quarta-feira, 30 de abril de 2014

Insultos "carinhosos" e os "judeus santos" segundo os "revis"

Eu ia (e ainda vou) tentar fazer um post sobre a notícia da fuga de Hitler pra Argentina que o Daniel postou aqui, e acabei me lembrando que tem outro post, que acho que cheguei a trocar a matéria por uma 'melhorzinha', sobre o caso e gêmeos numa cidade do Rio Grande do Sul, que precisa ser citado como hoax e que algum jornalista argentino propagou esse tipo de fábula/lenda como "verdade".

Mas em parte é até bom reler esses posts antigos pois muitas vezes a pessoa nem presta atenção direito ao que fora dito antes e acaba se surpreendendo ao ler novamente os comentários. Deparei-me com esse comentário "carinhoso" aqui de um perfil "revi" que provavelmente é fake e se identificou como "Marcelo Andre", sobre "garimpar" notícias que "beneficiam" os judeus e os colocam como "santos" e outras asneiras do tipo, confiram o comentário:
Marcelo Andre disse...

"Estranhamente" esse blog só garrimpa notícias que beneficiam os judeus (os coloca sempres como "santos", inocentes). Gostaria de ver um pouco de imparcialidade.

Que tal postar notícias, que mostram ações dos "santinhos" também?

Posso indicar/garrimpar pra vcs, se os mesmos não encontram(?)

http://altamiroborges.blogspot.com/2009/01/eua-bancam-o-terrorismo-de-israel.html

esse foi um de que me lembrei de ter lido a poucos dias.

Mas posso indicar muito mais, conforme minhas "surfadas" pela internet, e olha que não são poucos os artigos condenando esses "santos".

Não entendo como vcs não conseguem acha-los.

Vai ver é tudo mentira desses anti-semitas "duma-figa", não é?
E o cara ainda inventou um verbo novo: "garrimpar", rsrsrs.

Isso é só uma pequena amostra do que a gente tem que aturar.

O mais engraçado é que o cara faz uma série de acusações e generalizações ignorando totalmente o conteúdo do blog que é sobre o genocídio da segunda guerra, nazismo/fascismo e sobre a ação da extrema-direita no pós-segunda guerra, principalmente na Europa e nas Américas. Se alguém não gosta do assunto basta criar um blog e discutir sobre o que quer, cada um é livre pra isso. Por que não fazem?...

Mas tentar obrigar os outros a seguir "pauta" só por capricho, isso é desatino e coisa de gente sem noção, pois ninguém é obrigado a discutir algo só porque algum fulaninho mimado quer. Pior, discutir em tom acusatório. Não há debate algum nesses termos mas muita gente no país de uns tempos pra cá acha que isso é "discussão" e que se "aprende" muito com isso (com troca de farpas).

O blog não é sobre discussão de Oriente Médio como já foi dito várias vezes antes (link, esse post só foi ilustrativo), embora eu posso discutir o assunto sem problema, mas fica uma pergunta: alguém veio discutir isso? O cara no comentário faz acusações mas não discute e quer que a gente comente sem nem haver uma discussão? Poço de incoerência desses caras. Cobram algo, enchem o saco e depois somem.

Há outro problema que é o fato de alguns posts antigos terem notícias que eu hoje não as colocaria, só que não as removo porque acho que independente deu concordar ou não com elas, perderia-se o sentido do que foi publicado em determinada ocasião. A não ser que seja algo extremamente dispensável, é bom deixar a maioria do que foi postado como está.

Eu colocava às vezes as coisas como algo informativo ou pra ter discussão, não necessariamente concordando com o conteúdo do texto, e isso é engraçado pois recentemente tive que ler um piti porque fui crítico aos Estados Unidos (em relação à política externa daquele país) e vendo agora algumas matérias que coloquei por conta do genocídio, eu seria atacado por algum extremista como "pró-EUA" mesmo sem ser. Ou seja, você recebe ataque de tudo quanto é extremo e pensamento binário. Vi que falta matérias mais críticas sobre a questão do Oriente Médio mesmo, mas foi intencional não misturar o assunto (que muita gente no Orkut misturava de forma idiota), algo que corrigirei quando e se for possível. Mas isso se deu por eu querer manter a distância certos grupos radicais que discutiam isso no Orkut, o tipo de discussão que essas pessoas faziam por lá satura qualquer pessoa.

Mas voltando ao comentário destacado acima, algumas considerações:

1. Caro "Marcelo Andre", eu não "garrimpo" notícias que beneficiam judeus, isso é sua interpretação distorcida do assunto. O genocídio ou nazismo não SÓ afetou judeus e não é coisa só de interesse de judeus pois o nazismo envolveu vários países, incluindo o Brasil, e a discussão do racismo do nazismo (a ideia) tem sido difundida e repassada no país por gente que simpatiza com isso. Então não se faça de "ignorante" por não entender o problema. Esse tipo de mentalidade racista existe no Brasil, se você quer ignorar, problema seu, mas não sou obrigado a fazê-lo por capricho de gente que comenta uma vez (com fakes) e some.

2. Eu não discuto o assunto segunda guerra/Holocausto por conta da comunidade judaica, mesmo que o evento histórico também diga respeito diretamente a mesma. O assunto não é restritivo a ela pois como disse acima, a ideologia nazista não afeta apenas judeus, o fascismo não fez vítimas apenas judeus, a ideia de supremacismo racial contida no nazismo pode ser adaptada por qualquer grupo pra determinados fins, a mesma já era bem difundida nos Estados Unidos com a Klan sem partido nazista algum, o Brasil teve quase 4 séculos de escravidão sem "partido nazista" e programa de eugenia pra branquear o povo, então é um assunto abrangente e que qualquer pessoa pode discuti-lo. O problema é que há gente obcecada com judeus e que vê tudo em torno deles, ideia fixa. Quanto a isso não posso fazer nada, não irei curar obsessão alheia. Quem quiser surtar com isso, fique a vontade. Quem acha que nazismo só diz respeito a judeus, das duas uma: ou é idiota/ignorante ou antissemita/filossemita.

3. Quem nasce em Israel é israelense, mesmo com a definição que este país costuma repassar de que é um "Estado judeu", eu sei que o termo confunde porque até sites ligados a Israel criam confusão com o termo e muitos não esclarecem nada, mas judeu é relativo a povo, Israel é Estado, e naquele Estado não só nasce judeus, como árabes e outros grupos minoritários. Se você não sabe a diferença de Estado e nação, não sou eu que irei explicar a você algo tão banal e básico.
3.1 Existem explicações rápidas e curtas na própria Wikipedia, por que você não lê isso pra ficar menos tapado ao invés de vir fazer acusações com base em confusões de conceitos? Sim, conceitos existem mesmo quer você goste ou não, e discussões são travadas em cima deles. Como alguém discute algo sem ter noção de coisas básicas como essa? Um exemplo: uma pessoa que nasce no Brasil é brasileiro por definição (nacionalidade), judeu, árabe ou não (isso é referente ao que se entende hoje como "etnia"), a nacionalidade brasileira é definida desta forma, pelo nascimento ou naturalização ou filhos de pais brasileiros nascidos no exterior (podem requisitar a nacionalidade brasileira). Se você discorda disso, "crie" uma "lei de sangue" e tente passar o projeto no congresso, só quero ver que sangue irá prevalecer nessa "proposta" levando em conta as pilhas de grupos étnicos presentes no Brasil, com predominância de alguns.
4. Sim, eu sei do problema que se passa na Palestina e em Israel, eu já comentei, tardiamente (admito) isso no post que coloquei o link acima. Já comentei que não aprovo a ocupação israelense pós-1967 e que não visualizo qualquer solução pacífica e futura pro problema ali sem que Israel acate a resolução de dois Estados e saia das áreas ocupadas após a guerra dos seis dias. Só que o fato deu dizer isso não quer dizer que o governo daquele país irá fazer o que eu digo ou condeno, obviamente. É esse o problema central desse pessoal discutindo esse assunto na rede, eles se apegam totalmente ao idealismo, a coisas abstratas, ignorando o que se passa de fato (a correlação de forças) em uma determinada região. Eu chamo isso de alienação. Você pode tomar partido político por uma causa de emancipação política em outros países mas não deve se alienar achando que o simples fato de tomar partido disso irá mudar algo. Pra mudar precisa de algo mais robusto como pressão política externa, e principalmente pressão política interna em alguns países (que têm força nesse problema) pra pressionar o governo de Israel a ceder. O Brasil não tem força política pra forçar uma mudança nesse assunto e até espero que não se meta nisso de forma incisiva pois já temos problemas internos demais pra cuidar, pra arrumar mais sarna pra se coçar, ou seja, pro governo se meter numa peleja dessas que dura mais de 60 anos e sem horizonte seria uma atitude tola do ponto de vista da política externa do país, fora a animosidade da própria mídia brasileira com a questão já que ficaram contra qualquer posição do governo brasileiro.

5. Eu nunca disse que o fato de alguém ser judeu que isso seja sinônimo de "santo", tem gente safada e escrota em qualquer grupo político ou étnico, incluindo judeus. Só idiotas preconceituosos, que ficam hierarquizando tudo, é que ficam com essa neurose de achar que por alguém comentar sobre genocídio que isso transforma alguém em "santo". É uma ideia e afirmação tão estúpida que chega a dar raiva comentar isso.
5.1 Caro "Marcelo Andre", eu não crio idealizações sobre povos, deixo isso pra você fazer, eu avalio pessoas individualmente embora posso levar em conta que fatores grupais e étnicos possam influenciar o comportamento de alguns indivíduos com cabeça mais fraca e caráter 'flexível' (frouxo). Digo isso porque não sei de onde você tirou essa ideia já que nem eu e ninguém no blog jamais comentamos isso. Fico impressionado com o prejulgamento que essas pessoas fazem, mas são as mesmas a aderirem campanhas supostamente "antirracistas" como aquela palhaçada da banana publicitária feita em cima da digníssima atitude que o Daniel Alves (jogador do Barcelona) teve em campo (presença de espírito formidável) quando um cara jogou uma banana pra ele. Sórdido ver parte dessa classe "artística" brasileira e outro jogador banalizarem isso como fizeram.

5.2 O assunto racismo é sério demais pra um bando de idiotas, que nunca se engajam em coisa alguma, ficarem fazendo média em cima disso por oportunismo e autopromoção, quando os mesmos não abrem a boca pra criticar e condenar casos de preconceito explícito no próprio país com parte da justiça brasileira passando a mão na cabeça de quem agride.
6. Sim, Marcelo Andre, a maioria dos antissemitas mentem mesmo, porque são movidos por preconceito. Mas podem, vez ou outra, comentar alguma verdade ou meia verdade, principalmente sobre o assunto do conflito árabe-israelense, pois há pilhas de críticas em jornais e na rede sobre o que se passa em torno desse conflito. Não é necessário ler besteira em sites enviesados pra se informar sobre essa questão. Pelo contrário, ao invés de você apenas "surfar" (passou parafina também na cabeça? rs), tente ler algum livro sobre o assunto ou assistir algum documentário sobre o conflito (espero ainda fazer um post sobre isso), pra se aprofundar mais sobre o que critica. Pois se ficar só nessas críticas rasas, veja o que acontece com tua crítica, dá pra triturá-la facilmente pois tem tanta generalização, prejulgamentos e erros que foi constrangedor ler aquilo.

Mas ao menos esses comentários servem pra isso, pra mostrar o que o senso comum das pessoas reproduz como sendo "verdade" por lerem sites sem terem senso crítico suficiente pra filtrar o que leem e por terem forte preconceito. Ao menos você veio comentar, tem gente que pensa exatamente isso (e besteiras de outro tipo) e não comenta.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget