terça-feira, 20 de maio de 2014

Copa do Mundo no Brasil, post pro pessoal que reside fora do Brasil (estrangeiros) sobre o evento. Para entender o "caos" proclamado na mídia estrangeira e brasileira

Este post vai pro pessoal de fora que lê português (os estrangeiros), que acessam o blog, e que por acaso desconheçam certas divisões políticas do Brasil, pra passarem a saber do que se passa internamente uma vez que nenhum site de notícias de fora irá comentar adequadamente pra vocês o que será detalhado aqui. Vocês provavelmente irão esbarrar em muita matéria negativa atacando pesado o país, muito em breve a não ser que a mídia mude de "postura", coisa que duvido que ocorra.

Mas por que a preocupação em esclarecer ou fazer esse contraponto? Pelo simples motivo de não tolerar mentiras, sendo que minha paciência com a coisa se esgotou por completo. E é um desabafo pois a convivência política no país está envenenada com esse surto de irracionalidade da direita brasileira. Mas ainda sobre a mídia, afinal, quem critica negacionistas por que iria tolerar mídia mentindo? Os negacionistas são um grupo sem poder dentro do Brasil, que só ganharem "visibilidade" graças à ignorância de boa parte da população usando essas redes sociais de forma imprudente (com destaque pro Orkut que deu visibilidade a esse surto de delinquência), mas já a grande mídia brasileira possui poder de fato, até poder de apoiar ditaduras como fez em 1964. Não seguirei paranoia tampouco cartilha do pessoal que vive vendo "revis" nas sombras e fazendo vista grossa com esse extremismo político propagado pela mídia brasileira.

Por conta da Copa do Mundo, invariavelmente, o Brasil ficará em forte evidência enquanto durar o torneio, período propício pra atuação política da mídia estrangeira e nativa. Ando bem furioso com parcela da população que anda achincalhando o evento gratuitamente, com clichês e "frases prontas" (repetem como papagaios lobotomizados), por motivos banais, falsos/distorcidos e moralistas (vazios) por fanatismo ideológico, minando o clima de boa expectativa natural com o evento.

Já aviso que o post é grande mas vale a pena ler, caso você se interesse pelo assunto e não esteja por dentro do que se passa no país. Os maiores públicos de fora que leem o blog são de Portugal, Estados Unidos, Alemanha, Reino Unido, França e Espanha (os seis primeiros). Sei que uma parte dos acessos é de brasileiros que estão fora, mas há estrangeiros também que dominam o idioma e teriam interesse em ler isso. Não sei se é possível fazer uma versão em inglês mas não seria má ideia. Quem quiser ver o resto da lista de países, com destaque pros 20 primeiros, confiram aqui. Curiosamente Israel só aparece na 18º posição.

Resolvi fazer este post depois de ver mais uma matéria ridícula no El País (jornal espanhol), que não chega ser a primeira vez e duvido que seja a última, com mais repetição de estereótipos sobre o Brasil e manipulação "jornalística" se aproveitando da Copa do Mundo que ocorrerá daqui a 22 dias, pra destilar veneno. Embora que pelo que tenho lido, esses apelos ridículos do El País citando o Brasil não tem "comovido" muito os espanhóis por conta da crise pesada que passam, essa "neurose" do jornal com o Brasil soa pro público espanhol que lê como um desvio de foco da crise interna deles (e é). Só que como não há uma ligação histórica entre Brasil e Espanha, é como falar de um desconhecido pra quem não tem afinidades com o país. Esta atitude evidencia o fato do jornal evitar criticar pesado os fatores da crise interna deles.

Também me lembrei de um comentário feito por um "revi" no RODOH em 2013 naquelas "marchas" de junho (vou abreviar o nick do cidadão pra CT), pois ele não entendia o que se passava no país e comentou besteira (pra variar) se baseando em imagens de "pirotecnia" já que pelo que o que ele via na mídia estrangeira era só o estardalhaço e filmagens de pirotecnia com os Blacks Blocs "tocando terror" no Rio e São Paulo pra dizer que o 'país' estava em "chamas". País pra grande mídia brasileira pelo visto se resume a duas cidades (os caras são ruins de geografia, e História também). Pra quem não conhece esse outro lado obscuro do Brasil, esse perfil político tresloucado e irracional de parte dos brasileiros e não põe em cheque certa postura midiática, deixará se levar por notícia manipulada facilmente. A ação da mídia estrangeira não é diferente da ação que parte da mídia brasileira fazia e faz, manipulando o sentimento do pessoal despolitizado (grupo de tamanho considerável) dentro do país, com moralismo, discurso vazio e falsa indignação.

É uma postura perigoso pois os sentimentos de ódio dessas pessoas não são muito diferentes de grupos que partem pra guerra civil (mostrarei mais abaixo o teor da coisa, e é aí que reside o problema central da coisa), e ódio plantado em cabeças fracas não passa tão facilmente. A mídia brasileira "acha" que "controla" essa turba de ódio mas não controla, se fugir do controle até ela será vitima do que cultivou ao longo de mais de uma década de forma irresponsável e criminosa. Tentarei depois, mas não prometo, traduzir este texto pro inglês, então colocaria o post em português como link, mas não sei se será possível fazer.

Eu sempre tomei cuidado de não trazer discussão política interna do país pra cá (refiro-me a essas discussões polarizadas ao extremo de direita x esquerda que rola no Brasil, com um baixo nível fora do comum, embora o blog seja abertamente crítico da extrema-direita, então implicitamente já possui uma posição política), mas vez por outra pinta gente (que se identifica ou não) tentando puxar a discussão pra esse lado, fazendo o que "revis" fazem: distorcer fatos, via retórica, achando que estão discutindo com idiotas. Isso irrita mais até do que discussão com "revisionistas" pois soa como insulto. Este post é a primeira exceção desde a abertura do blog, pois inevitavelmente o post tem posição, mas sobretudo eu penso no país, e pretendo manter a posição anterior do blog de continuar a não trazer este tipo de assunto a menos que alguém discuta. Esta postura de não trazer discussão direita x esquerda brasileira irrita muito o pessoal mais sectário que não consegue separar as coisas (o blog é informativo e não de "doutrinação" política) que por ventura queiram transformar todo blog em palanque, e na maioria das vezes com baixo nível. Aproveito também pra deixar aqui o recado pro pessoal mais cara de pau que acha que consegue manipular a gente, ou pensa que nos leva na conversa ao tentar discutir de forma desonesta achando que a gente não nota: evitem cutucar onça com vara curta pois a onça só aparenta ser mansa, ela sempre sabe dar o bote quando é provocada, ou quando acha que é necessário.
______________________________________

Início

Desde 2002 quando começou a ficar claro que o Lula, candidato do PT (Partido dos Trabalhadores, fundado em 1980), partido historicamente de esquerda/centro-esquerda brasileiro, iria vencer as eleições de presidente naquele ano contra o partido da situação (PSDB) apoiado pela grande mídia, começou um ataque pesado via imprensa por algumas publicações, com destaque a uma publicação de tiragem semanal bastante conhecida no Brasil. Pro pessoal de fora, apesar da sigla "social-democrata", o PSDB pouco ou nada tem de social-democrata, na prática sempre foi um partido liberal ancorado na direita conservadora brasileira (com a qual sempre fez alianças). Foi formado por uma ala elitista paulista que saiu do PMDB, partido este oriundo da polarização na ditadura brasileira entre o MDB (Movimento Democrático Brasileiro) e a Arena (partido de suporte da ditadura). O PSDB não é muito diferente dos partidos social-democratas da Europa hoje (que seguiram o mesmo rumo liberal), por isso que estão em franco declínio.

Mas como dizia, em 2002 alguns meios da imprensa começaram a fazer uma campanha pesada de propaganda atacando o Lula e o partido dele. "Começar a atacar" é forma de dizer pois sempre houve ataques da imprensa ao PT mas não na proporção que se vê de alguns anos pra cá. Destaque pra capa dessa revista semanal brasileira bem conhecida (que passou a atuar no espectro da extrema-direita com a defesa de um ultraliberalismo rechaçado desde 2002) com a imagem de um cão com três cabeças (de Marx, Lênin e Trotsky), peça digna de propaganda da Guerra Fria em pleno século XXI, algo que não funciona mais, mas que mesmo assim tentaram jogar pra ver se "colava".

Eu evitarei colocar links dessas publicações aqui pois não quero fazer divulgação delas, mas caso alguém tenha dúvida, eu coloco os links nos comentários do post (se surgirem).

O Lula acabou eleito em 2002 e a mídia (parte dela) deu um tempo com a "neurose" (perda de poder) por entenderem que o povo rechaçou esse tipo de propaganda e o projeto político dela pro Brasil que provocou forte recessão e quebradeira de empresas pela abertura inconsequente feita pelo governo do sociólogo Cardozo. Pra quem é de fora e não entende as divisões políticas do Brasil, a mídia corporativa brasileira (que é composta por grandes jornais e emissoras de TV, concentrados basicamente em duas cidades do país) possui forte poder político e capital e costuma ou costumava se atrelar fortemente ao poder executivo brasileiro (presidência da República).

Pois bem, de 2002 até 2005 mais ou menos, houve uma "trégua" por parte dessa imprensa até sair o escândalo do mensalão, bastante explorado na campanha presidencial de 2006 mas que acabou não dando em resultado eleitoral favorável à direita brasileira e a mídia (que é ligada a mesma), que continuaram perdendo espaço político no país.

Sofreram nova derrota exceto para o governo de São Paulo (vitória do PSDB), que é o Estado, junto com o Rio de Janeiro, que concentra esta mídia que citei lá no começo. O poder desta mídia corporativa no Estado do Rio se destaca praticamente em um grupo de mídia que tem a maior emissora do país, que cresceu no período da ditadura (há link sobre isso logo no começo), e em São Paulo ela se espalha por grandes jornais/revistas e em emissoras menores.

Quatro anos depois chegam as eleições de 2010, com nova derrota da direita brasileira e o Lula fez a sucessora dele saindo da presidência com popularidade na casa dos 87% (Link1, Link2).

E onde entra a Copa do Mundo nisso? Calma que chegaremos lá...

O que isso tem a ver com a radicalização que citei? De 2010 pra cá a coisa (polarização/radicalização) degringolou de vez na explosão daquelas "marchas" de 2013, que jornais de fora, de forma ridícula, compararam erroneamente aos protestos na Turquia que não têm nada a ver com os do Brasil. Essa mania de comparar fenômenos como se fossem a mesma coisa ignorando o contexto político de cada país é de uma idiotice sem tamanho, mas acontece quase sempre.

Na Turquia há uma rejeição de parte da população ao partido do Edorgan e a postura religiosa dele, que vai de encontro ao secularismo defendido por setores das forças armadas daquele país e da sociedade turca desde a criação da Turquia encabeçada pelo Ataturk. Fora outros fatores econômicos pra quem quiser se aprofundar, pois podem procurar por conta própria pra ler. Erdogan não tem nada a ver com o perfil político do governo brasileiro.

Quem criou a confusão sobre governos foi a própria mídia estrangeira e a brasileira por conta deste encontro aqui em Teerã:
Link1, Link2, Link3, Link4, Link5.

Na cabeça dessa mídia tacanha, qualquer ato em conjunto por algum motivo (interesses externos dos países), mesmo tendo perfis e visões no campo interno distintas, são interpretados como "sendo a mesma coisa".

O que é importante destacar pro contexto deste post é que os protestos no Brasil não têm correlação com os da Turquia, e isso confunde mais ainda a cabeça de quem está fora pois gera perplexidade ver um povo protestar com o país numa situação econômica de destaque no mundo e não em crise econômica aguda, algo que de fato provoca/provocaria forte aglomeração de pessoas nas ruas.

Quem não sabe do que se passa no país e não conhece essas divisões políticas internas e o papel central da mídia no fomento desta polarização e divisão do país, acaba ficando perplexo sem entender nada, achando que se trata de um povo tresloucado que se deixa levar por emocionalismos. E em parte o perfil de boa parte do povo que se deixa levar é de gente sem noção/tresloucada, eu mesmo rotulo assim. Há um componente irracional no Brasil herança da colonização religiosa ibérica que é duro de superar, eu credito a isto essas atitudes impulsivas de parte do povo.

Vários índices econômicos do Brasil hoje, (sétima economia do planeta, previsão pra 2023) num mundo em crise profunda desde a crise dos EUA de 2008, são bons e o país não passa por recessão nem coisa parecida, coisas que motivariam populações irem às ruas para protesto.

Mas há no Brasil, como citei acima, um componente irracional e religioso que é parte da direita brasileira, herança da colonização portuguesa do país e da própria cultura religiosa da Península Ibérica, repassada pra cá. Quem quiser racionalizar ao extremo algo irracional (esse comportamento emocional de parte dos brasileiros) acabará sem compreender nada, parte destas pessoas agem movidas por emoções, sentimentos de fraqueza/impotência, ignorância (são incrivelmente estúpidos e mal informados), crendices e intolerância profunda por acharem que estão perdendo status (a maioria delas é de classe média e se ressentem do aumento da classe média no país) ou acharem que está ocorrendo um "cataclismo" que só existe na cabeça (distorcida) deles. Crendice, emocionalismo barato (inflado artificialmente ou não) e ignorância são sempre "temperos" para catástrofes políticas.

Essas marchas de junho de 2013 parecem ter dado a ilusão a essa direita midiática (e a partidária, que se comporta como pau mandado da midiática) e as facções mais radicais (inclusive algumas de esquerda, comentarei sobre elas abaixo) de que o povo deu aval a eles e a essa radicalização que a mídia continua fazendo até hoje e tende a se acirrar até a eleição ou até haver uma definição de ganhador das mesmas. Tudo isso é movido por fins eleitoreiros e mais nada com a massa de manobra útil fazendo a "parte dela", como marionetes a classe média surtada mais conservadora age como uma Guarda Pretoriana atacando quem eles consideram como inimigos políticos, aversos à democracia apesar de alguns cinicamente se proclamarem "democratas".

Só um exemplo, eu poderia catar comentários assim em pilhas de site pois já vi vários comentários com este teor, mas como achei logo nesse (já aviso que é um site tendencioso e sensacionalista), e o comentário é grave (criminoso), serve pra ilustrar o que eu comentei sobre esse radicalismo e sectarismo. Olhem só a "pérola" de ódio abaixo, é um dos primeiros comentários (de cima pra baixo) que aparece (tirei print caso apaguem): Link
DB 19.05.2014 às 21:34
É muito atrevimento da sua parte, seu cara de pau que lixo de onda vermelha, só deixou o pais no vermelho isso sim, seu zé ninguem, eu quero eh encontrar um petista na rua que vou espancar e queimar em praça publica antes que volte a meu pais volte aos tempos da ditadura.

Vejam que o indivíduo fez uma série de ameaças no comentário, inclusive ameaças de tortura e morte com requintes de crueldade. Coisa de psicopata mesmo e desajustado social, uma pessoa dessas deveria ser afastada do convívio em sociedade, em definitivo. Mas não se trata de caso isolado, a turba ensandecida age dessa forma: caso de linchamento no Guarujá (SP) que começou com boato no Facebook, choca o país.

Há também grupos de extrema-esquerda, de orientação trotskistas, radicais, vulgo extrema-esquerda como o PSOL e o PSTU (ambos eram grupos radicais trotskistas dentro do PT que saíram do partido pelo sectarismo deles), aproveitando-se da mídia dando espaço amplo a essas manifestações de grupelhos (grupos minúsculos), forjando "protestos" nas ruas tentando surfar de carona em algum protesto legítimo. Sempre em duas cidades do país a maioria dos "protestos" (entre aspas): Rio e São Paulo que é onde se localizam as bases políticas maiores desses grupos e a própria mídia que dá espaço a isso. A base de um dos partidos, o PSOL, fica na cidade do Rio, por isso a frequência de certos "protestos" nela. Não são movimentos nacionais, não possuem base popular nacional, nem nesses Estados deles onde se concentram mais nas capitais, quanto mais nas outras 25 unidades federativas (Estados) do país. Ao contrário do Movimento Diretas Já! de 1984 que era amplo e nacional e tinha meta política clara: realização de eleições democráticas no Brasil depois de 21 anos de ditadura, eleições que só foram realizadas em 1989.

Há mais um grupo de posição ideológica indefinida a não ser por gostar do "agito" (baderna) que está rolando com esses grupelhos radicais como os Black Blocs, extrema-esquerda trotskista etc que é este grupo chamado Mídia Ninja (ler matéria crítica sobre eles) que tem fornecido imagens destas algazarras niilistas nas ruas de duas cidades basicamente (Rio e São Paulo), celebrando o "caos" via espetacularização da baderna.

Coincidentemente há eleições para Presidente, governador de Estado, deputado federal, deputado estadual e senador este ano no Brasil (se houve eleição em 2002, 2006, 2010, a próxima só poderia ser este ano). Exatamente no mesmo ano da Copa. Entenderam o "motivo" de tanta "revolta"? Há visivelmente uma exploração política por parte destes grupos celebrando o "caos" visando as eleições deste ano, e o que era pra ser motivo de festa, a Copa do Mundo, virou apreensão porque o povo (com razão) está assustado com a canalhice desses bandos, que sem escrúpulos atacam um evento do país por politicagem barata e suja.

Acho que agora estão entendendo o porquê de tanto "alarde" com notícias de "estamos com receio da Copa no Brasil e protestos"... é o famoso "terrorismo midiático", que gera pânico nas pessoas mais facilmente influenciáveis e que não conseguem associar esses fatos que citei acima ao que está se passando. Se fizessem isso desmontariam esta palhaçada facilmente. Eu não estou preocupado com a realização da Copa e este alarde ridículo da mídia tentando pôr em cheque a realização do evento. Haverá Copa e o povo em geral curtirá o evento, o problema que me chama atenção é que essa divisão formada pelo ódio irracional incitado pela mídia não passará com o evento, independente da avaliação do mesmo (se for bom ou ruim). Como faço parte de um país, não posso simplesmente ignorar o que se passa sabendo dessas coisas, porque invariavelmente isto sobrará pra todos, então fica o alerta ao pessoal que está "indo na onda", acordem, vocês estão sendo manipulados e conduzidos a ter posturas irracionais. Sejam mais céticos e frios e não impulsivos e afobados.

Onde entra a Copa na história?...

Parte da imprensa brasileira (e estrangeira) está se aproveitando da Copa pra fazer ataques pra minar a moral e algum clima de euforia (natural) do povo com o evento, ataques eleitoreiros e sistemáticos. Isso há pelo menos desde 2013.

Surgiu até uma campanha ridícula da minoria raivosa e irracional com um tal de #nãovaitercopa ("Não vai ter Copa"), um completo fiasco que como todo grupo radical costuma ser barulhento, principalmente se parte da mídia de forma obscura instrumentaliza isso pra fins políticos. Esses grupos tanto podem ser encabeçado pela extrema-direita ou extrema-esquerda trotskista, mas principalmente pela extrema-esquerda trotskista, com sede nos estados/cidades que eu citei acima. Inclusive a polícia federal deveria investigar quem está bancando isso e se possuem ligações com grupos políticos de fora e locais.

Por que esses protestos são suspeitos faltando tão pouco tempo pra copa?

A questão é simples: a escolha da Copa foi feita em 2007, ou seja, há 7 anos atrás, quase uma década (10 anos) e só agora vieram criticar a Copa? Faça-me o favor. Nem todo mundo neste país é trouxa a ponto de não notar que há coisas muito estranhas por detrás disso, falta apuração das autoridades (empenho), principalmente avaliando certas ONGs estrangeiras com patrocínio de fora e interno.

Até vídeos bem elaborados com garotinha bonita, que é pra adquirir apelo popular rápido pois todo mundo olha de bom grado prum rostinho bonito, uma "coisinha fofa" (como se diz por cá), malhando a Copa com aquele ar esnobe, pernóstico (prepotente) e moralista, vídeo que circulou bastante em 2013 pra desgastar a imagem do país e em parte conseguiu. O vídeo não era movido por nenhum sentimento patriótico, cívico ou qualquer coisa do tipo, era simples moralismo raso e exacerbado (que a gente chama de udenismo), com distorções e misturado com complexo de vira-latas e um certo sentimento de rejeição ao Brasil. Há muitos brasileiros, principalmente descendentes de gente que emigrou no século XIX ou XX, que manifestam um sentimento de desprezo e até ódio por terem nascido no Brasil. O sonho de parte dessas pessoas era ter nascido na Europa, pois acham que a vida deles seria diferente (melhor, a mentalidade é puramente materialista), e pelos gestos de vários deles, eles consideram que foi um 'erro' seus antepassados virem pra cá pro país. Pensamento anacrônico, furado e estúpido, porque pensam que se os antepassados tivessem ficado na Europa a situação econômica deles seria outra, isso se chegassem a existir.

O erro desse pensamento ou mentalidade é ignorar o que levou essas pessoas a virem ao Brasil: elas eram consideradas "dejeto" humano na Europa (isso mesmo, 'excedente social', algo "descartável", sofreram darwinismo social puro) e morreriam de fome se ficassem lá. A situação social e econômica europeia só muda pra valer depois da segunda guerra mundial com a formação do Estado de Bem-estar social (ou Estado Providência), forjado principalmente pelos partidos trabalhistas e social-democratas daquele continente (que nada têm a ver com o PSDB no Brasil e que muito conservador no Brasil ataca), tensionados pela URSS dum lado (a parte capitalista na competição com a URSS concedeu este arranjo de Estado, que agora está em crise e sendo dissolvido) e com a sombra da guerra do outro, muito tempo depois dos vovôs ou bisavôs dessa patota do ódio terem 'fugido' pro Brasil pra não morrer de fome e frio na Europa. Esse pessoal com vira-latice crônica é repulsivo. Sentem ódio virulento do país mas não se desgrudam do mesmo, o que é no mínimo incoerente. Se alguém odeia tanto um país, por que não se desliga dele? São um misto de ignorância, complexo, impostura e petulância.

Continuando de onde paramos, placas 'misteriosas' em um jogo do Fluminense (clube do estado do Rio de Janeiro) nos Estados Unidos com supostos "movimentos políticos" também apareceram e a mídia não tocou mais no assunto. Por qual razão? Por que comprometeria algum grupo? Alguém acredita que tudo isso foi espontâneo? Como prepararam tudo isso em tão pouco tempo? Perguntas sem resposta até hoje por parte de quem fez isso, mas dá pra deduzir mesmo assim.

Pra quem não sabe o que é "udenismo" (o termo "lacerdismo" também é muito usado e tem quase o mesmo significado), leiam o verbete UDN, a UDN foi um partido de direita brasileiro muito barulhento e desestabilizador da democracia no país, mas não há no verbete a explicação do termo "udenismo" no sentido pejorativo o qual é usado. O termo costuma ser vinculado a discurso moralista ou "moralizador" extremado, hipocrisia, histrionismo, discurso moralizador de combate a corrupção, de seguimentos que se dizem liberais (mas são conservadores ao extremo). Todo golpe de Estado no Brasil ou distúrbio grave (o suicídio de Vargas, Link2) foram precedidos de ondas de "udenismo" na mídia e pela população que adota esse discurso, por isso que é tão perigoso esse discurso no país pela carga simbólica e irracional que possui, pois os udenistas costuma ser as pessoas mais podres e sem escrúpulos do país, e quando não estão no poder usam esse discurso radical de "ordem" e não se incomodariam em viver numa ditadura de direita. Não são democratas.

Ao pessoal de fora do Brasil, principalmente os estrangeiros que nos leem: vocês acreditam mesmo que tudo isso é espontâneo? Com todo esse grau de organização e sofisticação? Com o histórico de golpes de estado que o Brasil tem com uma direita pouco afeiçoada à democracia (e sim a privilégios) alinhada quase sempre com potências estrangeiras? Eu honestamente não consigo crer na espontaneidade de grande parte dessas manifestações recentes. Houve sim muita gente bem intencionada nas marchas de junho de 2013, mas quando notaram que havia algo errado (a mídia começou a manipular politicamente os protestos), houve um esvaziamento dos mesmos.

Por isso que digo que se você se deparar com qualquer matéria exagerada demais na mídia de fora ou interna, cuidado, pode desconfiar sem medo, há manipulação pesada ocorrendo com fins eleitoreiros pois há eleições no Brasil em 2014 e existe uma ação política pra sabotar ou estragar a Copa do mundo pra tirarem dividendos disso. Isso é bastante visível e claro.

Aos brasileiros que participam desse tipo de "campanha" de sabotagem, pois é este o nome correto que não sei porque o governo se recusa a usar, não vou externar o que penso deles pois 'verme' seria uma palavra muito suave pra descrever o que penso deles. Vejam que a radicalização provoca na gente sentimentos também extremos, e não estou alheio a isso, principalmente por não ter "sangue de barata". A Copa pode ser um sucesso pro povo, e acho que será, mas o sentimento de raiva e repulsa que passei a sentir dessas pessoas dificilmente passará, e isso já é um legado negativo da Copa, independente de sucesso de público ou não, a aversão adquirida dessas pessoas dificilmente irá passar.

Muita gente se questiona como começam guerras civis e genocídios, acima você tem uma explicação de como isso começa. Esse ódio introjetado diariamente pra fomentar o comportamento irracional de gente estúpida, ignorante, com cabeça e caráter fraco/flexível, bucha de canhão, pode conduzir a situações extremas que nem essa direita oportunista incentivando este clima de polarização depois irá controlar. Ela acha que controla a coisa, crítica parecida eu fiz com a intromissão dos EUA e UE na Ucrânia achando que "controlam" neonazistas, mas mirem a guerra civil na Síria pra entender o que digo. Quando a coisa estoura, já era. Espero que não cheguemos a esse tipo de extremo, mas depende e muito do povo se conscientizar que está errado, de que não se faz política desta forma e passarem a rechaçar os grupos e mídia que incentivam essa postura duramente.

Eu não quero e nem tento convencer ninguém a votar em A, B ou C, cada um que decida isso de acordo com suas preferências políticas, mas penso que atacar um evento que representa o país por atitude eleitoreira e politicagem escrota, sem escrúpulo, tendo quase 10 anos pra criticar e deixaram pra "criticar" perto da Copa, é algo que não acato em hipótese alguma.

Eu nunca vi isso ocorrer em nenhum país que sediou o evento, se houve eu não lembro ou não soube e há divisões políticas em todos os países como há no Brasil, mas talvez não possuam uma direita tão tacanha e provinciana quanto a brasileira. Não tem sentido uma pessoa só por ser de direita ficar atacando o próprio país de forma irracional, como já vi vários, achando que isso é uma "crítica" ou ataque ao partido ou grupo que eles e opõem, ou como se fosse sinal de "inteligência" quando de fato é burrice crônica.

Eu nunca ataquei o país por conta de discordar de partidos de direita do mesmo. Sei separar a questão do país/nação de posição política, algo que parece banal ou comum pra quem está fora (a maioria dos países e das pessoas de fora entendem o que eu digo), pra você que está me lendo, não ocorre no Brasil pois há seguimentos de direita radical e da extrema-esquerda trotskista (pedante e elitista por natureza) no país com um profundo complexo de vira-latas e interesses outros.

A vocês de fora, quando algum brasileiro se apresentar com o perfil extremista acima, cuidado com ele, geralmente são pessoas tacanhas, preconceituosas, mal educadas e de difícil convivência.

Mas afinal, o que é esse complexo de vira-latas que falam tanto? (ou que eu tanto cito, pois ele existe)

Pra quem não sabe, deem uma lida no verbete da Wikipedia que está bem explicado: complexo de vira-latas.

O "complexo de vira-latas" basicamente é um apelido pra "complexo de inferioridade" que parte dos brasileiros, principalmente os mais conservadores e desinformados, sem senso de pátria ou nação, sentem perante o mundo e estrangeiros. A mídia brasileira tem boa parcela no fomento desse sentimento. Essas pessoas de fato se sentem inferiores e uma parte deles conhece toda cartilha racista decorada pra justificar esse sentimento de inferioridade que sentem. "Mas só podia ser no Brasil! Este país de merda!" e bla bla bla.

Quem cunhou o termo "complexo de vira-latas" foi um pernambucano, Nelson Rodrigues, que residia o Rio de Janeiro, depois da final da Copa de 1950 Brasil 1x2 Uruguai. Ironicamente ele era conservador mas com uma crítica mordaz e refinada às hipocrisias e moralismo da classe média/média alta e ricos brasileiros. Mas não é acaso ou coincidência que um pernambucano tenha destacado esse problema. Pra quem não conhece (ou seja, boa parte do Brasil, já comentei aqui do problema do desconhecimento da História do país e o crescimento de grupos radicais), o nativismo sempre foi uma vertente (sentimento) forte em Pernambuco (ler nativismo pernambucano), sentimento forjado na guerra e nos vários conflitos que o Estado passou, talvez o Estado do país com mais conflitos bélicos. Algo que pode levar a alguém do Estado a aparentar um sentimento de orgulho ou soberba, por isso que alguns pernambucanos podem parecer prepotentes pra quem desconhece esses traços do povo (ethos) quando apenas é uma forma de encarar o mundo.

E sim, isso existe, e como é parte da personalidade (ethos) de um povo (ou de parte da população), é tolice alguém vir criticar esse sentimento achando que o povo (ou quem carrega isso) irá mudar de postura pela simples 'choradeira' alheia. Eu diria que é até pior criticar, pois quando fazem isto o sentimento aflora e se acirra ainda mais, porque em parte somos meio ariscos, não gostamos quando tentam nos modificar via chantagem ou de forma forçada, mudança se faz com diálogo e razão, nunca com chantagem ou querendo modificar a forma de ser de uma pessoa ou coletivo. É meio que um mecanismo de defesa e autopreservação aguçado este sentimento, forjado pelos séculos de conflitos/guerras que Pernambuco passou. De fato uma parte dos pernambucanos não dão a mínima pra sentimentos de inferioridade e sentem certo nojo e desprezo dos brasileiros (e pernambucanos) que se portam com este complexo de vira-latas e daqueles brasileiros que atacam o país por sentimentos mesquinhos, banais e estúpidos, os anti-brasileiros. Não é uma exclusividade do Estado, há brasileiros de todos os estados que sentem e possuem este sentimento, inclusive há estados que também têm essa postura em seu coletivo. Pernambuco, ao lado de Minas e do Rio Grande do Sul, são os três únicos estados do país onde o povo carrega ou ergue sua própria bandeira espontaneamente, sem ser algo forçado, pela forte identificação com o simbolismo delas.

Como eu sou parte de um estado, eu carrego certos sentimentos que descrevi acima e sei que pessoas de outros estados não carregam estes sentimentos/posturas e geralmente essas visões distintas de país e mundo entram em choque porque essas outras pessoas partem de pressupostos falsos ou prepotência (mistura com ignorância) como a tal idealização do "Nordeste" (ou mesmo ignorância em achar que uma região não é dividida e que há identidades históricas no país) que eu tanto critico, pois se trata de uma invenção/construção política. A quem desconhece essas nuances do Brasil, nunca é demais conhecer pois foi isso que forjou a própria nacionalidade brasileira ou ideia de nação/país. Quem quiser entender o Brasil sem entender isso e suas ligações históricas com Portugal, sinto, jamais conseguirá entender o Brasil plenamente, a não ser um arremedo ou visão atrofiada do país. Por isso que a mídia do eixo econômico atual do país é tão tosca quando fala do Brasil (ela geralmente passa por cima disto que narrei), salvo raras exceções. O bairrismo no Brasil infelizmente é uma "instituição histórica", o Brasil foi forjado nesses conflitos que duram até hoje, quem não conhece isso simplesmente tem uma visão capenga e rasa do país.

Tudo o que relatei acima no post está entrelaçado. Para você entender o Brasil se "informando" com a mídia estrangeira (salvo raras exceções) ou brasileira repassando sensacionalismo barato, rasteiro e ordinário e muita idiotice e estereótipo, você poderá ser levado a crer que está acontecendo o apocalipse no país e não está. Mas a minoria raivosa chorará e apelará até verem que o choro deles, ou cansou/saturou os outros, ou que não são bem-vindos mais (quando a mídia começar a mudar o discurso e escanteá-los quando notar que não conseguiu os dividendos políticos que esperava com eles).

A manipulação é tanta que deram espaço na mídia pra mostrar uma coisa ridícula dessas: meia dúzia de gatos pingados fazendo "protesto" (entre aspas) ateando fogo a um álbum de figurinhas da Copa. Link1. Aqui o outro "protesto" dessa minoria com espaço na mídia: pintar máscaras em figurinhas de álbum. Sinceramente, alguém tem medo disso? Agora, o que leva a mídia a dar tanto espaço a uma coisa sem importância? Já comentei acima. Entendem agora o que está se passando no Brasil? Pois explicação como essa vocês dificilmente irão achar em algum site de notícias, a menos que tenham um surto de honestidade e toquem no assunto (no calcanhar de Aquiles deste pessoal).

Numa imprensa normal esse gesto seria rotulado de retardo social, mas pra parte da mídia brasileira o comportamento irracional não está sendo criticado, pelo contrário, está sendo ampliado e exposto pra dar a impressão de que o país está "pegando fogo", quando todo mundo sabe (ou deveria saber) que isto são coisas localizadas, isoladas, que ocorrem principalmente em duas grandes cidades do país, em determinados trechos delas (ruas). Não há um movimento nacional (em todos os estados) em torno disso embora você encontre fácil algumas páginas no Facebook sem identificação estimulando isso (os donos dela deveriam ser enquadrados e presos pela Polícia Federal), mas certos jornais e algumas TVs querem dar a entender que há quando não há. Há claramente manipulação de notícia, manipulação de quinta categoria diga-se de passagem.

Como já disse, é inaceitável atacarem o país como estão fazendo por ódio irracional, sectarismo e fanatismo político de quinta categoria, mesmo que seja uma minoria servindo imagens pra mídia explorar e manipular notícia. O que parece absurdo em outros países, no Brasil a direita brasileira e a mídia conseguem transformar o "absurdo" em realidade e parece que sente orgulho da própria impostura.

Pode haver democratas de direita descontentes com isso, e deve haver, então a hora de vocês se pronunciarem atacando esse comportamento irracional e questionável é agora. Agora não, eu diria que já é tarde mas não ao ponto de não se distanciarem desse "lúmpen" (massa) raivoso e irracional endossado por parte da mídia brasileira e criticarem esse comportamento. Quem cala e se omite consente, então não venham depois posar de "esclarecidos" e "democratas" se se calaram (por oportunismo e covardia) diante deste monte de desatinos que estão fazendo contra o país por motivos questionáveis e vis. Não pensem que depois da Copa essa babaquice toda não será passada a limpo pois vai, aí os mesmos revoltados irão "sumir" do mapa como se nunca houvesse tido "protesto" forjado antes.

Mas eu guardei a melhor parte pro final

Quem quiser ter uma ideia do grau de esquizofrenia da coisa, eu separei este vídeo que se encontra no youtube com a comemoração do anúncio das Olimpíadas de 2016 no Rio em 2007. Parte deste mesmo povo no vídeo soltando fogos hoje se encontra xingando agindo como maria-vai-com-as-outras porque vê uma manada atacar, podem ler os comentários mais recentes, são uma coisa pavorosa, fraqueza de caráter e muita, mas muita burrice mesmo. Eu salvarei o vídeo por precaução pois podem querer apagar. Assistam bem o vídeo e vejam o sentimento que a gente que é consciente do que se passa (da manipulação da mídia) está sentindo. Nojo, simplesmente nojo dessa imundície protagonizada por parte da mídia brasileira. Quem vê o povo pulando no vídeo e vê essas manifestações radicais de ódio, que agora são feitas por grupos nanicos, sem o país estar em crise só pode achar que se trata de um povo bipolar e doido, é o que eu pensaria. Por isso que as manifestações causam tanta perplexidade a quem é de fora e a quem é de dentro e não tem noção clara do que se passa se se deixar levar por noticiário enviesado:


http://www.youtube.com/watch?v=ZORtSV1CWWA

Acho que o que eu queria repassar a quem está fora do Brasil (principalmente estrangeiros que leem o blog) foi dito acima, caso sintam alguma dúvida e queiram saber mais, podem comentar e discutir.

Repito novamente pois sei que pode ter brasileiro dentro que podem querer levar a discussão pra polarização e não é esta a ideia do post. O post é destinado a pessoas fora do Brasil, principalmente estrangeiros que não têm acesso a esses detalhes do perfil e divisões internas do Brasil e acham que podem achar que país é uma coisa homogênea, com todo mundo "sambando na esquina", com sotaque carioca e o Pão de Açúcar ao fundo, pois é essa a imagem "padrão" que costuma ser repassada fora de forma insistente. Eu não danço samba, minha terra não é terra de samba e eu e milhões de brasileiros não somos menos brasileiros por conta dessa imagem caricata que a mídia brasileira insiste em repassar do país. Um dia isso vai acabar.

O Brasil é um país complexo e bem diverso desse estereótipo repassado no exterior pela mídia brasileira e reforçado pela mídia estrangeira. O Brasil é um país com 200 milhões de habitantes, muitos sotaques e regionalismos (alguns forjados, outros autênticos), mas com uma história em comum, apesar dos lunáticos separatistas/bairristas ignorantes de algumas regiões pregarem que o país não é um só por serem ignorantes e desconhecerem a História do país (e ainda se orgulharem de não saber).

P.S. em virtude da polarização/radicalização que descrevi acima, em breve ou muito provavelmente esse blog não terá atualização, principalmente na Copa. Eu que tenho uma aversão pesada à CBF (capacho de certa emissora de TV e que privilegia alguns clubes do país e faz ataques sistemáticos a meu estado) vou engolir até a aversão que sinto dessa instituição podre por conta da canalhice que fizeram contra a Copa por oportunismo e motivos sorrateiros, obscuros, eleitoreiros e vis. Tenho críticas a fazer ao evento, mas totalmente diferentes das que vêm sendo feitas por estes elementos irracionais. Críticas mais de natureza política e sobre o ato de se ignorar este tipo de irracionalidade política no país. Assim que passar a Copa comento isso pois os ânimos estão muito mais calmos e os irracionais desarmados.

Data do post: 20.05.2014
Atualização: complemento dia 01.06.2014
Sobre a CNN do Kremlin, o Russia Today (RT) e os ataques anti-Brasil

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget