domingo, 1 de junho de 2014

Sobre Putin, a crise da Ucrânia e a CNN do Kremlin (Russia Today, RT)

Pra quem não leu, eu fiz um resumo sobre os antecedentes recentes dessa crise na Ucrânia em "A crise na Ucrânia, os desdobramentos (um resumo)", e mais um complemento em: A crise na Ucrânia, os desdobramentos - II (a caminho da fragmentação e da guerra).

Num dos posts houve gente vindo "discutir", ou mais precisamente fazer pregação política, deixando o assunto do post de lado. O que é uma pena pois o nível de discussão sobre essa questão em sites de notícia estrangeiros, salvo exceções, é tenebroso. O nível do que o povo comenta. Depois eu passo por autoritário quando digo que os sites poderiam cortar a parte de comentários, pois pelas bobagens que comentam não faria falta alguma.

Merece inclusive um post à parte o baixo nível da mídia estrangeira (mídia mundial), mas acho que irei comentar o assunto noutro post depois se for melhor. Pra quem acha que nível baixo da imprensa é só um fenômeno local, brasileiro, não tem ideia dos absurdos que sites de notícias (jornais) de renome de fora publicam sem qualquer escrúpulo (compromisso com a veracidade dos fatos, manipulação midiática mesmo como ocorre dentro do Brasil), ou mesmo ignorância, não checam nada antes de publicar, ou não possuem conhecimento sobre o que publicam.

Mas lendo comentários de gente que aparentemente tem alguma ligação com a Ucrânia (descendentes) em alguns sites de notícia, notei o porquê da dificuldade em discutir o assunto com essas pessoas. As mitificações, recentes ou não, propagadas na Ucrânia e no exterior (nas comunidades que vivem fora da Ucrânia espalhadas pelo mundo), principalmente após a dissolução da URSS, criaram de fato uma aversão à Rússia, independente do governo que esteja a frente daquele país. E isso gera problemas parecidos, por exemplo, à questão israelense com o Holocausto, que acaba por pautar a agenda política do país em torno disso, ou o assunto tem um forte peso na política externa e interna daquele país.

Doutra parte tive que ler críticas como se eu fosse defensor de Putin e estou bem distante disso. Pro pessoal que adora idolatrar figuras políticas, eu sou iconoclasta, eu não nutro idolatria por ninguém ou por coisas. Eu ia colocar o link direto pro termo, mas vi que tem um monte de significados antes daquele que eu uso sobre ele. Quando cito o termo é neste sentido abaixo:

Iconoclasta: Figurado. Quem não acredita no culto ou idolatria de (qualquer coisa ou pessoa). Link.

O que eu sou abertamente, e foi esse meu ponto nos posts, é contrário à interferência estrangeira fomentando um conflito naquela região usando um Estado (a Ucrânia) como biombo (pretexto, joguete) pra cercar outro país, independente de concordar com o governo russo ou não. Não só lá como em qualquer lugar. Esse tipo de intromissão é uma violação à soberania de um país e costuma sair bem caro depois. Se um povo não tem muita consciência dessas questões (soberania etc), acaba "indo na onda" e depois se arrepende amargamente. O Brasil embarcou numa dessas em 1964 e ganhou de "brinde" uma ditadura de 21 anos com as multinacionais fazendo a festa no país e o crescimento indiscriminado das desigualdades sociais e regionais no país.

Pruma 'turma' que só pensa no mundo com uma visão de futebol (com torcidas, ou "torce pra um ou pra outro"), qualquer posicionamento não alinhado com posição A ou B (dos dois blocos em disputa) é vista como alinhamento ao opositor. Só que ignoram que, como brasileiro e humanista, eu vejo as coisas de um ponto de vista do Brasil (não deixando as questões humanitárias de lado), ou seja, eu não olho pro conflito com os olhares do Kremlin nem com os da Casa Branca e sim com os do Brasil. E sei que isso incomoda a turma da vira-latice que só pensa em termos de torcida, como disse acima. Eu posso sim (e levo) levar em conta o que pensa cada um dos lados, mas não sou obrigado a concordar com eles quando emito opinião ou tomo partido.

Tratem (o recado vai pros brasileiros ou pra parte que padecem do famoso "complexo de vira-lata") de se acostumar com esse tipo postura pois daqui pra frente isto será cada vez mais comum (ou deveria ser).

O ponto central da peleja é que a primeira vítima desses joguetes todos, da disputa de poder, é a população comum da Ucrânia, que se encontra numa encruzilhada: neofascistas dum lado no governo e um governo frágil, fantoche, que chegou ao poder via golpe de estado apoiado pelos EUA e UE oriundo desta crise, e a Rússia cercada do outro disposta a defender seus interesses de todo jeito e bases da OTAN no meio do imbróglio, que é o pivô de crise a meu ver com a Rússia, mas a disputa vai além disso.

