quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Morre "revisionista" S.E. Castan

Sem sair notícia em nenhum site de jornal pra confirmar, a notícia da morte de S.E. Castan, primeiro "revisionista" no Brasil e criador da Editora Revisão que distribuia esse literatura antissemita e negacionista, a notícia foi dada em sites "revisionistas"(negacionistas) do Holocausto ou na rede social do Google apinhada deles de nome Orkut, entre os dias 3 e 4 de outubro.

Sobre Castan, ver S.E. Castan e a Guerra de Inverno na Finlândia, Livro alerta sobre negacionismo do Holocausto e Castan, atentado em Sarajevo, Gravilo Princip e as velhas distorções "revisionistas".

É estranho que não noticiem sobre a morte porque a pessoa mencionada, à parte e repulsa do que pregava, ficou notório por conta da criação dessa Editora Revisão que foi quem começou a distribuição em maior escala de material negacionista no Brasil, e porque mesmo na morte de fascistas mais conhecidos fora do país, saem notícias sobre o ocorrido como no caso da morte do Haider na Áustria. Ler mais aqui, aqui, aqui e aqui.

Enfim, fica aí o registro da notícia já que o blog trata do assunto refutando as baboseiras antissemitas que os "revis" publicam e também postando textos sobre o Holocausto.

6 comentários:

Sérgio Luiz Duarte disse...

Uma grande perda. Castan realizou inúmeras pesquisas, visitou campos de concentrações, entrevistou os supostos autores do holocausto e pretensos parentes de vítimas e chegou a conclusão que o holocausto é um engôdo. Após foi perseguido e massacrado pelo sionismo nacional e internacional, a ponto de sua morte não ser nem mesmo anunciada. Um dia a verdade sobre a 2ª Guerra irá eclodir.

Roberto disse...

"Uma grande perda. Castan realizou inúmeras pesquisas"

Ele não fez pesquisa nenhuma, nem sequer é citado como um "revi" de peso pelos "revis" de fora exceto o neonazi Zundel. Pelo visto o "revi" nem leu o que o guru Castan reproduziu nos livros (cópias de outros "revis") pra falar que ele fez "pesquisas".

"visitou campos de concentrações, entrevistou os supostos autores do holocausto e pretensos parentes de vítimas"

Ele não entrevistou parentes de vítimas.

"e chegou a conclusão que o holocausto é um engôdo."

Ele não chegou a nenhuma conclusão, a atitude dele era política como a de todo defensor do nazismo ao tentar negar os crimes que os nazis cometeram com panfletagem.

"Após foi perseguido e massacrado pelo sionismo nacional e internacional"

Nem todo mundo que odeia nazis é "sionista", esse chavão de vocês "revis" rotulando tudo de sionismo pra não usar a palavra judeus é bem manjado, e começa o melodrama com palavras como "massacrado" e afins. Ele foi "massacrado" por defender algo repulsivo.

"a ponto de sua morte não ser nem mesmo anunciada."

Mas e por que seria anunciada? Qual a relevância dele fora dos círculos onde fascistas ignorantes cultuam algo sem nem ler? Nem nos fóruns "revis" de fora citam ele, vai ver os "revis" estrangeiros são todos "guiados" pelo sionismo.

"Um dia a verdade sobre a 2ª Guerra irá eclodir."

Ah vai, um dia vários desses "revis" que chegam aqui arrotando bobagem como se falassem com um bando de ignorantes sentirá vergonha de ter escrito tanta besteira no passado simplesmente por falta de leitura sobre o assunto.

Gui e Dã disse...

Quanta bobagem Roberto disse...
É uma pena que pessoas continuem cegas e crentes de que um dia o Holocausto aconteceu, mesmo sem provas, são pessoas que servem de instrumentos de manipulação. Castan tentou ajudar, trazendo à discussão verdades vilipendiadas. Mas infelizmente tem pessoas que não aceitam a sadia discussão, a busca pelos fatos reais e só aceitam uma única opinião, não aceitam ser questionadas nem divergidas. A isto dá-se o nome de intolerância, mas preferem esconder o sol e chamar a quem busca a verdade de anti-semitas. E assim é que se protege a intolerância, batizando e pejorando quem diverge. Castan, descanse em paz, parabéns pelo trabalho.

Roberto disse...

"Quanta bobagem Roberto disse...
É uma pena que pessoas continuem cegas e crentes de que um dia o Holocausto aconteceu, mesmo sem provas, são pessoas que servem de instrumentos de manipulação."


Provas é o que nunca faltaram, no blog há reprodução de inúmeras, mas como sei que nenhum curioso "revi" vai procurar pois só ficam repetindo os chavões "revis" "o Holocausto não existiu, o Holocausto não existiu", sugiro dar uma lida neste post do Holocaust Controversies, uma coletânea de várias delas:

Index of published evidence on mass extermination in Auschwitz and Auschwitz-Birkenau

Roberto disse...

Se todas as provas do post são falsas, é só demonstrar que são, não acho que seja difícil de demonstrar isso caso sejam.

"Castan tentou ajudar, trazendo à discussão verdades vilipendiadas. Mas infelizmente tem pessoas que não aceitam a sadia discussão, a busca pelos fatos reais e só aceitam uma única opinião, não aceitam ser questionadas nem divergidas."

Fato histórico e História não é questão de opinião, o nome fato já indica que ele é algo que aconteceu e que interfiriu no andamento da guerra, negar que fatos não ocorreram por motivações ideológicas é que é algo falso e não é verdade alguma a não ser crença política.

"A isto dá-se o nome de intolerância, mas preferem esconder o sol e chamar a quem busca a verdade de anti-semitas."

Intolerância foram o que nazistas cometeram contra várias pessoas no mundo por racismo, se não tolerar reabilitação de nazismo/fascismo mascarado de "revisão" é intolerância, entou sou sem problema, mas não é inverdade que vários "revis" são antissemitas ou que defendem o "revisionismo" por antissemitismo ou por outros motivos como o de que vários são simpatizantes de grupos de extrema-direita.

"E assim é que se protege a intolerância, batizando e pejorando quem diverge."

Eu sempre mostrei as distorções e mentiras dos textos "revis", isso não é intolerância, intolerância é ser banido de comunidades "revis" - como fui - porque estava apenas refutando as asneiras dos textos "revis". Só que é engraçado, nessas horas não aparece um "revi" ou simpatizante do credo "revi" pra criticar a intolerância dos "revis", o famoso dois pesos e duas medidas e o velho chororo. Não conseguem provar que um fato histórico é falso e partem pra apelações emotivas como "estamos sendo perseguidos", "somos vítimas da mídia sionista" e outras pérolas.

Roberto disse...

E só um adendo: nunca corri de discussão nenhuma, apenas tenho direito de não ter mais paciência ou saco de "discutir"/"debater" com "revis" brasileiros, pois sempre partem pro mesmo bla bla bla requentado ou sempre desviavam o assunto (quando estavam sendo refutados) pra conflito no Oriente Médio, e deixaram a comunidade que tínhamos pra discussão pra ficarem fazendo panfletagem em comunidades "revis" do Orkut.

Falta de fórum pra discussão nunca faltou, esse fórum RODOH, que fiz até um post pra citar o fórum, existe desde 2003 e havia até uma seção em português nele que foi abandonada pelos "revis" brasileiros.

Resumindo, nunca fugi de discussão alguma, só que só posso falar por mim e do que eu vi os colegas do blog fazerem pois sempre comentam nos mesmos lugares, e nunca vi ninguém fugir de discussão alguma, não sei de onde você fundamentou o comentário pra fazer essa afirmação de que "não aceitam uma sádia discussão".

Só que acho que a expressão que você usou é retórica, não há discussão sádia com gente que acha que Hitler era santo, é como discutir com um bando de fanáticos. Se há mais gente que não discute com negacionistas, discuta isso com elas, não é nosso caso.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget