sexta-feira, 8 de junho de 2012

Ranking de livros em português sobre o Holocausto (Bibliografia)

Pensei há algum tempo em fazer isso, mas queria primeiro colocar um resumo ou crítica dos livros indicados na lista pra pôr os links de cada um na mesma. Em todo caso, e levando em consideração os títulos disponíveis em português, segue um ranking abaixo com indicações de livros centrais sobre o Holocausto disponíveis em português (que foram traduzidos), mesmo os que estiverem fora de catálogo (quem sabe alguma editora se interessa em lançar novamente).

A ideia não é só fazer um ranking dos livros em português como também um em espanhol e inglês, mas primeiramente segue a lista dos livros em português.

O ranking não é fixo nem tem hierarquia (que não é bem ranking e sim mais precisamente uma lista, mas como o termo tem mais impacto ele foi adotado), a numeração é só mesmo pra indicar a quantidade de livros e podem ser acrescentados mais títulos se houver boa indicação.

Obviamente que a lista sendo subjetiva (segue meu ponto de vista, dos que eu considero mais relevantes ou interessantes) não abrangerá alguns títulos possivelmente conhecidos de muita gente.

01. Livro: Holocausto (Uma História)
Autores: Robert Van Pelt/Debora Dwork

02. Livro: A Assustadora História do Holocausto
Autor: Michael R. Marrus

03. Livro: Os Crematórios de Auschwitz (A Maquinária do Assassínio em Massa)
Autor: Jean-Claude Pressac [sinopse do livro em francês]

04. Livro: Mestres da Morte: a invenção do Holocausto pela SS nazista
Autor: Richard Rhodes

05. Livro: Sou o Último Judeu (Treblinka 1942-1943)
Autor: Chil Rajchman

06. Livro: A Guerra Contra os Fracos
Autor: Edwin Black

07. Livro: Os Nazistas e a Solução Final (Conspiração de Wannsee)
Autor: Mark Roseman

08. Livro: IBM e o Holocausto
Autor: Edwin Black

09. Livro: O Relatório Buchenwald
Autor: David A. Hackett

10. Livro: O Holocausto – Uma História dos Judeus da Europa durante a Segunda Guerra Mundial
Autor: Martin Gilbert

11. Livro: A Noite de Cristal (A Primeira Explosão de Ódio Nazista contra os Judeus)
Autor: Martin Gilbert

12. Livro: Auschwitz - O Testemunho de um Médico
Autor: Dr. Miklos Nyiszli

13. Livro: Os Soldados Judeus de Hitler
Autor: Bryan Mark Rigg

14. Livro: É Isto um Homem?
Autor: Primo Levi

15. Livro: História da Gestapo: Tráfico e Crimes
Autor: Jacques Delarue


Mais bilbliografias?
Confira: Holocausto, nazismo, fascismo, segunda guerra, neonazismo etc: Bibliografias

8 comentários:

Ivo Reis disse...

Primeiramente, parabéns pela qualidade do seu blog (visito constantemente), com muitas e interessantes matérias sobre o Holocausto. Mas agora a crítica (espero que a considere construtiva): Seu blog não é imparcial e é tendencioso a favor dos afirmacionistas. Tudo bem que seja contra os revisionistas (ou negacionistas) mas pelo menos cite-os.
Sua lista com o ranking de livros em português não inclui o mais famoso e o mais técnico deles: "Holocausto Judeu ou Alemão? Nos Bastidores da Mentira do Século", de S. E. Castan, o maior revisionista brasileiro, cuja obre é reconhecida até no exterior. Por quê?

Ivo Reis disse...

Primeiramente, parabéns pela qualidade do seu blog (visito constantemente), com muitas e interessantes matérias sobre o Holocausto. Mas agora a crítica (espero que a considere construtiva): Seu blog não é imparcial e é tendencioso a favor dos afirmacionistas. Tudo bem que seja contra os revisionistas (ou negacionistas) mas pelo menos cite-os.
Sua lista com o ranking de livros em português não inclui o mais famoso e o mais técnico deles: "Holocausto Judeu ou Alemão? Nos Bastidores da Mentira do Século", de S. E. Castan, o maior revisionista brasileiro, cuja obre é reconhecida até no exterior. Por quê?

Roberto disse...

Ivo, em nome do pessoal do blog agradecendo o elogio.

Roberto disse...

"Mas agora a crítica (espero que a considere construtiva): Seu blog não é imparcial e é tendencioso a favor dos afirmacionistas. Tudo bem que seja contra os revisionistas (ou negacionistas) mas pelo menos cite-os."

Bom, primeiramente esse termo "afirmacionista" é apenas um termo retórico bobinho (o bobinho é opinião pessoal) que alguns "revis" usam achando que alguém contrário ao negacionismo se incomoda com isso, ou pra tentar nivelar os lados como "coisas iguais" ou apenas "opiniões distintas".

Quanto a ser parcial, é impossível ser imparcial em relação a nazistas e afins (extrema-direita em geral e alguns outros extremos), a maioria absoluta que defende o "revisionismo" segue essa linha política, mas ser parcial não é algo negativo e tampouco significa ser desonesto ou inventar coisas.

Os "revis" são citados nos posts em que são rebatidos, não há nenhum acréscimo ou invenção sobre o que eles dizem, apenas reprodução exata das distorções que eles fazem e o apontamento do que é distorcido, algo que eles não fazem nos sites deles por motivos óbvios (eles mesmos sabem que estão distorcendo os assuntos sobre o genocídio da 2aGM).

Roberto disse...

"Sua lista com o ranking de livros em português não inclui o mais famoso e o mais técnico deles: "Holocausto Judeu ou Alemão? Nos Bastidores da Mentira do Século", de S. E. Castan, o maior revisionista brasileiro, cuja obre é reconhecida até no exterior. Por quê?"

Mas a obra do Castan é reconhecida no exterior onde e por quem? Pergunto isso porque estou familiarizado com esse meio "revi" e sei que mesmo no exterior nos "nichos" deles (CODOH, IHR e afins) o Castan nem sequer é conhecido ou citado como "referência", os ditos "gurus" do "revisionismo" são outros como o David Irving, Mattogno e outros "revis", o Castan é bastante desconhecido fora do Brasil. O único "revi" que deu alguma "publicidade" ao Castan foi o neonazi alemão Ernest Zundel que se encontra preso na Alemanha.

E esse livro do Castan não tem nada de técnico, eu já vi o livro, não há notas de rodapé, referências de onde ele tira o que ele cita etc, é cheio de erros do começo ao fim além de ser um livro de apologia (defesa) do regime nazi, muito mal escrito e com trechos inteiros de outros livros antissemitas como o do Henry Ford.

Não há como colocar um livro desses no meio de livros de fato de História sobre o Holocausto, não só por não acrescentar nada em termos de História, como pelo livro ser de apologia ao nazismo.

Se bem que um livro desses mal escrito acaba na maioria das vezes fazendo mais estrago na já estragada imagem dos nazis do que mesmo "melhorando" a imagem dos mesmos.

Rodrigo Stéfano Funari disse...

Mil perdoes por entrar em uma discussao tecnica, mas por favor, que se calem qualquer que tente minimizar o sofrimento daqueles homens, e se querem o respeito aos fatos tal como ocorreram, olhem por favor pelos olhos das vitimas.

Roberto disse...

Rodrigo, a mentira e distorções dos "revis" não se sustentam diante de qualquer refutação às asneiras deles. Esse pessoal vêm perdendo e muito o atrativo que tiveram quando era algo "desconhecido" no estouro do Orkut no país. Hoje a maioria das pessoas já têm ideia do que se trata o negacionismo e do tipo de bandos que pregam esse tipo de asneira.

Falcon disse...

Parabéns pelo excelente post e pelo blog todo.

Li estarrecido o comentário do senhor Ivo Reis.

O termo "revisionista" é apenas uma tentativa de eufemismo para os que querem negar a verdade. Como alguém pode querer negar o óbvio?

Como bem respondeu o Roberto não é possível permanecer imparcial diante de tamanha estupidez sobre algo tão monstruoso como o Holocausto.

Espero que a verdade prevaleça e que a máxima detestável de um certo Joseph Goebbels não se concretize:

"Uma mentira contada mil vezes torna-se verdade".

O Holocausto não pode ser esquecido. Um povo que desconhece sua História está condenado a repeti-la.

Abraços,

Allysson Oliveira

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Share It