A estratégia de cerco dos EUA e UE com a Rússia ainda não está clara, pois não visa somente a Rússia, pode ser um cerco mais amplo que isso, um cerco ao próprio bloco BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). É como vejo a coisa.

Ideologicamente falando, se alguém no Brasil acha que o governo russo é de esquerda, das duas uma: ou não tem ideia de nada, ou é fanático, daqueles que acha que ainda estamos na Guerra Fria vendo comunistas em cada esquina e na sombra. E claro, essas pessoas, por ignorância extrema (não tem outro termo pra definir isso), acham que todo russo é obviamente comunista. Ainda mais o Putin sendo ex-agente da KGB. Sinto informar, mas a União Soviética acabou em 1991, e o governo russo atual se escora no conservadorismo na Rússia.

E não sou alheio às coisas, eu sei que há parcelas da classe média no Brasil repetindo e propagando esse discurso paranoico anticomunista datado da Guerra Fria, por serem pessoas com baixo grau de reflexão e mesmo de leitura, acreditam piamente nessas neuroses ou discurso da guerra fria ignorando a realidade atual (um mundo fracionado e multipolar). Antes que venha algum deles encher o saco com isso já aviso que sei todo o repertório de vocês, Foro disso e daquilo etc. Poupem-me. O mundo não está acabando, vocês é que são 'meio' aluados mesmo.

Indo direto ao ponto, sinto, já disse mais de uma vez aqui que essa reprodução de discurso anticomunista da guerra fria é idiotice e paranoia de gente que só lê bobagem (site enviesado extremista) e acham que "descobriram a pólvora", limitam-se à leitura de um panfleto como verdade absoluta e passam a defender isso como um bando de religiosos fanáticos, sem qualquer senso crítico. Notem que esse tipo de paranoia em geral só faz "sucesso" na América Latina.

Se querem ficar nessa bolha lunática, problema de vocês, só não me venham encher o saco com pregações tolas citando "ideólogos" (astrológicos) que ficaram conhecidos via Orkut por justamente saberem do baixo nível intelectual desse público conservador no Brasil.

Esse fanatismo ideológico só traz prejuízos à democracia, mas mais ainda ao pessoal que fica bitolado nessa paranoia. O que mais aparecia no Orkut era gente repetindo isso, depois de um tempo parte dessas pessoas (as menos fanáticas) quando caíam em si (tomavam contato com outras fontes de notícia, livros, pessoas etc), começam a ver o tamanho do disparate que estavam seguindo. Só que o estrago causado é muito grande, o estado de paranoia estraçalha os nervos de um, fora o estrago que deve fazer na cabeça dessas pessoas mais suscetíveis à esse tipo de pregação.

Voltando ao Putin. Putin faz na Rússia um governo à direita, só que é um tipo confuso, não muito claro, uma hora ele usa uma retórica nacionalista pra abafar críticas internas e 'unir' a população, principalmente quando há ameaça clara, reativou os símbolos do exército vermelho no exército russo pra aumentar a estima do exército, mas ao mesmo tempo ele é bem próximo de oligarcas (gente rica, que ficaram ricos com a desintegração da União Soviética e muito roubo), que praticam um capitalismo selvagem pesado, máfias, e também pouco afeito à democracia.

Essa crítica a ele não é uma crítica sensacionalista da mídia mundial sobre a postura de Putin, há problemas sim com o modelo democrático da Rússia. Como há em vários outros, incluindo o dos Estados Unidos. E obviamente ele não é o pior líder da face da terra, há piores. Eu mesmo acho o Obama uma das piores coisas que surgiu nos últimos tempos, e ainda deram um Nobel da Paz pra ele.

Pra quem quer ter uma ideia da confusão ideológica da coisa, esse é o caso mais escancarado pra mostrar a postura "confusa" que ele adota, existe um canal de TV que o Kremlin criou, o Russia Today, uma espécie de CNN do Kremlin, pra dar notícias "sob um ponto de vista russo" (ou mais precisamente, do ponto de vista do 'governo russo'). Por isso que apelidei de CNN do Kremlin. Qual a diferença disso de uma CNN ou de um canal que só dá notícia florida do próprio país e agenda política externa desses países? Não digo que seja necessário fazer crítica ácida e sim análises equilibradas, que deveria ser a essência do jornalismo.

As páginas desse RT (que é como é mais conhecido, pela sigla) são de um nível jornalístico muito baixo, e sempre sai notícias com teorias da conspiração e bobagens do tipo dignas de um Conspiracy Channel, ops, Discovery Channel. Tem versões em inglês, espanhol e árabe. Tem outro site Voz da Rússia que também é do mesmo "nível", muito ruim. Ter ponto de vista de um país é uma coisa, publicar bobagem como "jornalismo" é manipulação de informação.

Mas sobre o RT, pois esse é mais conhecido e tem um público considerável em inglês, é um site russo (de TV) ligado ao Kremlin só que norte-americanizado, o linguajar dele é todo de TV norte-americana, tenta agradar aquele público bitolado dos EUA (bitolado em teorias da conspiração e futilidades) com críticas políticas, só que divulgando ou defendendo a agenda do governo russo. Pra quem quiser ler, matéria no Spiegel (Alemanha), que é uma das revistas mais sérias de política, matéria sobre o RT nele, link:
Russia Today: Putin's Weapon in the War of Images

E pra quem simpatiza com o Putin, este site que eu mencionei vem repetidamente malhando a Copa do Mundo no Brasil reproduzindo a panfletagem feita pela mídia brasileira contrária à Copa. Sim, boa parte da população já sabe que a grande mídia brasileira está fazendo campanha política em torno da Copa do Mundo, por isto fiz este post aqui sobre o tema, mas direcionado ao pessoal de fora (que não seja brasileiro), que pode não ter ideia da polarização/radicalização política inflada pela mídia no país, pra antecipar o tipo de campanha marrom que já rola nesse período de Copa do Mundo. É desagradável ler idiotices estereotipadas, sempre a mesma coisa, de gente que não sabe nada sobre o país, ou por oportunismo barato, ou que não tem nada a acrescentar e tentam estragar a festa do povo.

Daí se tira o "nível" da coisa. Link (amostra) da parte em espanhol:
Link1

Essa é a mais hilária:
Goldman Sachs predice la victoria de Brasil sobre Argentina en la final del Mundial

Eu não chequei em outro site, mas não tem nenhum link na matéria com algum link desse banco. Outro ponto: quem escreveu essa porcaria entende de futebol?

Quer dizer que uma seleção que chegou sete vezes em finais de Copa, e chegou mais vezes em classificações de destaque fora ser campeão cinco vezes (e chegaria mais se a CBF não fosse o lixo que é além da má intromissão de certas emissoras de TV), precisa da porcaria de um banco ou insinuação pra chegar em final dentro do próprio país? Sendo que dá pra contar no dedo quantas vezes o Brasil perdeu jogando dentro do Brasil? Ler um texto desses chega a ser hilário se não fosse o fato que esse site reproduz essas besteiras diariamente pra milhares de pessoas em vários países sem conhecimento algum, que tomarão como verdade absoluta essas baboseiras.

Esse site só pode estar de gozação ou de brincadeira. E sim, as chances de equipes latinoamericanas, mais precisamente as da América do Sul, de chegarem a uma final no mesmo continente são maiores que se jogassem a Copa em outros continentes, isso é comum, o mesmo ocorre quando há Copa na Europa, as chances de equipes europeias chegarem as finais aumenta consideravelmente porque têm a torcida próxima. Agora (conteúdo irônico), vai ver que é por conta desse tipo de bobagem que publicam (crença) que a Rússia não chega na final, rs, pois sem jogar bom futebol é impossível, não chega mesmo.

Mais outro escárnio e teoria da conspiração:
Extrañas coincidencias dan a Brasil como hexacampeón del mundo
Aqui repetindo bobagens da DW secando a seleção brasileira:
Una eliminación temprana de Brasil en el Mundial "beneficiará a la economía del país"

Sinto pela DW, mas não adianta secar, apelar, jogar baixo, se a seleção alemã não jogar bola, tchau, roda mesmo, e podem ficar de cara amarrada mesmo, não ganham jogo com catimba e sim jogando. E de fato não é fácil ganhar do Brasil dentro do Brasil, não é impossível, mas está longe de ser fácil. Não só de ganhar no Brasil como fora do Brasil também não é muito fácil vencer a seleção brasileira jogando bem. Mesmo a atual seleção não sendo a de futebol mais brilhante da história, ela é uma seleção competitiva e não é fácil de bater, vide os 3x0 que a "imbatível" Espanha tomou na final da Copa das Confederações, e deve estar doendo até hoje.

Aí chega um ou outro brasileiro com vira-latice chiando porque eu desço o sarrafo nessa palhaçada, ignorando a afronta por submissão e complexo. Sinto por vocês, mas eu não sou de levar desaforo pra casa, quem disser besteira (mentira) de forma mal intencionada, eu retalho mesmo. Isso não é jornalismo, é imprensa marrom, nível de tabloide.

Crítica séria é uma coisa, eu mesmo critico vários eventos tenebrosos do país em muitos posts, como estes sobre a ideologia do branqueamento e o racismo no país, assunto que essas mídias de fora e a brasileira fogem como o "diabo foge da cruz".

Já não chega ver parte do país (a parte que se comporta de forma irracional achando que está "fazendo revolução" e achando que é "politizada", quando são rasos como um pires e moralistas) transformarem um evento, que era pra ser uma festa, em politicagem barata, ordinária e chantagem política midiática, ainda ter que aturar isso, não dá. Já chega os erros do governo em subestimar esse comportamento irracional da parte mais conservadora da população achando que iriam se comportar de forma cívica no evento quando historicamente esse pessoal mais conservador sempre foi propenso a maluquices e atos hostis contra o próprio país pra defenderem mesquinharias e status social.

Ver canal criado pra repetir agenda política russa no exterior repetindo besteira de forma insultuosa, distorcida, agressiva, teoria da conspiração (dos ETs, do Sombra etc), não engulo mesmo e não faço meio termo disso. Ou noticia certo, relata o que se passa detalhando tudo, citando outros pontos de vista, ou não tem papo. Ou faz jornalismo sério ou vai receber crítica pesada. Esse negócio de "deus mídia", incriticável, acima do "bem e do mal", que pode manipular notícia como quer, acabou, a livre circulação de boa informação na internet acabará com isso ou fará um contraponto a isso.

Só pra dar uma ideia do nó ideológico que o Kremlin causa, a Rússia é um dos países dos BRICS, teoricamente deveria estar próximo ao Brasil, mas... o canal de TV ligado ao governo russo malha/ataca a Copa de um país dos BRICS com um jornalismo de quinta categoria, de imprensa marrom mesmo, repetindo pauta de grupos radicais do Brasil e da mídia enviesada do país usando a Copa pra se promoverem politicamente ou pra politicagem barata da pior espécie, coisa que já está sendo rechaçada pelo povo nas ruas, e não me refiro a protestos forjados com 100 gatos pingados, amplificados por uma mídia sem escrúpulos, e sim a milhões de pessoas.

Eu citei bastante a Copa, mas é porque fica mais fácil mostrar o tipo de manipulação barata que uma mídia faz citando o futebol. E obviamente não gostei da palhaçada direcionada ao país. Beira o ridículo a coisa quando você sabe de antemão o que se passa. Agora, imagina esse mesmo meio de comunicação comentando a crise na Ucrânia o tipo de distorção que pode fazer. Não só ele como vários têm adotado a mesma postura panfletária: BBC, DW etc. Partidarização total. Tá certo que não existe mídia isenta, mas isso não é "jornalismo". Você não se informa mais, você se irrita lendo uma porcaria dessas.

É simplesmente bizarra essa postura da Rússia, ou nem tanto, deve haver algum sentido nisso: vai ver agem como o governo dos EUA, é o imperialismo ao modo deles, com um viés preconceituoso em relação ao Brasil e uma cobertura na mídia terrível. Só que isso tem um preço, postura inamistosa costuma ser retaliada depois. Igualmente à cobertura feita pela DW (alemã) que não se cansa de atacar com estereótipos batidos (reproduzidos principalmente por parte da mídia brasileira, "samba, cha cha cha, Rio, carnaval, futebol") e o jornal espanhol El País, com um viés próximo a alguns partidos do Brasil ou defendendo interesses espanhóis (multinacionais espanholas) no Brasil.

3 comentários:

João P. Santos disse...

Lamentável a campanha contra a Copa que a mídia vem fazendo.

Roberto disse...

João Santos, infelizmente sim. Apesar dessa propaganda pesada contra a Copa incitando esse pessoal despolitizado a ficar enchendo a paciência atacando o mundial e atacando tudo, creio se o intuito da mídia era sabotar o mundial, isso foi pelo ralo, toda propaganda negativa tenderá a se voltar contra quem fez.

Quando o ataque é sistemático demais (exagerado), levanta suspeita. Creio que a maioria das pessoas já repararam no tipo de cobertura que a mídia anda fazendo do evento e saberá avaliar isso.

Roberto disse...

O triste disso tudo é que esse extremismo político observado nesses comentários anti-Copa em pouco ou nada diferem desse comportamento extremista que os "revis" apresentam. Há um radicalismo ideológico e que por vezes chega até aqui também e é algo desagradável.

Por isso acho curioso quando aparece gente "combatendo" esse pessoal com quase a mesma postura sectária e paranoica deles, so diferindo o alvo do discurso.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget