quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Os Black Blocs franceses (nova face da extrema-direita na França). Uma alerta para o caso brasileiro

A derrota política do "Jour de colère" (Dia de Fúria)

Com 17 mil participantes registrados pela polícia pelo período da tarde, a manifestação do "Dia da Raiva" (jour de colère), domingo, 26 de janeiro, em Paris, marcou os espíritos. Esta é a primeira vez em muitos anos que um grupo de extrema-direita estoura e mobiliza a todos. Esta é ainda a primeira vez em muitos anos que os slogans antissemitas e negacionistas são cantados de maneira totalmente explícita em um desfile dessa magnitude. Além das palavras de ordem violentas visando jornalistas e homossexuais.

Esta é a primeira vez, finalmente, que a ultradireita com seus elementos mais radicais e mais racistas, coabitam sem choque o mesmo cortejo (manifestação) com uma maioria de ativistas mistos, a partir da "Dieudosphère" (caso Dieudonné) sob a bandeira e palavra de ordem da "liberdade de expressão". No entanto, o que à primeira vista pode parecer como um sucesso desse movimento, assemelha-se mais a uma derrota política. O que é que essa mobilização? Devemos vê-la como uma mutação da extrema-direita?

A manifestação foi organizada pelo "Primavera Francesa", 'rótulo' sob o qual se reuniram, por quase um ano, os elementos anti-casamento (gay) mais radicais entre todos. O objetivo era "coagular a raiva" contra o poder, dizem eles: "que não escuta o povo, que bombardeia os contribuintes, que enterra nosso exército, libera delinquentes, desorientando nossos filhos, perverte nosso sistema escolar, reduz a nossa liberdade, assassina a nossa identidade, destruindo nossas famílias".

A "Primavera Francesa" é, de fato, estruturada pela Action Française (Ação Francesa) (AF, Maurrasianos), que garante toda a logística e cujas instalações são utilizadas como base de retaguarda. Antirrepublicana e antiparlamentarista assumida, a AF depois de ano de todas as ações, esta é a mais intensa/violenta e que vai de vento em popa.

O desfile foi apoiado por uma miríade de associações, por uma parte fantasmagórica ou diretamente ligada à Primavera francesa como o coletivo "Holanda liberta" de David van Helmerick, por um dos responsáveis da PF, o coletivo 'Advogados livres' de Frédéric Pichon ou o Acampamento para todos. Mas também formada por vários micro-grupos anti-impostos.

Um desfile politicamente marcado

"Quando há um incêndio em casa, você não chama pelo bombeiro?", disse Beatrice Bourges algum tempo antes do desfile, porta-voz do Primavera Francesa e figura central deste "dia de fúria". Na verdade, esta famosa manifestação tornou-se um ponto de encontro e de junção de todo movimento extremista. E só.

Poucas famílias, quase sem crianças, uma atmosfera agressiva, tensa e pesado. E o desejo desses ativistas, alguns dos quais não hesitaram em referir-se a Ucrânia, para a batalha, como fizeram em 2013 durante a procissão para o Palácio dos Inválidos (Place des Invalides).

Os católicos fundamentalistas (integristas) de Civitas trouxeram com eles, a partir de Lyon, ativistas do Gud Lyon (próximos do movimento "filo-nazista" 'Terra e Povo') e hooligans. A Renovação Francesa, o Gud Paris, os anciãos das Juventudes nacionalistas e o Ouvre Française (Trabalho francês) - duas organizações dissolvidas neste verão - também estavam presentes.

Se o FN (Front National) não fez parte deste evento e nenhum dos seus diretores esteve lá, alguém próximo de Marine Le Pen, Axel Loustau, fez parte, como foi observado pelo Mediapart.

Dieudonné conclamou seus apoiadores a participar do desfile. E é de se entender. Seu ajudante, o polemista Alain Soral, chefe do "Igualdade e reconciliação", que agora se afirma como "nacional-socialista", também fez a viagem com um grupo de cerca de 200 pessoas. Alguns deles acenaram com abacaxis - um sinal de apoio a Dieudonné e sua sua canção "Shoahnanas".

O nascimento de um "Black Brown" (Black Blocs)?

Em sua edição de 23 de janeiro, o semana de extrema-direita 'Minuto', previu para este "dia de fúria" a formação de um "Block Bloc de direita", composto "de hooligan, de patriotas e de conservadores chateados" que têm em comum "a idéia de que não podem ser ouvidos por serem sábios e criticarem a política 'rosa' do 'Movimento para todos". Aparentemente, o Minuto estava bem informado porque no final da procissão havia várias dezenas de pessoas, com capuz, rosto coberto com lenços e formando um bloco. Devo dizer que os nacionalistas autônomos chamaram suas tropas para participar do desfile.

Vídeo difundido em redes sociais

Na Praça Vauban, após a dispersão, eles entraram em confronto com forças de segurança com o apoio de jovens pró-Dieudonné. Ao todo, cerca de trezentas pessoas. Algo inédito pois ambos os grupos não eram sociologicamente ou politicamente similares. Havia poucos pontos de concordância entre eles: a "luta" e o ódio aos judeus.

A fuga dos "moderados", o resultado (e fracasso) político do "dia de fúria"

À face deste acontecimento, a violência da noite após o fato teve um efeito relevante. Quem em 2013 criticou a "repressão" no final do "Manifestação para todos", hoje não tem palavras para condenar o "dia da ira". Isto é bem dito por Ivan Rioufol, colunista do 'Figaro' (jornal francês), que resume bem este estado de espírito. O "Dia da Ira" revelou a cara feia de uma França fascista. Ele é um exemplo a não ser seguido", escreve notavelmente o jornalista em uma nota.

Pois não é bem a derrota política do "dia de fúria". Ele apareceu para o que sempre foi: um desfile barato da extrema-direita radical e não o chamado movimento apolítico e independente que ele alegava encarnar.

***
Nota: Cerca de 250 detenções.
Cerca de 250 pessoas foram presas na noite de domingo após a dispersão, 224 por "participação de grupo armado" e "violência contra agentes depositários da polícia." A Ação francesa (Action Française) disse em um comunicado que teve 15 militantes presos.


Fonte: Droite(s) extrême(s) (Blog do Le Monde, França)
http://droites-extremes.blog.lemonde.fr/2014/01/27/la-defaite-politique-de-jour-de-colere/#xtor=RSS-32280322
Título original: La défaite politique de « Jour de colère »
Tradução: Roberto Lucena

Observação: o post não foi publicado com o título original que consta logo no início do post (a tradução, obviamente) pra ressaltar a conotação autoritária, antidemocrática e fascista desses grupos denominados Black Blocs que ainda ficam com essa conversa mole de dizerem que são "táticas" querendo dissuadir a crítica sobre o componente autoritário e sem rumo do grupo.

A observação é referente aos grupos no Brasil, traduzi o post pra mostrar o tipo de ligação que vários deles possuem em outros países e no Brasil não é diferente, o quebra-quebra intencional "niilista" é um componente da extrema-direita, o discurso deles é falacioso e com objetivo claro de ataque à democracia não consolidada do país por conta da profunda ignorância (mentalidade) e comportamento autoritário da cultura ibérica que sempre norteou o país, apesar de que as manifestações mais significativas desses bandos sempre ocorrem em duas cidades praticamente pra mídia usar como "espetáculo" e passar a ideia de "caos" manipulando imagens, Rio (capital) e São Paulo.

Na maioria dos estados e cidades do país esse "movimento" é inexpressivo ou insignificante, ou seja, não se trata de um "movimento nacional" como a grande mídia anda matraqueando e sim local/regional que a mídia está tratando como "fenômeno nacional" pra tentar 'inflar' ânimos em todo o país. Politicagem em seu mais baixo nível e grau de fanatismo.

Há outra bandeira reclamada por esses "Black Blocs" (até o nome é ridículo) no Brasil que é o de se dizerem "anarquista", basicamente debochando da inteligência alheia. Um grupo aparece do nada pegando carona nas manifestações de junho de 2013, sem pauta política clara, sem formação anterior, e querem que acredite que não se trata de algo armado com interesses escusos e duvidosos? ...

O anarquismo praticado por esses bandos, se de fato há algum, é de um "niilismo" (sem sentido) atroz. Querem derrubar o Estado e pôr o que no lugar? Acham que vão derrubar o estado com máscaras e ações de teatro pra mídia pautar politicamente? É algo tão primitivo e infantil que espanta o grau de estupidez desses bandos (se de fato pensam isso, eu particularmente não acredito). O que pode acontecer é provocarem o acionamento do aparato de repressão do Estado que, além de força pra conter isso, vai agir com brutalidade. Ou seja ,no fundo o que esses caras querem é provocar uma situação grotesca no país tentando empurrar a população pras ruas. Atitude canalha e repulsiva.

Já fiz um post aqui antes sobre o problema das manifestações quando grupos de extrema-direita com "slogan" nacionalista (com um discurso vazio e ufanista herdeiro da ditadura civil-militar brasileira) de ódio quebrando e tocando o terror no Rio, as coisas só vão confirmando o que muita gente suspeitava, que há interesses obscuros desses bandos que podem ter uma articulação estrangeira pra desestabilizar a democracia no país, como fizeram no período anterior a 1964. E quem costuma fazer isso são serviços de inteligência de potências mais as elites sorrateiras locais que nunca deram a mínima pra democracia até porque não gostam disso apesar de dizerem que "gostam".

Porque afirmo que a mídia está incitando isso: porque não consigo conceber que emissoras de TV, jornais e portais de notícias não tenham análise crítica (ou conhecimento) suficiente pra saber do que se passa, se não possuem é atestado cabal de que são um bando de ignorantes, mas não acredito nessa hipótese, a omissão ou vista grossa aos detalhes por trás desses bandos é um ato político calculado (que pode degringolar), intencional. Se se deforma a informação é porque está ocorrendo manipulação de informação.

Com a internet hoje é muito difícil, e com boa informação (trouxe o texto pra isso, embora a tradução não seja fácil pois não domino o idioma do texto, mas consigo traduzir como mais línguas neolatinas), mas muito difícil mesmo distorcer a realidade e os fatos.

Não se trata de Teoria da Conspiração o assunto aqui citado pois isso não é algo incomum, nunca foi, antecipo-me a qualquer distorção e manipulação de "revis" sobre o comentário pois eles têm o costume de fazer isso como já vi algumas vezes. O fato descrito já ocorreu em outros períodos e muitos países, infiltração de "baderneiros" pra estimular o caos, só que muitas vezes os ditos "revis" (revimanés) delirando no antissemitismo comum deles e crentes em teorias esdrúxulas e racistas, ficam falando de coisas absurdas e conspirações surreais (Illuminati, Nova Ordem Mundial, ETs, OVNIS, reptlianos, rs), movidos por crenças e pensamentos turvos, obviamente sempre pondo "judeus" em tudo (porque é o objeto da obsessão racista e doente deles) e um pensamento mágico atroz.

Isso acaba tornando o assunto delicado quando não deveria ser. Inflar grupos opositores em países com regimes democráticos não sólidos/consolidados é um gesto não incomum de superpotências, que operam com elites golpistas locais pra colocar governos alinhados a suas políticas contra a população do país (a maioria). E há uma certa omissão do Estado brasileiro em desbaratar esses bandos, expor quem está por trás deles, pois deveriam fazê-lo e não estão agindo como deveria (se antecipando aos atos que acabam por provocar terrorismo psicológico na população ou "sensação de caos", mesmo que seja só um "espetáculo" sem rumo).

Meios pra isso o governo federal possui, então está na hora de agir e dar o nome aos bois (checar e dizer quem está por trás disso e enquadrá-los criminalmente por atentado).

A quem achar que o assunto não é tema do blog, o blog é sobre Holocausto mas também sobre extrema-direita, basta ler os posts, portanto o assunto está totalmente no escopo do blog, e mais ainda pelo fato de que como cidadão não deixarei que um bando de imbecis ou de udenistas salafrários (com interesses obscuros) destruam o que foi conquistado a duras penas, a democracia brasileira, que mesmo imperfeita é melhor que não ter nenhuma. Não há diálogo com fascistas e golpistas.

P.S. eu lerei mais tarde o texto da observação e posso editar e reduzir o texto (aliás, já fiz isso mas posso fazer novamente). É que de fato fico irritado com essa passividade da sociedade civil em relação a este tipo de ataque por conta do sectarismo e fanatismo fomentado por parte da mídia do país, e a gente acaba desabafando e aumentando o texto com xingamentos a esses grupos. Não costumo colocar ou citar discussões sobre polarização política no país, mas sinceramente não dá pra simplesmente fazer "vista grossa" ao fato ou se omitir, ultrapassaram a "linha vermelha" (da tolerância) nesse último "protesto" (com o mote de "Copa do Mundo", sendo que o alvo não é esse, esse discurso moralista treslouco e jeca já passou dos limites) com violência contra cidadãos comuns nas ruas. Ou seja, basta.

8 comentários:

Daniel Moratori disse...

Esse caso de extrema direita no meio de Black Bloc é antigo.

Se dar umas vasculhada na net dá para achar vários casos de grupos de direitas infiltrados no meio dos BB's.

É complicado gerir um grupo que não tem líder, intenção ou causa comum.

O que se vê pelo mundo muitas vezes é a quebração desordenada, o que ocorreu no Brasil, e quase sempre por pessoas que nem sabem o que estão fazendo,vão na onda momentânea e no desejo de vandalismo do jovem, de "revolta" por algo que nem sabe o que é.

Mas tem muitos lugares que há uma ordenação, como por exemplo na Polônia, onde saem grupos Antifa - que poderiam ser chamados de BB's também pelo vestimento característicos) atras de neo-nazistas que imundam o pais.

Em outros lugares há esse viés anticapitalista e anarquistas, e também em alguns lugares há a extrema direita, como citou no texto, mas que já ocorreu em vários países, como na a Alemanha por exemplo:

Link 1

Link 2

No caso do Brasil e as manifestações de julho, não sei se viu sobre a manipulação das manifestações por integralistas. Rolou até um depoimento de um ex-integrlista, um tal de Marcio Hiroshi. Não sei o que aconteceu depois sobre esse caso.

Link 3

O problema da vertente dos BB's é esse quebra quebra ridículo, me dá um ódio extremo o destruir de bens alheios, que nada tem haver com o assunto.

Sobre a mídia, com certeza mostra somente o que ela quer. Achei legal após as manifestações, onde milhares carregavam cartazes sobre a Rede Globo e a Ditadura, ela fazer uma nota de retratação sobre seu apoio a D. Militar, mesmo sendo uma micro nota...rsrsrsr

E esse protesto contra a copa foi um fiasco,no final todo mundo vai assistir os jogos.

Roberto disse...

"No caso do Brasil e as manifestações de julho, não sei se viu sobre a manipulação das manifestações por integralistas. Rolou até um depoimento de um ex-integrlista, um tal de Marcio Hiroshi. Não sei o que aconteceu depois sobre esse caso."

Daniel, vi sim, e esse é o problema, esses BBs do Brasil são um "balaio de gato", entra tudo, não é gente politizada, lembram muito as TOs de futebol e o quebra-quebra que fazem em estádio, estão lá só pra isso e por diversão. Alguns sites/revistas como aquela Carta Capital é que ficaram dando um ar de "romantismo" a esse pessoal (a CC é uma Veja "à moda antiga") e isso cria uma confusão pois a população é muito mal informada e também não lê (vc sabe como é o cenário do país), e não só à direita como à esquerda também. Acho isso surreal pois como um povo quer mudar algo sem ler? Sem conhecimento? Viram massa de manobra fácil.

Vou resumir abaixo como vi as manifestações de junho e a apreensão simbólica da mesma pela mídia e esses grupos radicais que não foram reprimidos pela polícia, só reprimem o povo, eles aparentemente só sofreram repressão pesada em PE (depois que tentaram repetir a gracinha do BB de SP e Rio), tanto que sumiram.

Roberto disse...

O estopim das manifestações foi uma agressão da PM paulista a uma jornalista daquele jornal Folha de SP, se não me engano, estopim pois não foi propriamente a causa.

Há muito o povo estava entalado com o clima de "tudo bem" do país e disso foi às ruas protestar, a princípio contra a violência da PM mas depois a coisa virou uma hidra, entrou de tudo, e aí os oportunistas como o Jabor que fez um discurso criminalizando o povo depois mudou o discurso porque ficou querendo explorar o evento pra mirar no governo federal apenas, coisa que faz até hoje como a Rede Globo.

Engraçado que já veio "revi" aqui falar pra gente como se eu "gostasse" da Globo, tive pena do cara pois se ele soubesse como "amo" essa emissora teria evitado de escrever tanta asneira aqui, é um tipo estilo Pote de Merda do Orkut (vc lembra), rsrsrsrsrs, com teorias da conspiração, "o homem não foi à lua" e coisas do gênero.

Mas voltando. A manifestação que começou popular e de forma democrática, foi desvirtuada por esse pessoal, os Black Blocs apareceram nessa ocasião de forma oportunista também, por que eles não apareceram antes dos protestos?

O fato é que aparentemente já havia coisa armada pela extrema-direita e pela parte não-democrática da direita brasileira (que não se rotula de "extrema", mas...) pra ser posta em prática quando algo do tipo ocorresse. Lembro que pintou até propaganda de um tal #changebrazil (o ridículo é isso, colocam o nome da coisa ainda em inglês, francamente, colonialismo mental tem limites) numa placa de um jogo do Fluminense (patrocinado pela Unimed) nos EUA, coincidência? Não acredito nisso.

Apareceu também o vídeo de uma tal Carla Dauden, vivendo nos EUA (pra variar) malhando a Copa e tal.

Fico impressionado com a falta de civismo dessa brasileirada no exterior, obviamente estou generalizando pois há os que se salvam, não se trata nem de longe de um grupo homogêneo, mas boa parte são um belo saco de bosta, se eles soubessem do desprezo que sinto por esse tipo de gente nem viriam comentar junto de mim (como já fizeram no Orkut) certas asneiras sobre o país por serem um bando de deslumbrados fúteis e covardes que preferem fugir do país a ter que encarar as coisas no mesmo.

Não critico nem nunca critiquei quem vai pra fora por necessidade, mas quem odeia o Brasil e sai do país e não se desgruda do mesmo só pra atacar é sim um tremendo pulha, até porque vivem em guetos no exterior, se ficam se comunicando com gente no país é porque não possuem convívio bom fora do Brasil. Por isso não possuem moral pra reclamar de nada e esse vídeo dessa figura ganhou espaço nessa mídia brasileira que tem um viés anti-Brasil (sempre teve).

Roberto disse...

Em suma, eu não acho que esses BBs do Brasil sejam anarquistas, pode ter uma meia dúzia que seja (os idealistas), mas o grosso tá lá só pra baderna pela baderna, até tiraram foto de um cara mascarado com tênis Adidas (camadas populares com roupa de marca? rsrsrsrs) quebrando a vidraça de um banco, acho que a Caixa, nem mirar um banco privado eles miram porque sabem que o pau costuma cantar mais pesado.

Boa parte desses BBs brasileiros aí tem um discurso ufanista da ditadura, de "patriotismo" e tal (entre aspas, pois o patriotismo deles não passa de algo vazio e pra mascarar a imundície que estão fazendo), mas são a "última flor" do fáscio brasileiro.

Há eleição pra governador, senador, deputado federal, estadual, presidente da República esse ano e vc sabe como anda a polarização política no Brasil radicalizada pela mídia que resolveu tomar o lugar da oposição (partidos).

Eu evito comentar e trazer esse tipo de assunto praqui pois vc já viu o baixo nível de discussão desse pessoal que fica batendo boca em comunas "esquerda x direita" e já chega os "revis" pra comentarem asneira, mas não dá pra simplesmente ignorar.

E aproveitando a discussão, isso também diz respeito ao tema, também me irrita, e isso já comentei com vc, a postura de vários lados em achar que porque a gente não gosta de "revis", é antirracista etc, que isso por ventura seja apoio à política de Israel no Oriente Médio ou algo parecido. Acho que essas pessoas deveriam ler o que já foi postado nos blogs sobre isso pra não virem falar com a gente como se fôssemos um bando de "autistas" alheios da realidade do país.

Essa ideia esdrúxula desse pessoal de reduzir tudo (política do país e do mundo) a esse mundo fantasioso revimané, além de burrice ou demência, é meio que um desrespeito e ofensa ao pessoal dos blogs (o teu e esse aqui) pois não sei até discussão pra vir me "doutrinar" aqui tive que ler quando rolou uma discussão sobre Chávez como se eu fosse um completo cretino. Sempre me seguro pra não mandar praquele lugar, mas acho que de uma próxima eu não vou me segurar e mando já que parece que essa linguagem o pessoal entende bem.

Roberto disse...

Os BBs se dizem anti-capitalistas e anarquistas mas nunca os vi quebrando a sede da FIESP, FEBRABAN (Federação Brasileira de Bancos), da Bolsa e afins, a meca do capitalismo brasileiro, só vão em cima de paradas de ônibus, fusquinhas, agências da Caixa (estatal) e coisas desse tipo, o que demonstra a má fé desses bandos, independente de concordar ou não com as ações deles, mas é uma contradição clara, visível.

E mais um adendo que acabei não colocando acima. Eu evito trazer esse tipo de assunto praqui pois vc já deve ter visto como é a web brasileira, dum lado aquela extrema-esquerda sectária que acha que tudo ligado a Holocausto é algo tb ligado a Israel, do outro a direita tosca (o que costuma ser pleonasmo) brasileira arcaica com aquelas pregações lunáticas e infantis, e a obsessão política com discurso da guerra fria, União Soviética, comunismo e afins, parece que esses caras vivem num mundo paralelo ao atual, por livre burrice e sempre tentando fomentar conspirações em torno disso.

Até "filósofo" surgiu no Orkut (aspas), e discutir com esses caras é insuportável, eles acham que é pq são o máximo, mas é pq muita gente os considera burros e malucos e algo que não valha a pena discutir, já chega os "revis" (negacionistas) pra fazer esse papel por essas bandas, o povo não deveria achar que os blogs são clínica psiquiátrica pra tratar gente com psicose (pois vários desses possuem psicose mesmo piorada por falta de educação, sem ironia).

Daniel Moratori disse...

Eu perdi a fé nesses protestos quando começou a enviesar com um carácter muito de direita, muita propaganda anti governo, muita coisa "patriota", que beirava ao nacionalismo irracional, que surgiu de um dia para outro. Não parece que até beirando a década de 90 tinha resquício de Ditadura no país, e um bando de idiota falando para acabar a policia, criticando de maneira ilógica o governo, sem nenhum embasamento politico. Acho que a pressão popular por melhorias deveriam ser feitos há qualquer partido, seja ele de esquerda ou direita, mas a maioria não tinha o minimo de conhecimento necessario e começou a falar uma besteirada absurda, foi quando vi que o negócio começou a desviar o foco.

Ai começou a quebradeira, aparecer integralistas em passeatas, extrema direita com discurso de ditadura. Acho que o pessoal não sabe em que paraíso é a democracia em que vivemos.

E o que me dava maior raiva era o quebra-quebra sem sentido algum, por puro prazer, porque até agora não vi o que depredar agências bancárias e concessionárias de carro vão melhorar no país.

Nem me fala do #changebrazil, de uma hora pra outra aparece essa bobeira, e da mesma forma desaparece. Da mesma forma ficava louco quando via cartazes para acabarem com a policia, acabarem com o governo, que vivemos numa ditadura e coisas semelhantes.Fico pensando de qual planeta esse pessoal veio. Acho mais engraçado o "Não vai ter copa". Vai dar uma meia duzia de gato pingado em protestos quando ocorrerem realmente os jogos. (99,99%) vão estar vibrando com os jogos.
O antigo manifestante vai reclamar se esbarrar com algum protesto no caminho para o estadio, e ainda chama-los de desocupados..rsrsrsrs...

Roberto disse...

Daniel, precisa análise, infelizmente foi isso que as manifestações viraram, um monte de gente despolitizada (nisso o governo erra feio desde o governo Lula com a falta de discussão política e só falar em consumismo e economia, ignorando a parte cultural do país e a "revolução cultural coxinha" que os reaças pregam através da mídia.

Roberto disse...

"Nem me fala do #changebrazil, de uma hora pra outra aparece essa bobeira, e da mesma forma desaparece. Da mesma forma ficava louco quando via cartazes para acabarem com a policia, acabarem com o governo, que vivemos numa ditadura e coisas semelhantes.Fico pensando de qual planeta esse pessoal veio. Acho mais engraçado o "Não vai ter copa". Vai dar uma meia duzia de gato pingado em protestos quando ocorrerem realmente os jogos. (99,99%) vão estar vibrando com os jogos.
O antigo manifestante vai reclamar se esbarrar com algum protesto no caminho para o estadio, e ainda chama-los de desocupados..rsrsrsrs..."


Daniel, e a propaganda do #changebrazil foi a prova mais escancarada de que havia gente ou grupos malintencionados por detrás de certas propagandas anti-Brasil pra desgastar governo e a própria democracia do país.

Me passaram mas não tou aqui com o link que quem adquiriu esse Wizard foi o grupo Abril que faz ataques sem parar desde 2002 ao PT e ao governo atual, essa propaganda do #changebrazil apareceu num jogo do Fluminense nos EUA em placa no campo, alguém tem que pagar uma boa grana pra ter essa propaganda ali, não "cai do céu".

O que me dá raiva do atual governo é que os caras têm como desmascarar esses ataques e simplesmente não acionam a polícia federal pra rastrear o dinheiro desses grupos e mostrar que há um complô por trás desses ataques.

Curiosamente os "revis" que adoram "teorias da conspiração", quando há um complô de fato rolando não dão um pio. Não são uma "graça"? Extrema-direita fascista com a extrema-direita liberal no fundo se amam, são merda e bosta.

Eu acho que quando a Copa de fato começar e o povo ver a merda que estavam fazendo, isso vai se reverter feio contra esse pessoal do "Não vai ter Copa" que é incitado pela grande mídia principalmente. Dessa vez a máscara desse pessoal vai cair de vez e sem volta.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget