sexta-feira, 3 de maio de 2019

O mundo em combustão. A guerra pelo coração da América do Sul (e pelo petróleo) e os estertores do Império Norte-americano (as víceras imperialistas expostas)

A quem não leu, vou colocar o link aqui: Como Bolsonaro chegou ao poder no Brasil... Steve Bannon, "fake news"? Leiam o post até o fim.

Não deu pra completar ou melhorar o post, o ritmo frenético com que os fatos estão se desenrolando desde 2016 (ou 2013), e sem muito "feedbeck" exceto "olavetes" alucinadas vindo defecar a própria burrice, torna essa tarefa inglória, em todo caso...

Outra tentativa de golpe de Estado foi frustrada na Venezuela, pois mesmo que a Globo e a mídia ordinária/vendida do Brasil não chame pelo nome correto, nem todo mundo no país segue essa "agenda comprada" por essa mídia alinhada com os Estados Unidos e há um problema grave nisso, o povo não é informado como deve e fica à deriva sem saber o que está se passando, pois vai respingar sobre você, mesmo que você "não goste de política".

Esta mesma mídia ordinária nativa (mas não só ela, tem a linha auxiliar do golpe contra o país, a "mídia da OTAN", abordo esta questão noutro post dedicado só a ela) é a mesma que vivia malhando o governo Trump até pouco tempo, pra ver que a subserviência, vassalagem não diz respeito a "governo" de outro país e sim a uma "ordem político-econômica" encabeçada pelos Estados Unidos, que não serve ao Brasil, nunca serviu, só trouxe problemas ao país. E não se trata de uma questão de esquerda, visto que o PT, ou a "ala liberal" do PT (sediada principalmente em São Paulo, berço do partido) foi conivente ao extremo com a sabotagem norte-americana contra o Brasil.

Aparentemente esta tentativa de golpe foi debelado na Venezuela, comandado pelo capacho da vez (Juan Guaidó, ou GuaiDog), mas não se iludam que os Estados Unidos irá desistir só por essa "desventura" (está fazendo coleção), o Império tentará atacar, derrubar o "regime hostil" a seus interesses até perder o combate ou derrubar e alterar a ordem política na Venezuela e aprofundar o caos na América do Sul. Estamos falando da fronteira do Brasil, não de um caso "lá na Síria" bem distante da gente.

Os Estados Unidos quer usar o Brasil como "bucha de canhão" em sua guerra colonial. Trazendo a perspectiva geopolítica já que a mídia do país não trata a coisa dessa forma, tampouco boa parte das "forças políticas" do país

Ao que aparenta, o presidente atual dos EUA, Donald Trump, tem algum acordo direto com o títere, capacho da vez no Brasil que ocupa a presidência, Bolsonaro, mas não tem "carta verde" com os generais e as forças armadas do Brasil, e é isso que tem segurado a utilização do país como "bucha de canhão" de guerra onde o país pagaria caro por uma guerra que não é nem nunca foi nossa.

Entenderam a gravidade de se tratar eleição presidencial a base do desespero ou da "brincadeira"? Estão vendo as consequências práticas disso? Em parte a culpa não é nem da população, que tem uma mídia venal, vendida, ordinária pra "informá-la" e não foi educada, treinada pra ver o mundo dessa forma, mas se você e entendeu não tem mais desculpa pra levar essas questões na brincadeira.

Voltando ao assunto, a possibilidade da via militar ser usada pelos EUA na Venezuela é real, aos que tentam pormenorizar o problema no Brasil, sinto, não levem essa turma muito a sério, essa neurose de negar a realidade tem limites e o limite chegou. Os Estados Unidos foram varridos da Ásia (praticamente), perdendo poder e esfera de influência pra China. Foi varrido parcialmente do Oriente Médio, com o caso mais emblemático na surra que levaram na Síria quando forneciam apoio a terroristas mas vinham a público falar de "liberdade" (algo que já virou clichê). Os Estados Unidos também estão sendo varridos da África, e também estão sofrendo danos de antigos aliados como Itália, Alemanha e França (todos membros da OTAN, que o Trump ataca porque a conta está muito alta pro cada vez mais endividado Estado norte-americano). "Brincar de guerra" e Império custa caro, muito caro, e o ocaso dos Estados Unidos parece ter chegado ou está em vias, a ascensão chinesa é visível e se fez presente com os revezes que sofreu principalmente pra Rússia (parceiro estratégico da China e membro dos BRICS), onde a Rússia colocou uma base bem no "seu quintal", na Venezuela, com ajuda do Irã, China e Turquia (outro membro da OTAN, cada vez mais em conflito com o governo norte-americano, principalmente depois da tentativa de golpe de estado frustrado na Turquia).

A ascensão da China, ou da ordem sino-russa e o declínio dos Estados Unidos por trás dos embates atuais

Desde a década passada, principalmente, o mundo vê a ascensão chinesa ocupando o globo inteiro, ocupando o antes ocupado espaço dos Estados Unidos e de boa parte de seus aliados. O declínio dos EUA não se trata de mero "chute", "palpite", é real, isso se constata com os pontos que mencionei acima, o da China idem.

O erro chinês em assistir a derrocada do Brasil, sem fazer nada

Pros negócios chineses prosperarem na região e a China se proteger das ofensivas dos EUA, que ficarão cada vez mais fortes e piores, há que criar um Brasil estável na região, pra manter a América do Sul estável e próspera, todos ganham exceto os sabotadores. Isso interessa também ao governo russo, porque só haverá estabilidade na Venezuela com um Brasil estável também, é preciso deixar essa posição bem clara as forças de "ocupação" do governo de "Vichy" encabeçado principalmente por Bolsonaro e apoiado pela Globo/Record/Bandeirantes e grande mídia, e a mídia da OTAN (DW, BBC, El País/Prisa, esses são os principais mas não os únicos).

O Brasil se encontra em seu buraco mais profundo desde talvez a guerra do Paraguai (século XIX), metido numa guerra de desestabilização interna (que alguns chamam de "guerra híbrida"), promovida pelo aparelho judicial, principalmente o baseado no estado do Paraná na operação Lava Jato pra destruir, soterrar a economia do país usando como "desculpa", pretexto o "combate à corrupção", que não passa de um engodo, uma mentira, porque se trata de uma guerra de uma oligarquia de toga querendo ocupar ou reformular o Estado pra ocupar espaços da classe política alvejada por eles, como ocorreu no caso italiano que é o "modelo" dessa operação de sabotagem econômica e política do Brasil.

Não se trata aqui de defesa de partido A ou B e sim de dizer abertamente o que se passa, os fatos, a realidade se impõe à parte versão manipulada, mitificada propagada pela dita "grande mídia" e essa horda de "combatentes" (oportunistas, gente "querendo se dar bem" a todo custo) anti-país espalhados pela rede.

Bolsonaro chegou ao poder no arranjo, consequência do golpe de estado branco que o país sofreu em 2016, não estou defendendo a figura que foi deposta porque a dona Dilma Rousseff é parte da tramoia ao ter aceito toda essa palhaçada, passivamente, desde o começo, colocando a banda podre, sabotadora do PT dentro do governo, não os combatendo. Bolsonaro chegou ao poder também pelos devaneios que o Lula ainda comete tratando o caso que o país passa como "assunto pessoal" dele ou como se fora "coisa do PT", há limites pra defesa de partido e isto não fica acima do país. Não concordo com a prisão do Lula, prisão que considero fruto de uma fabricação do judiciário brasileiro alinhado com "forças externas", e não desejo mal à figura do Lula, mas há de saber quando se deve pendurar as chuteiras e que o tempo de protagonismo acabou.

Não estou dizendo isso do Lula e cia pra "defender" outro candidato, votei no Ciro Gomes (PDT) no 1o turno, sempre declarei que sigo a linha histórica do trabalhismo (do Brizola), mas nem o Ciro Gomes hoje serve pra algo, ao abraçar os tucaninhos deslocados bancados por um dos maiores sabotadores do país, o J.P. Lemann, com sua pupila-mor a Tábata Amaral, uma figura insossa, artificial e fraca, numa rede de lobbysmo partidário criada pelo mesmo pra defesa de seus interesses, porque não existe "investimento filantrópico" em política vindo de bilionário, a menos que você que esteja lendo o texto acredite em duendes.

Alguém pode perguntar, o que fazer numa situação dessas em que não temos nem partidos, organizações fortes pra nos defender? Faça a defesa você mesmo, em qualquer lugar que estiver, seja "o exército de um homem só" que em breve esse exército terá milhões, siga uma agenda anti-desmonte, anti-neoliberal e de viés nacional defendendo a soberania do país e a infra-estrutura do mesmo, não tenha medo de defender esses pontos porque gente estúpida fica tentando berrar, berre mais alto, numa guerra vence quem tiver mais ímpeto, amor, raiva (com a desgraça que nos colocaram) e razão. Podem rir de você a princípio, mas se lembre, quem rir por último serão os que tomaram a defesa do país. Estamos em guerra, sem mariners apontando armas pra nossa cabeça, mas estamos, e espero que seja a última situação vexatória e humilhante que aquele país do Hemisfério Norte nos impõe.

P.S. irei colocar links de matérias no texto acima, gradualmente, por isso que se alguma olavete, liberalete aloprada quiser dar chilique, boa sorte, está perdendo seu tempo, eu não estou numa "discussão" com vocês e sim numa guerra, e vocês irão perder de novo e essa e pagar pelo que fizeram de mal ao país. Também tentarei completar o texto, é que há um excesso de informação pra condensar num curto espaço, o que é bem complicado, e foge um pouco o tema do blog, ou nem tanto, já avisei antes, em "n" posts que História do Brasil faz parte do escopo do blog e também a extrema-direita (a ascensão da mesma em alguns cantos do mundo se deve pela destruição do Estado de bem-estar na Europa e ofensiva dos EUA na América Latina, os assuntos estão interligados, embora fosse melhor tratar disso num blog exclusivo pra essa temática).

8 comentários:

stéphano bahia disse...

A aliança russo-venezuelana fará os EUA, Israel e seus vassalos se tremerem nas bases...
Diplomacia nuclear fala bem alto

Roberto disse...

Ou isso ou uma guerra civil na Venezuela (e na região, vai sobrar pro nosso país também) promovida pelos interesses do Estado norte-americano na região. Só não houve conflito porque Trump está numa "sinuca de bico" com a reeleição dele, em caso de insucesso numa incursão, isso respingaria em cheio na reeleição, fora os sinais de crise (pra estourar) nos EUA pra 2020. Mas de fato, sem a presença russa na área, Tio Sam já teria promovido um banho de sangue (mais um) na região em sua ingerência política na América Latina, porque considera que somos "seu quintal" mas não somos, apesar do governo fantoche/títere entreguista desse saco de cocô que ocupa a presidência da República atualmente (Bolsonaro).

stéphano bahia disse...

Cerveja... R$ 4,00... amendoim... R$ 2,00....
ver Bolsonaro se borrar todo diante de Putin.... não tem preço !

ah.. mesmo antes de entrar nessa crise brutal... os EUA tão repletos de sem-teto !
Só aumentando... Depois quer falar de crise humanitária na Venezuela...
pelo visto.. a diplomacia nuclear russa... amansou o tio sam direitinho...

Roberto disse...

Sim, Tio Sam tá entupido de problemas sociais de cima abaixo, mas a ganância da elite ianque e o dogma deles (fé) no neoliberalismo levará à ruína o mesmo Império deles, o que não deixa de ser irônico já que exportou pra boa parte do mundo, América Latina e parte da Europa em destaque, esse entulho ideológico destruidor do bem-estar social dos países, com aval das elites de vários países submissas aos Estados Unidos ou seguindo um alinhamento vassalo cevado em histeria e propaganda.

stéphano bahia disse...

Curioso... a valentia dos EUA é bem seletiva. A Rússia tem históricas parcerias com Cuba e Venezuela. Veja se os EUA se atreveram os russos a se mandarem. Necas. Pq é outra potência nuclear.
Sobre as eleições dos EUA... os 2 partidos dominantes são farinha do mesmo saco.
2 marionetes da oligarquia local. Obama e Trump não passam de capachos... nada +

stéphano bahia disse...

Sinceramente sinto pena dos pobres nos EUA... enganados e feitos de massa de manobra pelo regime local. Curioso que a grande mídia jamais os entrevistou para falar do regime... A exemplo que fazem quando entrevistam pobres em Cuba, Venezuela etc. pra provarem que o sistema de lá é ruim etc etc.

Roberto disse...

São sim, Democratas e Republicanos são duas vertentes oligárquicas, onde acho até os Democratas piores ou no mínimo iguais aos Republicanos, pelo menos na questão externa. Os Democratas são mais metódicos, tentam se vender como "bons moços" defendendo a "liberdade e a civilização", os republicanos recentes são mais xucros (se mostram assim pro mundo), mostram o que o Estado norte-americano é de fato e como pensam (os dois lados, onde um é mais dissimulado).

A Globo, só pra atacar Trump (a Globo é pró-Democratas), andou fazendo matéria mostrando o "turismo hospitalar" dos EUA na fronteira do México, os norte-americanos sem poder fazer consulta nos EUA (que é bem caro), cruzam a fronteira livremente usando serviço de ponta porque é mais barato no México, enquanto mantém política discriminatória com os mexicanos e gente da América Latina em geral, mas são momentos raros, o relato genérico é pintar os EUA de ouro, um dos grandes males do Brasil, essa elite carcomida e entreguista usar os EUA como "modelo" ou "parâmetro" de algo "bom", colonialismo mental e cafonice, elite jeca.

stéphano bahia disse...

Sinceramente.. queria que Trump (ou outro similar a ele) ficasse na presidência sempre...
ao menos a máscara iria cair de vez...
de fato há esse turismo hospitalar no México.. 1 vergonha... depois falam que os EUA são a terra das oportunidades.
essa elite brasileira nada difere da venezuelana... que tenta de toda forma minar o bolivarianismo... e se desmoraliza sempre

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...