terça-feira, 24 de agosto de 2010

Partiu-se a árvore da casa de Anne Frank

Partiu-se o castanheiro centenário da casa de Anne Frank

(Foto)A árvore tinha sido atacada por fungos MARCEL ANTONISSE/AFP

Tinha 150 anos e foi um consolo para a adolescente judia que se escondeu durante dois anos num sótão de Amsterdã. Uma tempestade deitou-o abaixo

Era grande e imponente e foi um consolo para a jovem judia Anne Frank, quando ela viveu durante mais de dois anos escondida dos nazis num sótão de Amesterdão, na Segunda Guerra Mundial. Ontem, o castanheiro com mais de 150 anos que ainda estava à entrada da Casa-Museu Anne Frank quebrou-se como um pau de fósforo, sob a força de uma tempestade de vento e chuva.

"Partiu-se completamente, a cerca de um metro do chão", disse um porta-voz da Casa de Anne Frank - que, na altura, estava cheia de turistas, diz a agência Reuters.

O castanheiro era um dos poucos vestígios da natureza que eram visíveis à adolescente judia enquanto ela esteve escondida naquele sótão. Ela fala da árvore no seu diário, que se tornou num best-seller mundial, depois da sua morte, num campo de concentração nazi, em 1945.

"O nosso castanheiro está cheio de flor. Está coberto de folhas e ainda mais bonito do que no ano passado", escreveu ela em Maio de 1944, pouco antes de ser denunciada aos nazis.

A árvore tinha sido atacada por um fungo e, em 2007, esteve para ser derrubada, pois temia-se que pudesse cair e tornar-se um perigo para o milhão de visitantes que o museu de Amesterdão recebe todos os anos.

Mas os responsáveis do museu e especialistas em conservação da natureza desenvolveram um método para segurar o castanheiro com uma grade de aço. A árvore poderia ainda viver algumas dezenas de anos, estimou uma fundação holandesa.

Foram retirados alguns caules do castanheiro que foram plantados num parque de Amsterdã e noutras cidades, para além da Holanda, para fazer castanheiros semelhantes, usando a técnica da germinação por estacas. Mas não há planos para plantar um castanheiro semelhante no mesmo local, ou preservar os restos da árvore, disse à Reuters Arnold Heertje, membro do grupo Support Anne Frank Tree.

"Temos de nos render aos factos. A árvore caiu. Será cortada e vai desaparecer. A intenção não era mantê-la viva para sempre. Viveu 150 anos, agora acabou-se", disse Heertje.

Mas bocados da árvore apareceram logo à venda no site de leilões holandês marktplaats.nl. A maior oferta era de 10 milhões de euros, diz a Reuters.

Fonte: Público20(Portugal)
http://jornal.publico.pt/noticia/24-08-2010/partiuse-o-castanheiro-centenario-da-casa-de-anne-frank-20072282.htm

5 comentários:

Diogo disse...

Era interessante saber porque é que a Anne e a sua irmã, Margot, foram transferidas de Auschwitz para Bergen.

Stefano disse...

commo é ke ela morreu num campo de concentração em 1945 se a Alemanha tava ferrada??? Essa historia é falsa!!

Roberto disse...

"commo é ke ela morreu num campo de concentração em 1945 se a Alemanha tava ferrada???"

Morrendo. O que tem a ver a situação da Alemanha com o campo? O campo não ficava no centro de Berlim ou nas partes mais devastadas pela guerra. Bergen-Belsen

Pelo visto os "revis" querem novamente contestar ou negar algo sem prova ou evidência alguma, o "negar pelo negar" mas sem provar nada, só pra marcar posição(como de costume).

"Essa historia é falsa!!"

Tem provas disso? Pelo visto não. Mas não perca as esperanças, tenha "fé", irmão, rs.

Roberto disse...

E pra variar, os comentários não tem correlação alguma com a matéria do post.

Haja vontade(pelos "revis") em querer chamar atenção, rsrsrsrs.

leandro disse...

para desespero revi, as mudas da árvore fram plantadas em centenas de lugares um ano antes da queda..

e os revis ainda deliram...

enquanto historiadores entopem a historia com referencias, revis delira...

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget