sábado, 23 de maio de 2015

O espanhol que se dizia sobrevivente do Holocausto, mas foi desmascarado

Enric Marco nunca lutou contra o fascismo; pelo contrário, ele se inscreveu
como trabalhador voluntário na Alemanha nazista
Dos 7.532 espanhóis mantidos no campo de concentração nazista de Mauthausen (Áustria), só 2.335 sobreviveram.

Nesta terça-feira, completam-se 70 anos da liberação desses sobreviventes, uma data particularmente especial para a Espanha. Foi ali que terminaram a maioria dos 9 mil espanhóis deportados.

No entanto, a memória deles correu o risco de ser distorcida. Tudo devido a um impostor, Enric Marco, que até dez anos atrás foi presidente da principal associação de vítimas do nazismo na Espanha, a Amical Mauthausen.
Discurso de impacto

O historiador madrilenho Benito Bermejo, especialista em deportados da Espanha, interessou-se por Marco depois de conhecê-lo em uma conferência em 2002 – e achou a história dele muito intrigante.

Enric Marco contava que havia sido preso em Flossenbuerg, um campo de concentração na Baviera (Alemanha) e um destino atípico para um deportado espanhol.

Bermejo leu tudo o que pôde encontrar sobre o passado de Marco, a partir da versão deste - de que havia sido um anarquista obrigado a fugir de Barcelona, sua cidade natal, para a França no fim da Guerra Civil Espanhola (1936-39).

"Eu estava curioso, interessado em descobrir mais, mas logo fiquei perplexo", conta Bermejo à BBC.

"A versão de Marco para os acontecimentos mudava a cada vez que ele contava. Tanto sobre o campo de concentração quanto sobre como havia chegado ali."

Benito Bermejo também achou misterioso que nas poucas ocasiões que conseguiu falar com Marco cara a cara, ele se recusou a contar suas experiências na Alemanha nazista.

Enric Marco tem 94 anos e não se arrepende de ter mentido sobre sua presença no campo de concentração
Como presidente da Amical Mauthausen, Marco mostrou uma predileção por discursos de grande impacto, cheios de detalhes horríveis de sua suposta vida em Flossenbuerg.

Deixou vários deputados chorando ao se dirigir a eles no Dia Internacional da Comemoração em Memória das Vítimas do Holocausto, em janeiro de 2005.

Desmascarado

Buscando no arquivo do Ministério das Relações Exteriores, o historiador encontrou uma solicitação oficial do comando do Exército na Catalunha para obter informações sobre o paradeiro de Marco, já que ele não havia se apresentado para o serviço militar obrigatório em 1943.

O ministério respondeu que Marco era empregado de um estaleiro naval de Deutsche Werke, em Kiel, no norte da Alemanha.

Longe da luta contra o fascismo, Marco na verdade fez parte dos 20 mil espanhóis que trabalhavam para o Terceiro Reich sob um acordo de 1941 entre o general espanhol Francisco Franco e Adolf Hitler.

"Quando soube que Marco não foi deportado, e sim que foi à Alemanha voluntariamente, vi que algo muito estranho estava acontecendo", disse Bermejo.

Mas ele ainda tinha dúvidas quanto um possível engano de Marco, já que alguns trabalhadores voluntários que tiveram problemas com o regime nazista terminaram em campos de concentração.

Durante meses, o historiador buscou uma explicação de Marco.

Descobriu que Marco fora preso brevemente em Kiel, mas nunca foi condenado, e muito menos enviado a um campo de concentração.

Logo, durante o evento para comemorar o 60º aniversário da liberação do campo de Mauthausen, ele enviou um relatório sobre o caso ao escritório do governo espanhol e à associação Amical. E esperou.

"O que mais eu poderia fazer? Decidi que ir a público com o que eu sabia seria uma espécie de declaração de guerra e algo muito controverso naquele momento."

A caminho da Áustria, um dia antes da cerimônia de Mauthausen, Bermejo leu na imprensa que Marco havia tido que voltar à Barcelona por estar "indisposto". A farsa havia acabado.

O livro O Impostor, do escritor Javier Cercas, escrito com a colaboração de Marco, sugere que o próprio Marco foi confrontado por seus colegas da Amical a respeito das conclusões de Bermejo e confessou ter sido um voluntário do Terceiro Reich.

Perto do desastre

Marco finalmente admitiu abertamente que nunca havia estado em um campo de concentração. Passou a argumentar que foi preso brevemente "sob acusação de conspiração contra o Terceiro Reich" mas nunca foi liberado pelas tropas aliadas - como contava anteriormente - em 1945, no fim da Segunda Guerra Mundial.

Aos 94 anos, não se arrependeu publicamente da mentira que contou por três décadas, alegando que o objetivo era manter viva a memória das vítimas espanholas de Hitler.

Marco ia participar de Comemoração oficial com o então premiê Zapatero (à dir.), mas acabou desmascarado
"Quem teria me escutado se eu não tivesse encarnado esse personagem?", disse recentemente.

"É assustador pensar que se eu não o tivesse conhecido, as coisas poderiam ter sido muito diferentes", afirmou Bermejo.

Para José Marfil, também de 94 anos e um dos poucos sobreviventes espanhós reais do campo de Mauthausen, a luta para manter as memórias do local vivas deve continuar.

"Temos que fazer tudo o que for possível para manter a memória da existência desses campos de concentração viva para as pessoas, já que nós sobreviventes vamos desaparecer."

James Badcock, De Madri para a BBC
5 maio 2015

Fonte: BBC Brasil
http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2015/05/150505_espanhol_nazista_rm
___________________________________________________

Observação: curioso que nos sites "revisionistas" (ao menos os lusófonos) esta matéria não tenha sido citada como "prova" da "não existência" do Holocausto (como eles costumam alegar) com o alarde de costume. Matéria recente, do mês de maio.

Críticas à parte ao já habitual 'mantra' "revi", a matéria destaca a importância dos pesquisadores que desbancaram essa fraude antes que os ditos negacionistas usassem o caso pra fazer o alarde habitual deles ignorando que, num evento deste porte, com a quantidade de pessoas envolvidas, pode haver impostores como o da matéria e outros casos recentes, por exemplo:
Caso Misha Defonseca. Mulher que inventou memórias do Holocausto condenada a devolver mais de 22 milhões de dólares
Livro que conta história falsa sobre o Holocausto causa polêmica nos EUA (Caso Herman Rosenblat)

Só que casos como este têm sido coisas pontuais, mas na narrativa negacionista o que é pontual vira "regra" em vez de exceção, pois a agenda política deles está acima do evento em si. Todos os três casos citados foram descobertos e denunciados.

Por essas e outras que vale a repetição do dito popular de que "de boas intenções o inferno está cheio", pois pessoas com supostas boas intenções (pelo menos alguns alegam) podem agir de má fé e provocar prejuízos.

Esses casos acima sempre me faz lembrar daquele pessoal "bem intencionado" (na visão deles, que ignoram totalmente o que os outros comentam ou criticam), misturando a questão de Israel com essa questão da segunda guerra, causam ao irem provocar "revisionistas" com discurso moralista achando, tolamente, que irão mudar a visão de mundo dos negacionistas sem entender o quão são arraigadas essas crenças obscuras nos "revis", ignorando a agenda fascista (na acepção do termo) por detrás do discurso.

14 comentários:

João P. Santos disse...

Se não for incomodo, poderiam me dizer que bandeiras são essas duas que aparecem no texto.

Roberto disse...

João, a primeira bandeira é da Segunda República espanhola: Link

Que tem essa cor roxa esquisita como uma das faixas. Tem a explicação da escolha dessa cor no link acima. Só que consta uma imagem de Mauthausen na bandeira (foi onde morreram a maioria dos espanhóis republicanos exilados pelo franquismo pra Alemanha nazi) e o triângulo que usavam como identificação (de cabeça pra baixo e azul).

A segunda bandeira é a Estelada, que é usada pelo movimento independentista catalão. Só que tem umas variações dela, as mais conhecidas (ou vistas) são na cor azul e a com triângulo amarelo e estrela vermelha (essa usada mais pelos grupos de esquerda independentista da Catalunha):
Link1 Link2

Todas elas feitas em cima da bandeira catalã (Link3) que não tem esse triângulo no canto esquerdo com a estrela. Elas lembram a bandeira de Cuba, por isso que muita gente confunde.

João P. Santos disse...

Obrigado pela resposta. Identifiquei a primeira bandeira como da Espanha mas estranhei a cor lilás. Pelo que vejo assuntos sobre a Espanha são pouco comentados e conhecidos no Brasil.

João Lima disse...

O espanhol me lembrou um certo Ben Abraham... que disse que passou 5 anos e meio em Auschwitz na Band em 1989... mas disse que passou 2 semanas em Auschwitz na TV Educativa de Porto Alegre em 1990.
Ambos são 2 farsantes da marca maior

Roberto disse...

"Obrigado pela resposta. Identifiquei a primeira bandeira como da Espanha mas estranhei a cor lilás. Pelo que vejo assuntos sobre a Espanha são pouco comentados e conhecidos no Brasil."

Ao João Santos, sim, em geral assuntos relacionados à Espanha são pouco comentados ou divulgados no Brasil, o que é curioso (e bizarro) pela proximidade idiomática e uma vez que sai muita publicação (tradução principalmente) sobre 'n' assuntos em espanhol (História etc) que não sai em português pelo velho problema da produção cultural nesse idioma, o grosso das publicações em português são lançadas pelo Brasil (não lembro a porcentagem mas é algo em torno de 75% ou mais, é um verdadeiro massacre) enquanto o que sai via Portugal é muito pouco, fora a pífia "união" (se é que dá pra chamar isso) dos países de língua portuguesa, isso quando não rola piti xenofóbico por conta do acordo ortográfico em Portugal (ainda tem coisas grotescas como essa). Enquanto o espanhol tem todo um continente lançando coisas, mais a própria Espanha que tem uma produção cultural considerável (apesar de pouco conhecida no Brasil e porcamente divulgada pela própria Espanha).

Assuntos como a guerra civil espanhola são amplamente desconhecidos no Brasil, e foi o começo da segunda guerra (propriamente dita) no teatro europeu, apesar da maioria considerar o ano de 1939.

Roberto disse...

"O espanhol me lembrou um certo Ben Abraham... que disse que passou 5 anos e meio em Auschwitz na Band em 1989... mas disse que passou 2 semanas em Auschwitz na TV Educativa de Porto Alegre em 1990.
Ambos são 2 farsantes da marca maior"


Eu vi esse trecho do tal "debate" que a Bandeirantes conduziu em 89, apesar de só terem subido trechos e não o debate inteiro (na verdade oportunismo da mídia pra dar audiência com a pauta do "mundo cão") quando deveriam ter subido tudo, já que adoram dizer que estão "atrás" da verdade histórica, então por que só subir as partes que acham "interessantes"?

Na verdade o cidadão citado, o Ben Abraham, deve ter se confundido na discussão da Bandeirantes, pois a afirmação dos 5 anos em Auschwitz está de fato errada, e feito o reparo no programa seguinte, o que não imvalida que o mesmo deveria gravar uma mensagem sobre essa questão justamente pra não dar margem a especulações como a que você está fazendo acima.

Mas já como adoram vir com esses assuntos como se fossem novidades (já vi isso há anos), não foi só esse o único erro que ele soltou mas vou deixar esses outros erros pra vocês procurarem, ou vou fazer um post sobre isso.

O personagem espanhol (catalão) citado na matéria é de fato uma fraude, fora que há um problema de reconhecimento histórico das vítimas do franquismo até hoje na Espanha por questões políticas, mas não se equipara ao fato citado dos programas da Bandeirantes e o outro da TV do RS.

Mas não se preocupe, eu não tomo o Ben Abraham como referência sobre a memória do Holocausto ou mesmo como narrativa do Holocausto, mas sei que os "revis" brasileiros adoram ele (o tratam com veneração). E não é uma opinião nova, eu já havia comentado isso aqui (2012): Link

E a única matéria que há com ele no blog foi uma reprodução de uma entrevista da Folha de SP de 2008 (Link2), onde ele reitira que só ficou 2 semanas em Auschwitz, que não removi pois ficaria estranha a remoção, sendo melhor fazer um post discutindo o assunto (se for o caso), porque eu cortei o grosso dos posts que tinham matéria da Folha de SP trocando por outros jornais ou traduções, pois barrei a publicação desse jornal no blog desde 2010. Só os posts que não deram pra cortar eu deixei.

Essa abobrinha sobre Ben Abraham eu vejo desde o Orkut, faz tempo que o disco de vcs parou nesse aranhão, rs.

Roberto disse...

Por sinal (já que tocaram no assunto), eu evito ao extremo citar "referências" do Brasil nessas questões justamente por essa falta de filtro nesses depoimentos no país, fora o tratamento antiquado com que tratam essa questão da segunda guerra e Holocausto com aqueles moralismos mofados da guerra fria. Além dos jornais brasileiros não ajudarem muito na questão publicando porcarias grotescas com bairrismo e coisas do tipo (razão pra eu ter cortado a Folha de SP e o grosso dos jornais do país no blog). Além da discussão extremada que rola quando metem conflito Israel-Palestina no meio, e não estou me referindo propriamente aos "revis" nisso e sim ao lado pró-Israel que não é um poço de tolerância, fora a visão desse assunto do conflito ter parado na guerra fria.

O fato é que esses jornais não fazem muita falta (ou nenhuma) já que o grosso das publicações vem de fora mesmo e há como traduzir. Azar da mídia nacional (que procurem mudar e parar de panfletagem ordinária como aquele lixo que a Veja publica ou o jornalixo da mafiosa TV Globo).

João Lima disse...

E tem outro vídeo mostrando Ben Abraham dizendo na Band que os judeus eram mortos com botijões e capsulas de cianureto e na Educativa ele disse que eram chuveiros com gás.
ele se contradisse novamente.
https://www.youtube.com/watch?v=w1deY3-UGqM

João Lima disse...

Veja e Globo cresceram na base da $ujeira.
Só pra lembrar... a Globo foi capaz de apoiar líderes brutais (Médici...por exemplo) e corrupção eleitoral (caso Proconsult).. e mais... Alguns donos de filiais da Globo são "coronés" tipo.. os Sarneys(MA) e os Magalhães (BA).

Roberto disse...

"E tem outro vídeo mostrando Ben Abraham dizendo na Band que os judeus eram mortos com botijões e capsulas de cianureto e na Educativa ele disse que eram chuveiros com gás. ele se contradisse novamente.
https://www.youtube.com/watch?v=w1deY3-UGqM"


Foi esse o vídeo que citei, são trechos picotados (editados) desse debate na Bandeirantes de 1989, mais as cenas adicionais da TV do RS. Como faz tempo que vi não me lembrava do conteúdo inteiro, só da parte dos 5 anos. Mas não defendendo o Ben Abraham na questão, mas o clima no debate estava alterado e interferiu na condução da coisa, debate sensacionalista e mal conduzido explorando uma questão de forma inadequada como "entretenimento". O que não justifica os excessos que ele citou como relatos, mas o vídeo editado com o Castan comentando não leva isso em conta.

Há outro problema de sempre citar a figura dele como maior interlocutor do Holocausto, o Ben Abraham mal é citado (se é) fora do Brasil. O Castan se centra na figura dele ignorando todo o resto.

E o vídeo vai ao encontro do que citei e do porquê eu evito esses relatos do Brasil como o dele (como já comentei acima): há uma falta de escrutínio (apuração) desses relatos do Holocausto como o dele no país, coisa que rola fora, e algo fácil de se fazer mas as entidades ou grupos que cuidam disso (ou deveriam cuidar) estão mais preocupados com "questões do Oriente Médio" do que dar atenção a essa questão histórica da segunda guerra. Até porque não é difícil gravarem uma entrevista com ele comentando o vídeo editado e discutindo os equívocos, mas não o fazem.

Roberto disse...

"Veja e Globo cresceram na base da $ujeira.
Só pra lembrar... a Globo foi capaz de apoiar líderes brutais (Médici...por exemplo) e corrupção eleitoral (caso Proconsult).. e mais... Alguns donos de filiais da Globo são "coronés" tipo.. os Sarneys(MA) e os Magalhães (BA)."


Eu conheço a história da Globo e da Abril, a Globo é, disparada (até pela audiência que ainda tem com uma programação de quinta categoria e a manipulação de sempre) a pior herança da ditadura no país, mas parece que finalmente foi pega no caso da propina da FIFA. Parece que a trave dos Marinho dessa vez não vai evitar o gol (a 'derrocada final' dela).

Mas essas TVs de Sarney e cia são retransmissoras, filial mesmo a Globo só tem 4 eu acho, a sede fica no Rio, uma filia fica em SP (que é onde fica a parte de jornalismo dela), uma em Minas e uma Pernambuco, essas exibem programação da própria Globo e pertecem a ela. Tirando esses estados a programação dela (parte) é passada em retransmissoras (TVs que não são propriedade delas) como a RBS no RS que segue a mesma linha das TVs do Sarney, Magalhães e da Verdes-Mares no Ceará (essa do Jereissati ou da esposa dele, o que dá no mesmo).

João Lima disse...

e o mais irônico é que já vi a Globo acusar a imprensa de país A B e C de ser parcial e porta-voz de governo tal. É o mesmo que Madonna acusar Lady Gaga de imoralidade.
Corrupção na FIFA sempre houve....só agora que a mídia diz?
Que dizer, por exemplo, dos mundiais de 1934 e 1978, cujas campeãs eram garotas-propaganda do fascismo?(ambas copas foram armadas).
Foi armada também na democrática Inglaterra em 1966. também.
Ou o mundial de 1954... a RFA campeã na base do doping! (e tem gente que só aponta o dedo pra ex-RDA em Olimpiadas).
sobre a Globo...não só ela que é suja... veja SBTs e Bands da vida... ou Record (ou dá ou desce !)

Roberto disse...

Sobre a Globo, meu destaque a ela é que os outros meios de comunicação, mesmo sendo partidários e incitarem ódio na população, são de baixo alcance, a Globo controla quase toda a produção cultural do país, controla boa parte da produção cinematográfica brasileira, tem a Globosat que controla os canais a cabo, a própria Globo (aberta), vários canais a cabo satélite da própria Globo (GNT, Globo News e cia) e pauta ideologicamente o país (e os governos) desde pelo menos a ditadura.

A Globo na prática é um Estado paralelo (funciona como tal) sabotando o país alinhada com os EUA até a medula. É a emissora que quer dar o pré-Sal a petroleiras dos Estados Unidos em detrimento do interesse nacional.

Só que as demais TV são tb porcas, o SBT é um lixo de extrema-direita (só que de baixo alcance pela audiência pífia), a Bandeirantes se salvava no esporte e hoje nem isso, só transmite jogo de futebol que a Globo libera pra ela ou que a Globo não compra com os acordos/maracutaias com a FIFA, que tem tirado o sono dos Marinho (proprietários da Globo).

A FIFA sempre foi podre e obviamente que o ataque à FIFA não é por preocupação moral (acabar com corrupção) e apenas visando uma limpa na lavagem de dinheiro/propina, a Inglaterra nunca engoliu ter perdido o controle da FIFA pro Havelange (que é um gangster mas profissionalizou a FIFA que não passava de algo amador) em 74 e não suporta ter perdido a sede da Copa em 2018 e 2022, que hoje eu faria questão que esse lixo da FIFA nunca tivesse vindo pro país, só que era tarde demais pra voltar atrás e houve todo aquele processo de sabotagem antes da Copa, que só ficou feia pela zona da CBF e Globo com a seleção brasileira que permitiu aquela goleada aberrante de 7x1 com um time ridículo que não honra a história da seleção brasileira e que a Globo tenta aliviar as críticas a eles até hoje, até o torcedor comum perder a paciência e xingar pra valer aquele canalha do Felipão e toda a corja.

Mas apesar do interesse geopolítico dos EUA nisso, pro nosso lado não é ruim ver a Globo desesperada com medo do que o Ricardo Teixeira irá dizer sobre propina e sem saber do que o tal Hawilla (da Traffic, capacho da Globo) gravou sobre propina (se tem gravação com os Marinho). Resta saber se a justiça do Tio Sam irá tão longe a ponto de meter no meio esse entulho da ditadura chamado Rede Globo, o Estado paralelo dentro do Estado brasileiro.

João Lima disse...

veja isso !! A Globo dando show de hipocrisia !
https://www.youtube.com/watch?v=W-CGAkOrbq8
A Globo é tão imparcial quanto a Pravda !!!
Veja esse vídeo ! o sujo x mal lavado
https://www.youtube.com/watch?v=4RE0KEHqN1g
mais outro vídeo !
https://www.youtube.com/watch?v=oBbg2zqxb2A
a tv do Macedão x Tv dos Marinhos !! Concurso de picaretas !

assunto relacionado ao blog !
http://www.concordatwatch.eu/kb-38153.834

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget