocês tem um medo danado da verdade, morrem acreditando na matrix socialista, seu blog e seu tempo perdido com algo infundado na realidade é o resultado de uma alienação bem grande de sua parte, gosta de dizer que os outros são alienados, mas não tem o mínimo de reflexão para entender que o alienado é você.

Roberto disse...

"Cita um ou outro historiador que deve ser de esquerda que dizem que o livro não é verdadeiro. Mas não disse quantos outros historiadores disseram que o livro é sim verdadeiro."

Por que vc não pesquisa por conta própria em vez de ficar se lamuriando e dando "chute" sem nem saber quem está criticando? "Um ou outro historiador"? Os historiadores que citei são o "top" (topo) em nazismo e segunda guerra, não são "um ou outro" e nem um deles endossaria as asneiras que pessoas que pensam como vc repete no país. Nenhum dos que citei, que eu saiba, são de esquerda, só não são quadrúpedes (atrasados, desonestos e estúpidos) como as "cabeças" da direita brasileira.

Em vez de só reclamar e tentar desqualificar, poderia mostrar os erros já que a internet até facilita vcs localizarem historiadores sérios de nazismo que endossam os textos do Rauschning. Só aviso que vão procurar em vão, mas que nem isso fazem pra dizer "é, procurei e não achei".

Roberto disse...

."Vocês tem um medo danado da verdade, morrem acreditando na matrix socialista"

Cidadão, não há matrix socialista alguma aqui, eu nunca procurei historiadores por serem de esquerda ou de direita e sim que tenham peso, pare de ficar tecendo julgamentos ridículos porque em vez de procurar ler algo que preste pra abrir essa sua cabeça fechada vc vem aqui (como outras toupeiras da extrema-direita liberaloide do país) tentar endossar uma fraude só porque supostamente serve pra "demonizar" a esquerda. Vcs são até piores que os "revis", pois esses ao menos (uma parte) lê (nem que seja as asneiras deles) pra discutir, vcs nem isso fazem.

.""seu blog e seu tempo perdido com algo infundado na realidade é o resultado de uma alienação bem grande de sua parte"

Se eu fosse sacana eu te rotularia de negador do Holocausto porque o grosso desse blog trata desse tema. Eu só fui mudar o assunto do blog pra extrema-direita e o que se passa no país de um tempo pra cá, mas nos anos que só se colocou coisas sobre o Holocausto, segunda guerra etc não aparecei uma toupeira como vc pra discutir coisa alguma. Se há uma coisa que não tenho saco e nem obrigação de aturar é comentário imbecil dizendo besteira, já fui mais tolerante com isso mas não tenho mais paciência com golpistas e essa direita burra do país que crê que havia um "regime socialista" no Brasil, só um bando de hienas pra repetir (e crer) uma cretinice dessas.

"gosta de dizer que os outros são alienados, mas não tem o mínimo de reflexão para entender que o alienado é você."

Eu uso termos como "alienados" e "ignorantes" pra ser mais ameno com vcs, pois o brasileiro coxinha (reacionário, de direita) do país gosta de atacar os outros mas quando tomam um revide ficam querendo posar de vítimas (sem sê-las), mas o termo apropriado pra vocês é estupidez e cretinice, um certo problema cognitivo mesmo, por isso que eu até relevo alguns comentários estúpidos que soltam por aqui por pena, mas nem sempre costumo ser "bonzinho" (se eu estiver mal humorado no dia eu confesso que não costumo ser das melhores pessoas discutindo e não alivio no comentário duro, pois vcs merecem).

O desprezo de vcs pelo conhecimento é motivo de vergonha pro país, não é nem questão ideológica isso mais, é pura indigência intelectual e moral. E tb já fiz comentários deste tipo pra gente de esquerda, eu não tolero "toupeirice" nem de um lado quanto do outro (da direita), por isso que vc vê pouca gente de esquerda comentando aqui, quer seja por preconceito cretino (achando que todo mundo é "sionista" ou com preconceito com Holocausto ou mesmo temas da segunda guerra) ou simplesmente preguiça de ler, interesse por esses temas que são centrais pra se entender a política no mundo.

Pra não dizer que o problema é só do lado da direita, o Brasil hoje está nivelado politicamente por baixo, politicamente falando, a discussão política do país virou discussão de gente estúpida que acha que vence no "grito", só que eu não tenho medo de grito nem de cara feia, comigo esse tipo de postura não tem efeito algum. Prefiro passar por chato, insuportável etc do que ser conivente com a impostura de vcs, não serei cúmplice da cretinice política dessa direita e esquerda de "torcida de time de futebol" e não tenho medo de nenhum dos lados.

Roberto disse...

Procurem os erros, apontem, pesquisem, mas não venham com esse choro ridículo de fedelho mimado que leu a porcaria de uma anta como Olavo de Carvalho e site de Mises online (que só publica merda) e acha que pode dizer o que quiser que isso automaticamente se torna "verdade". Não tenho saco pra idiotice desse tipo, nunca tive, por isso que sempre evitei citar o nome desse imbecil aqui e dos seguidores dele pro nível não baixar muito, mas paciência tem limite e não mais evitarei detonar esse tipo de público, até pelo mal que fizeram ao país.

Não vou aliviar com quem cassou meu voto, independente do governo eleito ter ido mal etc, não serei cordial com golpistas e gente lunática que repete asneira sobre "comunismo" no Brasil (que não existe) pra favorecer essa elite sem vergonha, estúpida, escrota e arcaica do país.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget